Abrir menu principal

Dener Augusto de Sousa

futebolista brasileiro

Dener Augusto de Sousa (São Paulo, 2 de abril de 1971Rio de Janeiro, 19 de abril de 1994) foi um futebolista brasileiro.[2]

Dener
Informações pessoais
Nome completo Dener Augusto de Sousa
Data de nasc. 2 de abril de 1971
Local de nasc. São Paulo (SP),  Brasil
Falecido em 19 de abril de 1994 (23 anos)
Local da morte Rio de Janeiro (RJ),  Brasil
Altura 1,68 m
Destro
Informações profissionais
Posição Meia-atacante
Clubes de juventude
1988–1991 Portuguesa
Clubes profissionais1
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1989–1993
1993
1994
Portuguesa
Grêmio (emp.)
Vasco da Gama (emp.)
TOTAL
00141[1] 00(25)[1]
00023 0000(4)
00017 0000(5)
00181 000(34)
Seleção nacional
1992
1991
Brasil Sub-23
Brasil
00009 0000(1)
00002 0000(0)


1 Partidas e gols pelo clube profissional
contam apenas partidas das ligas nacionais,
atualizados até 2 de janeiro de 2008.


Meia extremamente rápido e habilidoso, era considerado um dos mais promissores jogadores de sua geração, mas morreu precocemente, dezessete dias após completar 23 anos, num acidente de carro.[3][4] É considerado também o último grande craque da história da Portuguesa,[5] onde era conhecido como o "Reizinho" do Canindé".

BiografiaEditar

Ele teve problemas na infância. Aquela coisa de criança pobre, criada na periferia, acontecem algumas coisas. Ele tinha andado por uns lados meio tortos, começou a fazer umas artes erradas, mas graças a Deus apareceu o esporte, aquele amistoso com a Portuguesa, que o tirou da Vila Maria, e ele subiu. Entre erros e acertos, conseguiu chegar longe[6].
Tico, amigo de Dener, sobre a personalidade do ex-jogador.

Dener cresceu na Vila Ede, Zona Norte paulistana, como um torcedor fanático do São Paulo. Órfão de pai desde os oito anos, Dener e os irmãos tiveram de começar a trabalhar para ajudar no sustento da família. Ele estudava pela manhã, trabalhava à noite e jogava futebol de salão por cachê na Vila Mariana, pelo Colégio Bilac, com o qual foi campeão em torneios Intercolegiais, como a Copa Dan'up–Jovem Pan[6].

Em 1987, Dener foi detido junto com outras cinco pessoas e levado para a 9.ª Delegacia de Polícia, no Carandiru, Zona Norte da capital paulista. Nos arquivos do processo no judiciário de São Paulo, consta o seguinte relato no boletim: "o menor foi orientado e advertido e convidado para uma vez por mês aparecer na Divisão de Apoio ao Menor na Comunidade Posto Norte. Frente ao exposto, considerando que o menor é primário, não denota vivência infracional, pareceu-nos sincero no discorrer de seu relato de que não participou do ato de furtos e danos, demonstra ser oriundo de família de boa índole, onde os membros são ativos. Não permaneceu em nenhuma unidade da FEBEM."[6]

"Rubinho", diretor do Colégio Bilac onde Dener estudava, assinou um termo de responsabilidade, e Dener foi liberado dois dias depois da delegacia, encaminhado para o programa de liberdade assistida da Febem.[6]

CarreiraEditar

Pela etnia, história de vida, ligação com o samba e o drible, ele representava o povo brasileiro[7].
Luciano Ubirajara Nassar, autor do livro "Dener - o Deus do Drible"

Início difícil, desistência, passagem curta pelo São Paulo e profissionalização pela PortuguesaEditar

Em 1982, aos onze anos, Dener entrou pela primeira vez no Estádio do Canindé para defender a equipe mirim da Portuguesa de Desportos. Quatro anos mais tarde, teve de abandonar o sonho de fazer carreira no futebol para ajudar a mãe com as despesas de casa.

Em 1988, voltou a treinar nas categorias de base da Portuguesa de Desportos, após uma passagem frustrada de dois meses pelo São Paulo. O treinador José Wilson, na época treinador da equipe sênior, rapidamente promoveu o jogador à categoria profissional. Durante três anos, Dener treinava entre os profissionais e ainda jogava pelo juniores, e foi assim que levou a Portuguesa ao primeiro título do clube na Copa São Paulo de Futebol Júnior em 1991, sendo no fim eleito o melhor jogador do campeonato.[8] No ano anterior, a equipe já havia se sagrado campeã do Campeonato Paulista Sub-20,[9] com praticamente o mesmo elenco.

