Abrir menu principal
Dérbi Campineiro
Guarani FC (E) - SP.svg Guarani 66 vitória(s), 261 gol(s)
Ponte Preta Simbolo 2 (Original e atual).jpg Ponte Preta 63 vitória(s), 259 gol(s)
Empates 63
Total de jogos 192
Total de gols 520
editar

Derby campineiro (ou dérbi campineiro) é o nome dado ao confronto entre Guarani Futebol Clube e Associação Atlética Ponte Preta, clássico da cidade de Campinas, cujo equilíbrio é a principal característica.

As estatísticas ao lado não apontam o resultado da primeira partida, que não tem comprovação, porque o quadro de info do clássico não prevê a possibilidade de acrescentar na estatística resultado desconhecido. Nas estatísticas então, considerem mais uma partida.[1]

Índice

HistóriaEditar

O primeiro dérbi foi realizado no dia 24 de março de 1912 e não há registro do resultado, que permanece desconhecido, sendo este o clássico de futebol mais antigo do Estado de São Paulo.[2]

O terceiro dérbi disputado seria pela Liga Operária de Foot-Ball Campineira, no dia 11 de agosto de 1912 e foi a primeira final de campeonato entre os dois clubes, que teve como campeã a Associação Athletica Ponte Preta, vencedora do "2º Campeonato Campineiro de Futebol".

O quarto dérbi, em 28 de agosto de 1914, um "desafio" realizado num campo do Parque Arraialense, no Distrito de Souzas (onde hoje existe o clube de campo do Campineiro de Regatas), acendeu o pavio da rivalidade, pois após a vitória do Guarani por 2 a 0, torcedores e diretores da Ponte Preta passaram a escrever para os jornais atribuindo ao árbitro a derrota, e os bugrinos (ainda não eram chamados assim) retrucaram, criando grande polêmica, com ofensas mútuas.

Dois anos depois, pelo Segundo Turno do Campeonato Campineiro de 1916 (conquistado pelo Guarani), a rixa chegou ao seu ápice. O jogo que se realizava num campo dentro do Hipódromo Campineiro terminou em pancadaria, envolvendo jogadores e torcedores dos dois clubes.

Se o Guarani tem participações mais relevantes a nível nacional, com seus dois títulos brasileiros (um da Série A em 1978 e um da Série B em 1981), dois vices da Série A em 1986 (Brasileiro) e 1987, dois vices da Série B em 1991 e 2009, além do vice na Série C de 2016, a Ponte tem participações mais relevantes a nível estadual, com 7 vice-campeonatos paulistas (1929, 1970, 1977, 1979, 1981, 2008 e 2017), contra dois do Guarani (1988 e 2012).

Na História do Campeonato Paulista, Guarani e Ponte Preta, são, respectivamente, o sexto e sétimo colocados em número de pontos conquistados considerando todas as edições disputadas, desde 1902.[3] Já na História do Campeonato Brasileiro, Guarani e Ponte são o 19º e o 21º colocados, nessa ordem, com quatro pontos de diferença apenas, separando a Ponte Preta da Portuguesa, a 20ª colocada dessa lista.[4]

Na Copa do Brasil a Ponte também tem melhores campanhas, um terceiro lugar em 2001 e quartas de final em 2009, enquanto o clube alviverde conseguiu chegar apenas na fase de oitavas de final.

No plano internacional ambos os clubes tem boas participações. O Guarani possui no currículo um quarto lugar na Libertadores de 1979. A Ponte tem o vice campeonato da Sul-Americana de 2013.

Em 26 de setembro de 1948, no primeiro dérbi do Estádio Moisés Lucarelli, da Ponte Preta, o Guarani venceu por 1 a 0.

Em 7 de junho de 1953, no primeiro dérbi do Estádio Brinco de Ouro, do Guarani, a Ponte Preta venceu por 3 a 0.

As maiores goleadas pertencem ao Guarani: 6 a 0 em 5 de junho de 1960 (amistoso) e 5 a 1 em 28 de agosto de 1955 (Campeonato Paulista).

A maior sequência de invencibilidade pertence a Ponte Preta, quando ficou 16 partidas sem perder entre 1979 a 1984.

