Abrir menu principal
Derek Briggs
Nascimento 1 de outubro de 1950 (68 anos)
New Haven, Connecticut
Nacionalidade Estados Unidos Estadunidense
Prêmios Medalha Lyell (2000), Medalha da Sociedade Paleontológica (2015)
Campo(s) Paleontólogo, tafonomia

Derek Ernest Gilmor Briggs (New Haven, Connecticut, 1 de outubro de 1950) é um paleontólogo e tafonomista irlandês ativo no Canadá. É um dos três paleontólogos, ao lado de Harry Blackmore Whittington e Simon Conway Morris, que foram chave para a reinterpretação dos fósseis do Folhelho Burgess. Ele atua como Professor G. Evelyn Hutchinson de Geologia e Geofísica da Universidade Yale e diretor e curador da paleontologia dos invertebrados do Museu Peabody de História Natural.

Na Universidade de Cambridge, Briggs trabalhou nos fósseis do Cambriano Médio do Folhelho Burgess ao lado dos paleontólogos Harry Blackmore Whittington e Simon Conway Morris na excepcionalmente bem preservada fauna do Folhelho Burgess. O projeto Folhelho Burgess se tornou um dos empreendimentos mais célebres no campo da paleontologia na segunda metade do século XX.

Briggs é atualmente diretor do Instituto Yale para Estudos Biosféricos, professor do Departamento de Geologia e Geofísica e curador encarregado da paleontologia de invertebrados no Museu de História Natural Peabody. Em julho de 2008 tomou posse como diretor do museu. Briggs é um companheiro da Royal Society e vencedor em 2001 da Medalha Boyle.

As investigações de Briggs são sobre tafonomia, ou preservação, e o significado evolutivo dos biotas fósseis excepcionalmente preservados conhecidos como Lagerstätten – formações de fósseis, que incluem provas de tecido mole da fauna. Seu trabalho envolveu uma série de trabalhos experimentais sobre os fatores que controlam a decomposição e fossilização, através de estudos de mineralizações precoces e conservação biológica, ao trabalho de campo em uma série de ocorrências de fósseis.