Seu primeiro jogo como profissional ocorreu em 14 de outubro de 1989, na derrota por 2–1 para o Grêmio, em Porto Alegre.[10] Ao fim da partida, o ex-lateral do Grêmio Alfinete foi até o jovem Dener e pediu para trocar de camisa: "Poxa, estou estreando hoje, sou do juvenil ainda, não tenho dinheiro, se te der a camisa vou ter que pagar quinhentos paus em outra", revelou Alfinete.[11]

Em 1991, fez o gol que é considerado o mais bonito da história do Estádio do Canindé. Em uma partida válida pelo Campeonato Paulista entre Portuguesa e Inter de Limeira, Dener arrancou de antes do meio de campo, driblou três rivais e incontáveis buracos no gramado, que fazem a bola perder completamente a direção, e tocou na saída do goleiro.[12]

GrêmioEditar

Foi na final da Copa São Paulo de Futebol Júnior, quando o Grêmio foi derrotado por 4–0 pela Portuguesa, que Dener chamou a atenção do clube gaúcho. Zelio Hocsman, ex-assessor do presidente Fábio Koff, conta que ninguém no Olímpico esquecia aquele "pretinho" que, conforme palavras do próprio Zelio, "destruiu" o Grêmio na final da Copinha.[10]

Em 1993, Dener foi emprestado por três meses ao clube gaúcho, onde foi campeão gaúcho de 1993,[10] seu primeiro título como profissional.

Retorno à PortuguesaEditar

No fim do empréstimo ao clube gaúcho, o jogador retornou à Portuguesa para disputar o Campeonato Brasileiro de 1993, ajudando a equipe a terminar na nona colocação daquele certame.

Nesse seu retorno à Portuguesa, destaca-se um jogo contra o Santos, quando Dener marcou um golaço: ele colocou entre as pernas do zagueiro Índio, ganhou na velocidade de outro adversário, fintou o goleiro Edinho e empurrou para as redes.[12]

Ao todo, nas duas passagens pelo clube, disputou 141 jogos e marcou 24 gols com a camisa da Lusa.[1]

Vasco da GamaEditar

No ano seguinte, 1994, o jogador foi novamente emprestado, dessa vez para o Vasco da Gama, onde teve belas atuações e sagrou-se campeão da Taça Guanabara.

Durante uma excursão do Cruz-Maltino pela Argentina, "comeu a bola" em amistoso contra o Newell's Old Boys e recebeu elogios até de Maradona, que fez questão de cumprimentá-lo ao fim da partida.[12]

Com as boas atuações, passou a ser saudado pela torcida do Vasco com o nada modesto grito de "É, cafuné, é cafuné, o Dener é a mistura do Garrincha com o Pelé!".[13]

Em 17 de abril de 1994, fez sua última partida: empate por 1–1 com o Fluminense, válido pelo quadrangular final do Campeonato Carioca.[10] Dener foi expulso naquela partida e foi para São Paulo, de carro, na sua folga.[14]

O jogador morreria dois dias depois desta partida, antes de comemorar o tricampeonato carioca do Vasco.

A cláusula 9 do contrato firmado entre Portuguesa e Vasco obrigava a secionaria "a fazer um seguro de vida e acidentes pessoas ao atleta, o qual deverá dar cobertura até o efetivo término do empréstimo no valor de US$ 3 milhões".[5] O Vasco, porém, não havia feito o seguro obrigatório, descumprindo este acordo, o que deu origem a uma briga que duraria anos até a Lusa e a família do atleta finalmente receberam o dinheiro.[5]

Seleção BrasileiraEditar

Com apenas vinte anos, e ainda como jogador da Portuguesa, o jogador teve a sua primeira oportunidade com a camisa da Seleção Brasileira: em 27 de março de 1991, contra a Argentina, em Buenos Aires, fez a sua estreia, ao entrar no lugar do meia Luís Henrique. Mesmo com poucos minutos em campo, o baixinho da Portuguesa iniciou a jogada que culminaria no terceiro gol brasileiro.