No dia 24 de março de 2012, exatamente no dia em que o clássico completava 100 anos de história, houve um confronto entre as duas equipes, válido pela 15ª rodada do Campeonato Paulista. O jogo terminou empatado por 1 a 1.[5]

Fundação dos clubesEditar

Ponte Preta - 11 de agosto de 1900Editar

 
Moisés Lucarelli.

Fundada como Associação Athletica Ponte Preta. Em 1870, deu-se início à construção da Ferrovia Paulista, indo de Jundiaí a Campinas. A instalação dos trilhos requisitava a construção de uma ponte. A ponte era de madeira, e para melhor conservação, tratada com piche. Assim, enegrecida, surgiu o Bairro da Ponte Preta, em 1872.

A Associação Atlética Ponte Preta surgiu em 1900, graças a vários alunos do Colégio Culto à Ciência, que praticavam futebol no bairro da Ponte Preta. Eram eles: Miguel do Carmo, Luiz Garibaldi Burghi, Antonio Oliveira (o Tonico Campeão), Alberto Aranha, Dante Pera, Zico Vieira e Pedro Vieira da Silva (primeiro presidente da história do clube).

A data teve como objetivo homenagear a inauguração da ferrovia em Campinas, datada de 11 de agosto de 1872.

Seu estádio é o Moisés Lucarelli inaugurado em 12 de setembro de 1948.

Guarani - 2 de abril de 1911Editar

 
Brinco de Ouro da Princesa

Fundado como Guarany Foot-Ball Club. A fundação do clube foi uma iniciativa de Pompeo De Vito, Hernani Felippo Matallo e Vicente Matallo (o primeiro presidente).

Cerca de 12 jovens se encontraram no dia 1º de abril de 1911 na Praça Carlos Gomes, quando escolheram o nome em homenagem à ópera O Guarani, obra mais conhecida do maestro e compositor clássico Carlos Gomes (baseada no romance homônimo de José de Alencar), um dos mais ilustres cidadãos campineiros.

A data de fundação oficial foi registrada no Estatuto do Guarani como 2 de abril, segundo versões divulgadas, seria para evitar piadas em relação ao Dia da Mentira.

Seu estádio é o Brinco de Ouro da Princesa, inaugurado em 31 de maio de 1953.

Estatísticas do DérbiEditar

Números por competiçãoEditar

Competição Jogos Vitórias do Guarani Empates Vitórias da Ponte Preta Gols do Guarani Gols da Ponte Preta Total de Gols
Amistosos 28 14 7 7 45 38 83
Campeonato Brasileiro 20 6 7 7 19 24 43
Taça Cidade de Campinas 11 4 3 4 18 20 38
Campeonato Paulista 79 20 33 26 89 101 190
Campeonato Campineiro 33 13 8 12 50 45 95
Torneio Rio-São Paulo 1 0 1 0 1 1 2
Campeonato do Interior 9 2 3 4 10 13 23
Taça Amizade 12 4 5 3 19 17 36

RecordesEditar

  • Maior goleada do Guarani: 6 a 0 em 5 de junho de 1960.[6]
  • Maior goleada da Ponte: 4 a 0 em três ocasiões: 7 de setembro de 1943, 6 de julho de 1952 e 22 de agosto de 1954.
  • Maior invencibilidade: Ponte Preta, 16 jogos sem derrota (1979 a 1984).
  • Maior artilheiro do Guarani: Zuza, com 17 gols.
  • Maior artilheiro da Ponte: Cilas, 9 gols.
  • Maior artilheiro do Guarani em um jogo: Zuza, 4 gols em 4 de julho de 1943.
  • Maior artilheiro da Ponte em um jogo: Átis, Gigena e Weldon, todos com 3 gols em 1952, 2003 e 2004.
  • Jogador que mais atuou pelo Guarani: Silva, 30 partidas entre 1935 e 1947.
  • Jogador que mais atuou pela Ponte: Bruninho, 44 partidas entre 1942 e 1959.

