Demerval Lobão Veras

Demerval Lobão Veras (Campo Maior, 17 de fevereiro de 1915Teresina, 4 de setembro de 1958) foi um advogado e político brasileiro.

BiografiaEditar

Filho de Pergentino Lobão Veras e Lina Freitas Lobão, formou-se em Direito com bacharelado em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Direito da Bahia, em 1936. Como advogado foi membro da seccional baiana e piauiense da Ordem dos Advogados do Brasil, Instituto dos Advogados Piauienses e Associação Piauiense de Imprensa. Exerceu durante um curto período a advocacia liberal na cidade de Salvador, Bahia. Diretor do Liceu Piauiense (Colégio Estadual Zacarias de Góis), instituição da qual foi aluno, Demerval Lobão foi também inspetor de ensino secundário, diretor-geral do Departamento Estadual de Fazenda e depois secretário da referida pasta, delegado do Instituto de Aposentadoria e Pensões dos Industriários (IAPI), juiz do Tribunal de Contas do Estado (1946) e delegado regional do Serviço Nacional de Recenseamento (1949).

Eleito deputado federal pela UDN em 1950, em 1958 disputava o governo do estado, mas a campanha teve fim em 4 de setembro de 1958, quando faleceu em virtude de um desastre automobilístico ocorrido próximo ao povoado Morrinhos, na chamada tragédia da Cruz do Cassaco, que ceifou também o candidato a senador Marcos Parente. Substituído como candidato a governador por Chagas Rodrigues, Lobão foi homenageado quando, anos depois de seu falecimento, Morrinhos foi emancipado e se tornou o município de Demerval Lobão.

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.