Fez parte do plantel da Seleção Brasileira que não se classificou para os Jogos Olímpicos de Barcelona, em 1992.[15]

MorteEditar

Na época em que estava no Rio de Janeiro, sofreu um grave acidente que lhe tirou a vida. Dener voltava de São Paulo, onde havia se reunido com dirigentes da Portuguesa e do Stuttgart, da Alemanha (em que jogava, à época, Dunga), para uma futura transferência,[16] e passado o fim de semana com a família. Por volta de 5h15 da madrugada de 19 de abril, o seu carro (um Mitsubishi Eclipse com a placa DNR 0010), dirigido pelo amigo Otto Gomes Miranda, perdeu a direção e chocou-se com uma árvore na Lagoa Rodrigo de Freitas, quase em frente ao Clube Naval Piraquê, numa curva leve, na altura do número 2 225 na Avenida Borges de Medeiros.[10] Meses após o acidente, um laudo policial confirmou que Otto havia dormido ao volante, causando o acidente.

Dener, que viajava dormindo no banco do carona, foi asfixiado pelo cinto de segurança e ainda bateu com a cabeça no teto do carro, segundo a perícia, que concluiu que o carro estava na quinta marcha, em alta velocidade. A causa mortis de Dener foi uma asfixia por lesão da laringe e uma contusão no pescoço.[10]

Este acidente terminou tragicamente uma carreira promissora. Investigações posteriores descobriram que Dener deixou o banco inclinado demais, anulando a eficiência do cinto.

HomenagensEditar

  • Também em homenagem ao jogador, uma placa foi colocada no local do acidente com a frase "Aqui morreu um poeta do futebol". O objeto, no entanto, desapareceu. No lugar dele, alguém improvisou uma homenagem escrita à mão, que hoje está pintada na calçada.[17]
  • Em 2012, a Portuguesa lançou uma camisa comemorativa, que faz referência ao golaço marcado no Canindé contra a Inter de Limeira em 1991.[1] Parte da renda das vendas será destinada à família do meia.[1]
  • Em dezembro de 2016, 22 anos após sua morte, o filósofo e historiador Luciano Ubirajara Nassar lançou a biografia do craque, com o título Dener — o Deus do Drible.[7]

Vida pessoalEditar

Dener deixou a esposa viúva e três filhos. Após a morte de Dener, a família tinha direito a parte do dinheiro do seguro do jogador. A família reclamou na justiça os seus direitos e, após dez anos de julgamento, o tribunal decidiu em definitivo que o Vasco da Gama, último clube a que o passe de Dener foi emprestado, deveria pagar à família e à Portuguesa de Desportos a quantia referente ao seguro. A Portuguesa recebeu a sua parte, porém a família do atleta precisou legitimar a esposa de Dener, já que, apesar de estar com o jogador desde os dezoito anos e ser a mãe dos seus filhos, não era oficialmente casada com ele.[19] Após treze anos, o clube e a viúva de Dener chegaram a um acordo para o pagamento da dívida.[19][20]

EstatísticasEditar

Gols pela Portuguesa de DesportosEditar

# Data Partida Campeonato Gols Ref.
1 17/jun/1990 Portuguesa de Desportos 2 x 1 Ituano Amistoso 1 [21]
2 17/fev/1991 Portuguesa de Desportos 2 x 0 Palmeiras Brasileiro 1
3 10/nov/1991 Portuguesa de Desportos 3 x 1 Santo André Paulista 1
4 13/nov/1991 Portuguesa de Desportos 1 x 0 Internacional de Limeira Paulista 1
5 22/mar/1992 Portuguesa de Desportos 1 x 2 Guarani Brasileiro 1
6 07/jun/1992 Portuguesa de Desportos 2 x 1 Lazio-ITA Amistoso 1
7 10/jun/1992 Portuguesa de Desportos 1 x 1 São Bento de Sorocaba Amistoso 1
8 02/ago/1992 Portuguesa de Desportos 1 x 0 Palmeiras Paulista 1
9 07/out/1992 Portuguesa de Desportos 1 x 0 Juventus-SP Paulista 1
10 e 11 11/out/1992 Portuguesa de Desportos 2 x 2 São Paulo Paulista 2
12 25/out/1992 Portuguesa de Desportos 2 x 0 Santo André Paulista 1
13 10/fev/1993 Portuguesa de Desportos 1 x 1 Marília Paulista 1
14 e 15 17/fev/1993 Portuguesa de Desportos 4 x 0 Guarani Paulista 2
16 14/mar/1993 Portuguesa de Desportos 2 x 2 Mogi Mirim Paulista 1
17 03/abr/1993 Portuguesa de Desportos 2 x 4 Guarani Paulista 1
18 18/abr/1993 Portuguesa de Desportos 4 x 0 União São João Paulista 1
19 25/abr/1993 Portuguesa de Desportos 1 x 3 Rio Branco-SP Paulista 1
20 01/mai/1993 Portuguesa de Desportos 4 x 2 Santos Paulista 1
Retorno ao clube após curto empréstimo ao Grêmio
21 e 22 06/out/1993 Portuguesa de Desportos 2 x 1 Criciúma Brasileiro 2
23 09/out/1993 Portuguesa de Desportos 2 x 1 União São João Brasileiro 1
24 13/out/1993 Portuguesa de Desportos 1 x 4 América-MG Brasileiro 1
25 07/nov/1993 Portuguesa de Desportos 2 x 5 Remo Brasileiro 1

