Departamento de Patrimônio Histórico (São Paulo)

órgão municipal da cidade de São Paulo, Brasil

O Departamento do Patrimônio Histórico de São Paulo é um órgão público de preservação histórica junto à Secretaria municipal de cultura da Prefeitura de São Paulo fundado em 1975.[1][2]

Departamento de Patrimônio Histórico (São Paulo)

Departamento do Patrimônio Histórico de São Paulo
Organização
Dependência Prefeitura de São Paulo
Secretária da Cultura de São Paulo
Chefia Lícia de Oliveira
Localização
Jurisdição territorial  Brasil
Sede São Paulo, SP
Histórico
Criação 13 de janeiro de 1975 (49 anos)
Sítio na internet
[1]

História

editar

A fundação do Departamento de Patrimônio Histórico de São Paulo data o ano de 1975, em projeto de lei sancionado pelo então prefeito Miguel Colasuonno (ARENA) no contexto em que o país atravessa pela ditadura militar brasileira sob o mandato de Ernesto Geisel.[3][4][5]

O Departamento de Cultura remonta a ideia pioneira do intelectual Mário de Andrade, que visava proteger e preservar a memória cultural da cidade de São Paulo.[6][7][8] O órgão foi criado com a perspectiva de criar maneiras de preservar a memória da cidade. Sua primeira medida de funcionamento foi criar inventários do patrimônio ambiental urbano.[1]

Atualmente, o órgão é constituído pelas seguintes áreas: centro de Arqueologia e pelos núcleos de documentação e pesquisa; valorização do patrimônio; de projeto, restauro e conservação; de monumentos e obras artísticas e pelo núcleo de identificação e tombamento.[1]

Das medidas que cabem ao órgão estão os processos de tombamento do município, que inclui obras como o monumento a Duque de Caxias e a estátua do Borba Gato.[9] Com o processo de tombamento, o órgão é responsável pelo mapeamento, criação do histórico da obra e fiscalização da preservação da obra.[9]

A atuação do órgão, ocorre de maneira conjunta com outros órgão de preservação da história brasileira, como o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e o Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico (CONDEPHAAT).[10] O conselho responsável pelo Departamento é o Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (CONPRESP).[11][12]

Como um Departamento, cuja missão e vocação estão ligadas umbilicalmente à própria concepção de cultura e memória do Departamento criado em 1935, deu origem a outras duas instituições importantes da Cidade de São Paulo: o Departamento dos Museus Municipais, hoje responsável pelo Museu da Cidade de São Paulo, e o Arquivo Histórico Municipal.

O DPH foi encerrado em 9 de agosto de 2023, por decreto do prefeito Ricardo Nunes que antes de reunião com representantes do mercado imobiliário alterou sua configuração, criando um setor denominado "Coordenadoria do Patrimônio Histórico" (CPH).Em nota a prefeitura disse que "A reestruturação se deve à divisão de cargos comissionados, e está publicada no decreto, assim como as funções de cada setor dentro do CPH. O intuito é otimizar e aprimorar o serviço público prestado pelo setor, pensando sempre no munícipe e na missão do CPOH de valorização e proteção do Patrimônio Histórico".[13]

Acervos

editar

O acervo possui mais de cento e cinquenta mil itens dos mais diversos assuntos sobre São Paulo.[14] Também é possível fazer uma pesquisa ao acervo de maneira digitalizada e possui todo o acervo do instituto até o ano de 2014.[15]

Centro de arqueologia

editar
 Ver artigo principal: Sítio Morrinhos

O Centro de Arqueologia de São Paulo (CASP) é vinculado ao Departamento de Patrimônio Histórico de São Paulo e conta com cinquenta e três coleções e conta com 1 milhão e 600 mil fragmentos de vestígios arqueológicos.[16] O centro é localizado no Sítio Morrinhos localizado no bairro de Casa Verde, no município de São Paulo e possuí espaço para visitação com entrada gratuita.[16][17]

Ver também

editar

Ligações externas

editar

Referências

  1. a b c «Conheça o DPH». Câmara Municipal de São Paulo. Consultado em 25 de março de 2021 
  2. Baratto, Romullo (14 de Julho de 2017). «Departamento de Patrimônio Histórico de São Paulo lança série de textos sobre os bens culturais da cidade». Archdaily. Consultado em 25 de março de 2021 
  3. «PL 28 12/03/1975» (PDF). Câmara Municipal de São Paulo. 1975. Consultado em 25 de março de 2021 
  4. Macarini, José Pedro (abril de 2011). «Governo Geisel: transição político-econômica? Um ensaio de revisão». Revista de Economia Contemporânea (1): 30–61. ISSN 1415-9848. doi:10.1590/S1415-98482011000100002. Consultado em 25 de março de 2021 
  5. Souza, Daniela (2016). «Intelectuais, ideologia e política educacional na Bahia durante a ditadura civil-militar brasileira (1964-1985)» (PDF). Universidade Estadual de Campinas. Consultado em 25 de março de 2021 
  6. Sena, Eduardo. «MÁRIO DE ANDRADE E O DEPARTAMENTO DE CULTURA DE SÃO PAULO». Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo. Consultado em 25 de março de 2021 
  7. Garcia, Lucas (22 de janeiro de 2015). «As ações culturais do Departamento de Cultura da cidade de São Paulo através dos Parques Infantis». Resgate: Revista Interdisciplinar de Cultura (2). 55 páginas. ISSN 2178-3284. doi:10.20396/resgate.v22i28.8645779. Consultado em 25 de março de 2021 
  8. «Mário de Andrade | CPDOC». CPDOC. FGV. Consultado em 25 de março de 2021 
  9. a b «Obras de arte e monumentos em logradouros públicos». Câmara Municipal de São Paulo. 20 de maio de 2008. Consultado em 25 de março de 2021 
  10. «Atuação do DPH». Câmara Municipal de São Paulo. 9 de junho de 2020. Consultado em 25 de março de 2021 
  11. «Conpresp | Secretaria Municipal de Cultura | Prefeitura da Cidade de São Paulo». Prefeitura de São Paulo. Consultado em 25 de março de 2021 
  12. TONASSO, MARIANA CAVALCANTI PESSOA (2020). «Z8-200 em decurso: caminhos e impasses da preservação cultural por zoneamento em São Paulo nos anos 1980». Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material. ISSN 1982-0267. doi:10.1590/1982-02672020v28d2e56. Consultado em 25 de março de 2021 
  13. Redação (11 de agosto de 2023). «Prefeito de São Paulo reestrutura o Departamento do Patrimônio Histórico». Aventuras na História. Consultado em 14 de agosto de 2023 
  14. «Conheça o Portal de Acervos da Secretaria Municipal de Cultura». Câmara Municipal de São Paulo. 15 de junho de 2020. Consultado em 25 de março de 2021 
  15. «ACERVOS ARTÍSTICOS E CULTURAIS DA PREFEITURA DE SÃO PAULO». Prefeitura de São Paulo. Consultado em 25 de março de 2021 
  16. a b «Centro de Arqueologia de São Paulo». Veja São Paulo. Consultado em 25 de março de 2021 
  17. «Centro de Arqueologia de São Paulo». Câmara Municipal de São Paulo. 8 de junho de 2020. Consultado em 25 de março de 2021