Deutéria

Deutéria (em latim: Deoteria) foi uma nobre galo-romana do começo do século VI e então rainha da Austrásia entre 533, quando casou-se com Teodeberto I (r. 533–548), até seu divórcio ca. 540.

Suavegoda
Rainha da Austrásia
Reinado 533-540
Antecessor(a) Suavegoda
Sucessor(a) Visigarda
Cônjuge Aristocrata de nome incerto
Teodeberto I
Descendência Teodebaldo
Dinastia merovíngia

VidaEditar

Deutéria era casada com um indivíduo de nome incerto, tinha uma filha e morava em Cabrières, na Septimânia. Com a ausência de seu marido, tornou-se amante de Teodeberto I (r. 533–548) e foi por ele desposada após sua coroação em 533. O historiador Ian N. Wood sugere que este casamento, bem como aquele entre o rei visigótico Ataúlfo (r. 410–415) e Gala Placídia, irmã do imperador romano ocidental Honório (r. 395–423) e filha de Teodósio I (r. 378–395), são exemplos da união entre as famílias aristocráticas provinciais romanas e as germânicas numa realidade onde os interesses em comum eram suficientes para facilitar o entendimento mútuo através de casamentos e outras uniões.[1]

Em data desconhecida, Deutéria ordenou o assassinato de sua filha pois, segundo Gregório de Tours, temia que tomasse o olho de Teodeberto enquanto crescia.[2] Também em data incerta, deu à luz Teodebaldo (r. 548–555), o sucessor de Teodeberto. Em 540, Teodeberto a abandonou para se casar com Visigarda, filha do rei lombardo Vacão (r. 510–539). Nada mais se sabe sobre ela.[3]

Referências

  1. Wood 2000, p. 436.
  2. Martindale 1992, p. 396.
  3. Martindale 1992, p. 396; 1227.

BibliografiaEditar

  • Martindale, John R.; Jones, Arnold Hugh Martin; Morris, John (1992). «Deoteria; Theodebaldus I». The Prosopography of the Later Roman Empire - Volume III, AD 527–641. Cambridge e Nova Iorque: Cambridge University Press. ISBN 0-521-20160-8 
  • Wood, Ian N. (2000). «Family and friendship in the West». In: Cameron, Averil; Bryan Ward-Perkins; Michael Whitby. The Cambridge Ancient History, Volume 14 - Late Antiquity: Empire and Successors, A.D. 425-600. Cambridge: Cambridge University Press. ISBN 0-521-32591-9