Gols pelo GrêmioEditar

# Data Local Partida Campeonato Ref.
1 06 de junho de 1993 Estádio Alfredo Jaconi, Caxias do Sul Juventude 1–2 Grêmio Campeonato Gaúcho de 1993 [22]
2 08 de junho de 1993 Estádio Olímpico, Porto Alegre Grêmio 2–1 Guarany de Garibaldi Campeonato Gaúcho de 1993
3 13 de junho de 1993 Estádio Taba Índia, Cruz Alta Guarany de Cruz Alta 1–1 Grêmio Campeonato Gaúcho de 1993
4 30 de junho de 1993 Estádio Olímpico, Porto Alegre Grêmio 3–1 Lajeadense Campeonato Gaúcho de 1993

Jogos e gols pelo Vasco da GamaEditar

Legenda
Em verde = Vitórias
Em azul = Empates
Em vermelho = Derrotas
# Data Local Adversário Campeonato Resultado Gols Ref.
1 21/01/1994 Estádio Marcelo Bielsa, Rosário, ARG   Newell's Old Boys Torneio Amistoso - “Copa Diário La Capital” 0–0 0 [23]
2 26/01/1994 Estádio Marcelo Bielsa, Rosário, ARG   Newell's Old Boys Torneio Amistoso - “Copa Diário La Capital” 2–2 1[24]
3 30/01/1994 Estádio de São Januário, Rio de Janeiro Volta Redonda Campeonato Carioca 2–0 1[25]
4 07/02/1994 Estádio de São Januário, Rio de Janeiro Bangu Campeonato Carioca 1–0 1[25]
5 10/02/1994 Estádio Jair Siqueira Bittencourt, Itaperuna Itaperuna Campeonato Carioca 2–1 0
6 17/02/1994 Machadão, Natal ABC de Natal Copa do Brasil 2–0 1[26]
7 20/02/1994 Estádio da Rua Conselheiro Galvão, Rio de Janeiro Madureira Campeonato Carioca 0–0 0
8 27/02/1994 Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro Flamengo Campeonato Carioca 3–1 0
9 06/03/1994 Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro Botafogo Campeonato Carioca 2–0 0
10 09/03/1994 Estádio de São Januário, Rio de Janeiro Olaria Campeonato Carioca 2–1 1[25]
11 12/03/1994 Estádio Ítalo del Cima, Rio de Janeiro Campo Grande Campeonato Carioca 2–0 0
12 15/03/1994 Estádio de São Januário, Rio de Janeiro ABC de Natal Copa do Brasil 1–1 0
13 21/03/1994 Estádio de São Januário, Rio de Janeiro Americano Campeonato Carioca 0–0 0
14 27/03/1994 Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro Fluminense Campeonato Carioca 0–0 0
15 03/04/1994 Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro Fluminense Campeonato Carioca 4–1 0
16 10/04/1994 Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro Botafogo Campeonato Carioca 1–0 0
17 17/04/1994 Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro Fluminense Campeonato Carioca 1–1 0

Jogos pela Seleção Brasileira OlímpicaEditar

Legenda
Em verde = Vitórias
Em azul = Empates
Em vermelho = Derrotas
# Data Local Partida Resultado Torneio Ref.
1 04 de Dezembro de 1991 Estádio José Amalfitani, Buenos Aires, ARG   Argentina x   Brasil 2–1 Amistoso [27]
2 12 de Dezembro de 1991 Estádio Regional Willie Davids, Maringá, BRA   Brasil x   Uruguai 2–0 Amistoso
3 14 de Janeiro de 1992 Estádio Centenario, Montevideu, URU   Uruguai x   Brasil 3–0 Amistoso
4 19 de Janeiro de 1992 Estádio Governador Alberto Silva, Teresina, BRA   Brasil x   Argentina 0–1 Amistoso
5 22 de Janeiro de 1992 Estádio Lourival Batista, Aracaju, BRA   Brasil x   Estados Unidos 3–0 Amistoso
6 01 de Fevereiro de 1992 Estádio Defensores del Chaco, Asunción, PAR   Brasil x   Peru 2–1 Torneio Pré-Olímpico - 1a Fase: Grupo A
7 03 de Fevereiro de 1992 Estádio Defensores del Chaco, Asunción, PAR   Paraguai x   Brasil 0–1 Torneio Pré-Olímpico - 1a Fase: Grupo A
8 05 de Fevereiro de 1992 Estádio Defensores del Chaco, Asunción, PAR   Brasil x   Colômbia 0–2 Torneio Pré-Olímpico - 1a Fase: Grupo A
9 09 de Fevereiro de 1992 Estádio Defensores del Chaco, Asunción, PAR   Brasil x   Venezuela 1–1 Torneio Pré-Olímpico - 1a Fase: Grupo A

