Deep Silver

Deep Silver é uma publicadora de jogos eletrônicos alemã-austríaca e uma divisão da Koch Media.[1] Eugenio Vitale atua como diretor de desenvolvimento de jogos da Deep Silver.[2]

Deep Silver
Divisão
Atividade Publicadora de jogos eletrônicos
Fundação novembro de 1994 (25 anos)
Locais Höfen (Áustria), Áustria
Pessoas-chave Eugenio Vitale
Empresa-mãe Koch Media
Website oficial http://deepsilver.com

HistóriaEditar

A Deep Silver foi anunciada em novembro de 2002, com seu primeiro lançamento sendo Anarchy Online: The Notum Wars.[3] De acordo com Craig McNichol, que dirigia a filial da Koch Media na Inglaterra, a ideia por trás do Deep Silver era ter um segmento de negócios que desenvolvesse jogos que complementassem aqueles que a Koch Media estava distribuindo através outras publicadoras.[4] McNichol também afirmou que o nome Deep Silver ficou sujeito a muita discussão interna. A Koch Media investiu €500,000 na Deep Silver em julho de 2003 e, em novembro de 2003, todas as operações de publicação de jogos da Koch Media (excluindo distribuição) foram realocadas para a Deep Silver.[5][6] A divisão se manteve continuamente ativa desde então, principalmente na Europa.[1] Em abril de 2008, a Koch Media abriu a Deep Silver, Inc., uma filial subsidiária com sede em Los Angeles, sob o controle da Deep Silver.[7] Em agosto de 2007, o Games That Matter, um estúdio fundado por ex-funcionários da Rockstar Vienna em 2006, foi adquirido pela Koch Media e tornou-se parte da Deep Silver sob o nome Deep Silver Vienna.[8] Os co-fundadores Niki Laber e Hannes Seifert deixaram o estúdio em janeiro de 2010, quando a Deep Silver Vienna foi fechada.[9][10] A Deep Silver Vienna produziu apenas um jogo, Cursed Mountain, que foi desenvolvido em associação com a Sproing Interactive e lançado em agosto de 2009 para o Wii.[11]

A Deep Silver atraiu muita atenção durante o lançamento de Dead Island e a aquisição da Volition.[1] Dead Island foi seu primeiro lançamento a alcançar o primeiro lugar nas paradas de vendas, em setembro de 2011,[12] e a aquisição da Volition se deu em janeiro de 2013, juntamente com os direitos da série Metro, proveniente dos processos de falência da THQ.[13] A Deep Silver também adquiriu uma participação minoritária na desenvolvedora de jogos free-to-play baseada em Berlim, Infernum Productions, em dezembro de 2012.[14] Em fevereiro de 2013, a Deep Silver anunciou sua intenção de expandir para o mercado de jogos para celular.[15]

Em dezembro de 2013, a Fishlabs, que havia solicitado a autoadministração em outubro, foi adquirida pela Koch Media e se tornou o estúdio dedicado a jogos para dispositivos móveis da Deep Silver.[16] Como o acordo era um negócio de ativos, a entidade legal do estúdio foi dissolvida e a Fishlabs foi reorganizada como uma divisão, oficialmente conhecida como Deep Silver Fishlabs.[17] Em julho de 2014, a Deep Silver adquiriu os direitos de Homefront e sua sequência em desenvolvimento, Homefront: The Revolution, da desenvolvedora alemã Crytek.[18] A Dambuster Studios (oficialmente, Deep Silver Dambuster Studios) foi criada para continuar o desenvolvimento de The Revolution, sucedendo à Crytek UK. Mais tarde, no mesmo dia, a Crytek anunciou que a Crytek UK seria fechada e todos os seus funcionários foram transferidos para o Dambuster Studios.[19] Em agosto de 2018, a Koch Media adquiriu os direitos dos jogos da série TimeSplitters, que seriam supervisionados pela Deep Silver.[20]