Jogos válidos pelo Campeonato CampineiroEditar

Jogos válidos pelo Campeonato PaulistaEditar

Jogo válido pelo Torneio Rio-São PauloEditar

  • Guarani 1–1 Ponte Preta, 6 de abril de 2002, (Est. Brinco de Ouro), Público: 11.731 - (Est. Brinco de Ouro).[7]

Jogos válidos pelo Campeonato BrasileiroEditar

Série A
  • Guarani 0–0 Ponte Preta, 3 de outubro de 1976, Público: 14.285 - (Est. Brinco de Ouro).
  • Guarani 0–1 Ponte Preta, 20 de novembro de 1977, Público: 22.309 - (Est. Brinco de Ouro).
  • Guarani 2–1 Ponte Preta, 23 de abril de 1978, Público: 21.397 - (Est. Brinco de Ouro).
  • Guarani 1–1 Ponte Preta, 10 de julho de 1985, Público: 15.505 - (Est. Brinco de Ouro).
  • Ponte Preta 0–0 Guarani, 17 de julho de 1985, Público: 13.904 - (Est. Moisés Lucarelli).
  • Guarani 2–0 Ponte Preta, 26 de julho de 1998, Público: 22.139 - (Est. Brinco de Ouro).
  • Ponte Preta 0–0 Guarani, 18 de agosto de 1999, Público: 22.609 - (Est. Moisés Lucarelli).
  • Guarani 2–1 Ponte Preta, 2 de novembro de 2000, Público: 21.539 - (Est. Brinco de Ouro).
  • Ponte Preta 1–1 Guarani, 21 de outubro de 2001, Público: 17.125 - (Est. Moisés Lucarelli).
  • Guarani 2–4 Ponte Preta, 28 de outubro de 2002, Público: 16.384 - (Est. Brinco de Ouro).
  • Ponte Preta 0–2 Guarani, 14 de junho de 2003, Público: 8.918 - (Est. Moisés Lucarelli).
  • Guarani 1–3 Ponte Preta, 11 de outubro de 2003, Público: 8.795 - (Est. Brinco de Ouro).
  • Ponte Preta 3–1 Guarani, 10 de julho de 2004, Público: 6.819 - (Est. Moisés Lucarelli).
  • Guarani 0–0 Ponte Preta, 24 de outubro de 2004, Público: 10.094 - (Est. Brinco de Ouro).
Série B
  • Ponte Preta 0–1 Guarani, 20 de junho de 2009, Público: 12.959 - (Est. Moisés Lucarelli).
  • Guarani 2–1 Ponte Preta, 26 de setembro de 2009, Público: 17.287 - (Est. Brinco de Ouro).
  • Ponte Preta 2–0 Guarani, 16 de julho de 2011, Público: 17.093 - (Est. Moisés Lucarelli).
  • Guarani 0–3 Ponte Preta, 15 de outubro de 2011, Público: 9.571 - (Est. Brinco de Ouro).
  • Guarani 2–3 Ponte Preta, 5 de maio de 2018, Público: 18.078 - (Est. Brinco de Ouro).
  • Ponte Preta 0–0 Guarani, 25 de agosto de 2018, Público: 15.053 - (Est. Moisés Lucarelli).

Maiores públicosEditar

Publicações sobre o DérbiEditar

LivrosEditar

  • Brasil de Oliveira, Todo ele Futebol - Elizabete Morais Delfino e Myriam Wonsik (1997);
  • A maldição dos eternos domingos sem Derby - Luiz Roberto Saviani Rey (2010);
  • Clássicos do Futebol Brasileiro - José Renato Sátiro Santiago Jr. e Marcelo Unt (2014);
  • Almanaque dos dérbis campineiros - os 106 anos da maior rivalidade do Brasil - Fernando Pereira da Silva (2018);

VídeosEditar

  • Ponte Preta x Guarani - Clássicos Parte 1;
  • Ponte Preta x Guarani - Clássicos Parte 2;
  • Pacaembu: O dia que Campinas invadiu São Paulo - Roteiro e edição: Plácido Berci; Entrevistas: Plácido Berci, Pedro Maues e Vinícius Conde; Imagens: Bruno Schubert e Danilo Leone; Imagens de arquivo: Cedoc EPTV;
  • Amor e Rivalidade - A verdadeira história do Dérbi Campineiro - Direção: Lucas Almeida, Luka Arantes; Produção: Alexandre Fanalli, Lucas Almeida, Luka Arantes e Marcelo Santos; Todos os direitos reservados a ColorBox Filmes;

Referências

Ligações externasEditar