Jogos pela Seleção Brasileira principalEditar

Legenda
Em verde = Vitórias
Em azul = Empates
Em vermelho = Derrotas
# Data Local Partida Resultado Gols Assistências Torneio Ref.
1 27 de Março de 1991 Estádio José Amalfitani, Buenos Aires, ARG   Argentina x   Brasil 3–3 0 1 Amistoso [28]
2 29 de Maio de 1991 Estádio Parque do Sabiá, Uberlândia, BRA   Brasil x   Bulgária 3–0 0 0 Amistoso

TítulosEditar

Portuguesa
Grêmio
Vasco da Gama

Conquistas individuaisEditar

BibliografiaEditar

Referências

  1. a b c d e espn.com.br/ Vinte e um anos depois de golaço, Portuguesa lança camisa em homenagem a Dener
  2. espn.com.br/ Comentaristas do "Bate-Bola" relembram habilidade de Dener, que faleceu em 1994
  3. huffpostbrasil.com/ 5 vídeos mostram que Dener poderia ter sido maior do que Neymar
  4. blogdoneto.blogosfera.uol.com.br/ Dener foi o Neymar dos anos 90?
  5. a b c gazetaesportiva.net/ O gênio dos dribles mágicos
  6. a b c d globoesporte.globo.com/ "Vagabundo genial": Dener, garoto endiabrado em todos terrenos da vida
  7. a b c superesportes.com.br/ Morto em um acidente em 1994, Dener ganha sua biografia, lançada na última semana
  8. efemeridesdoefemello.com/
  9. a b melhoresdabase.com.br/ Portuguesa de Desportos Campeã Paulista Sub-20 de 1990
  10. a b c d e f globoesporte.globo.com/ Dener: gols impossíveis e carreira fulminante do Neymar de sua época
  11. globoesporte.globo.com/ Há 20 anos sem Dener: veja histórias e depoimentos sobre o gênio do drible
  12. a b c redbull.com/ Nostalgia FC: Não existia gramado ruim para Dener
  13. vejario.abril.com.br/ 20 anos sem Dener
  14. globoesporte.globo.com/ Ex-vice de futebol guarda ao lado do Vasco, há 25 anos, carro de acidente fatal de Dener
  15. esportes.yahoo.com/ Em 1992, o Brasil ficava fora da Olimpíada. Veja por quê
  16. Folha de São Paulo - 20 de abril de 1994 Dener estava negociando com o Stuttgart
  17. guiadoscuriosos.uol.com.br/ Portuguesa lança camisa em homenagem a Dener
  18. metrojornal.com.br/ Copa São Paulo 2019: conheça Dener, o jovem craque que dá nome ao troféu de gol mais bonito da copinha
  19. a b «Viúva de Dener não quer falar em valores». Globo.com. Globoesporte.globo.com. 26 de Setembro de 2007. Consultado em 2 de Janeiro de 2008 
  20. «Caso Dener: clube faz acordo». Globo.com. Globoesporte.globo.com. 25 de Setembro de 2007. Consultado em 2 de Janeiro de 2008 
  21. futebol80.com.br/
  22. globoplay.globo.com/ Globo Esporte RS - Relembre os gols de Dener pelo Grêmio
  23. supervasco.com/ Estatísticas de Dener com a camisa do Vasco da Gama
  24. Jornal dos Sports (27/01/1994) SeleVasco empata mais uma na Argentina
  25. a b c vaskipedia.com/
  26. futpedia.globo.com/ ABC 0 x 2 Vasco (1994)
  27. rsssfbrasil.com/ Seleção Brasileira Restritiva: 1988-1995
  28. rsssfbrasil.com/ Seleção Brasileira: 1990-1991

Ligações externasEditar