Em maio de 2020, a Koch Media e a THQ Nordic, que faziam parte da Embracer Group, trocaram vários direitos de propriedade intelectual: a Deep Silver recebeu Red Faction e Painkiller, enquanto entregava Risen, Rush for Berlin, Sacred, Second Sight e Singles: Flirt Up Your Life .[21]

ControvérsiasEditar

Em janeiro de 2013, a Deep Silver anunciou uma edição especial do seu próximo jogo, Dead Island: Riptide, intitulado Zombie Bait Edition, que incluiria uma estatueta de um torso feminino mutilado, na Europa e na Austrália.[22] Após fortes críticas ao item, a Deep Silver inicialmente pediu desculpas, afirmando que estavam "profundamente tristes" e prometendo aos consumidores que algo assim não aconteceria novamente.[23] No entanto, quando o jogo foi lançado em abril daquele ano, o busto ainda estava incluído, gerando mais reação.

Em janeiro de 2019, a Deep Silver fez uma parceria com a Epic Games em um contrato de exclusividade de um ano para a versão para PC do seu próximo jogo, Metro Exodus, na loja de distribuição digital da Epic, a Epic Games Store.[24] Com esse acordo, o Metro Exodus foi removido da Steam, outra loja de distribuição digital, onde a Deep Silver vendia pré-encomendas para o jogo desde agosto de 2018.[25] Além disso, o acordo foi feito e anunciado menos de três semanas antes do lançamento do jogo, causando desaprovação e confusão entre os críticos e fãs da franquia Metro. A Valve, a empresa por trás da Steam, classificou a decisão como injusta para os consumidores, enquanto os fãs inundaram as avaliações da loja com críticas negativas aos jogos anteriores da série.[26]

JogosEditar

As franquias publicadas pela Deep Silver incluem Metro da 4A Games e Saints Row da Volition, que foram adquiridas através do leilão de falências da THQ em 2013, bem como a série Dead Island, criada pela Techland. Outros jogos incluem Homefront: The Revolution, da Dambuster Studios, e Shenmue III, da Ys Net.

Referências

  1. a b c Handrahan, Matthew (4 de fevereiro de 2013). «Koch Media: "We are not ambitious to be the next THQ"». GamesIndustry.biz. Consultado em 2 de fevereiro de 2019. Cópia arquivada em 3 de fevereiro de 2019 
  2. Dring, Christopher (9 de outubro de 2017). «Life after Agents of Mayhem: Where now for Volition?». GamesIndustry.biz. Consultado em 2 de fevereiro de 2019. Cópia arquivada em 25 de fevereiro de 2018 
  3. Steininger, Stefan (12 de novembro de 2002). «Koch Media etabliert neues Label für Games». beta.gamesmarkt.de. Consultado em 16 de maio de 2019. Cópia arquivada em 16 de maio de 2019 
  4. McNichol, Craig (5 de agosto de 2014). «Twenty years of Koch Media». MCV. Consultado em 2 de fevereiro de 2019. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2019 
  5. «Koch Media investiert 500.000 Euro in Deep Silver». beta.gamesmarkt.de. Consultado em 14 de fevereiro de 2019. Cópia arquivada em 15 de fevereiro de 2019 
  6. «Koch Media konzentriert Spielepublishing auf Deep Silver». beta.gamesmarkt.de. Consultado em 14 de fevereiro de 2019. Cópia arquivada em 15 de fevereiro de 2019 
  7. MCV Editors (30 de abril de 2008). «Koch Media expands into US». MCV. Consultado em 2 de fevereiro de 2019. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2019 
  8. Martin, Matt (22 de agosto de 2007). «Koch acquires Games That Matter». GamesIndustry.biz. Consultado em 13 de fevereiro de 2019. Cópia arquivada em 14 de fevereiro de 2019 
  9. Brice, Kath (1 de fevereiro de 2010). «Koch closes Deep Silver Vienna studio». GamesIndustry.biz. Consultado em 13 de fevereiro de 2019. Cópia arquivada em 13 de fevereiro de 2019 
  10. «Koch Media schließt Deep Silver Vienna». beta.gamesmarkt.de. Consultado em 14 de fevereiro de 2019. Cópia arquivada em 15 de fevereiro de 2019 
  11. Alexander, Leigh (1 de fevereiro de 2010). «Deep Silver Closes Vienna Studio». Gamasutra. Consultado em 13 de fevereiro de 2019. Cópia arquivada em 10 de dezembro de 2017 
  12. MCV Editors (15 de setembro de 2011). «Deep Silver Dead pleased with first No.1». MCV. Consultado em 2 de fevereiro de 2019. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2019 
  13. Goldfarb, Andrew (23 de janeiro de 2013). «THQ Dissolved, Saints Row, Company of Heroes Devs Acquired». IGN. Consultado em 2 de fevereiro de 2019. Cópia arquivada em 3 de fevereiro de 2019 
  14. Handrahan, Matthew (18 de dezembro de 2012). «Koch Media invests in F2P dev Infernum Productions». GamesIndustry.biz. Consultado em 2 de fevereiro de 2019. Cópia arquivada em 3 de fevereiro de 2019 
  15. Weber, Rachel (26 de fevereiro de 2013). «Deep Silver planning move into mobile». GamesIndustry.biz. Consultado em 2 de fevereiro de 2019. Cópia arquivada em 2 de fevereiro de 2019 
  16. Corriea, Alexa Ray (2 de dezembro de 2013). «Galaxy on Fire developer Fishlabs purchased by Koch Media». Polygon. Consultado em 2 de fevereiro de 2019. Cópia arquivada em 3 de fevereiro de 2019 
  17. Chapple, Craig (14 de maio de 2014). «'It was the hardest time we've ever gone through': How Fishlabs came back from the brink». MCV. Consultado em 2 de fevereiro de 2019. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2019 
  18. Sarkar, Samit (30 de julho de 2014). «Deep Silver buys Homefront from Crytek, moves Homefront: The Revolution to new studio». Polygon. Consultado em 2 de fevereiro de 2019. Cópia arquivada em 9 de dezembro de 2018 
  19. Sarkar, Samit (30 de julho de 2014). «Homefront: The Revolution devs to move to Deep Silver as Crytek scales back two studios». Polygon. Consultado em 2 de fevereiro de 2019. Cópia arquivada em 19 de agosto de 2018 
  20. Dransfield, Ian (15 de agosto de 2018). «Timesplitters license acquired by Koch Media». Consultado em 2 de fevereiro de 2019. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2019 
  21. Wood, Austin (5 de maio de 2020). «Red Faction, Painkiller, Risen and more get closer to home in THQ Nordic and Koch Media IP trade». GamesRadar+. Consultado em 15 de maio de 2020 
  22. Corriea, Alexa Ray (23 de abril de 2013). «Dead Island: Riptide edition with severed torso statue still available in Europe, Australia». Polygon. Consultado em 2 de fevereiro de 2019. Cópia arquivada em 2 de fevereiro de 2019 
  23. Parfitt, Ben (23 de abril de 2013). «So Deep Silver went ahead and shipped the Dead Island Riptide Zombie Bait Edition regardless». MCV. Consultado em 5 de fevereiro de 2019. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2019 
  24. Williams, Mike (29 de janeiro de 2019). «Metro Exodus' Sudden Switch to Epic Really is Unfair». USgamer. Consultado em 5 de fevereiro de 2019. Cópia arquivada em 7 de fevereiro de 2019 
  25. Orland, Kyle (28 de janeiro de 2019). «Epic Games Store snags Metro Exodus away from Steam [Updated]». Ars Technica. Consultado em 5 de fevereiro de 2019. Cópia arquivada em 3 de fevereiro de 2019 
  26. Chalk, Andy (30 de janeiro de 2019). «Players protest Epic's Metro Exodus exclusive by review-bombing the series on Steam». PC Gamer. Consultado em 5 de fevereiro de 2019. Cópia arquivada em 5 de fevereiro de 2019 

Ligações externasEditar