Diário do Centro do Mundo

Portal de notícias

Diário do Centro do Mundo (DCM) é um site digital político de esquerda brasileiro criado pelo jornalista Paulo Nogueira (1956–2017).[1][2][3] Propõe-se a publicar um resumo dos fatos mais importantes do dia em áreas de interesse do público: política, economia, esporte, moda, cultura etc., fornecendo links para matérias de veículos brasileiros e estrangeiros, além de publicar análises e opiniões da sua própria equipe de jornalistas e de blogueiros.[4]

Diário do Centro do Mundo
Nn&A Produções Jornalísticas Ltda.
Slogan O que interessa – e nada mais
Proprietário(s) Paulo Nogueira (até junho de 2017)
Requer pagamento? Não
Gênero Portal
Idioma(s) Português
Lançamento 2009
Endereço eletrônico diariodocentrodomundo

Atualmente, o DCM está organizado em oito seções: Política, Brasil, Mundo, Mídia, Comportamento, Cultura, Economia, Esporte e uma seção de Especiais.

Desde a sua criação, o DCM tem sido crítico aos grandes grupos de comunicação do Brasil[3][5] - Abril, Globo, Folha e Estado.

O jornal também repercute o conteúdo da mídia impressa e digital de esquerda, incluindo as revistas Carta Capital, Caros Amigos, Conversa Afiada, Brasil 247, o portal Portal Vermelho, a revista Fórum, os sites Jornal GGN (de Luís Nassif), Opera Mundi, Outras Palavras, Ponte Jornalismo, Jornalistas Livres e Mídia Ninja.[3]

Em 2016, o DCM participou de uma iniciativa coletiva contra a Globo no Sindicato dos Jornalistas de São Paulo. O blog havia recebido uma notificação extrajudicial da emissora pedindo que parasse de noticiar a respeito de um triplex da família Marinho em Paraty. O evento reuniu parlamentares, entidades da sociedade civil e veículos da mídia alternativa.[6]

História

editar

O Diário do Centro do Mundo foi criado em 2009, primeiro como a coluna do jornalista Paulo Nogueira, que era então correspondente da revista Época em Londres[7] (daí vem o nome "centro do mundo"); depois tornou-se um blog de Paulo Nogueira. Em janeiro de 2013, tornou-se um site de hard news[8] claramente posicionado à esquerda.[3] A mudança foi definida com a introdução de novo layout e o ingresso na equipe de Kiko Nogueira,[9] criador da revista Alfa, irmão de Paulo e também jornalista.[10][11]

Em seus primeiros 10 meses de atividade, o portal contava com uma média de um milhão de visitantes por mês.[12] Esse número foi quadruplicado em setembro de 2015, quando o total de acessos chegou a cerca de quatro milhões de usuários por mês.[13] Em abril de 2017, o DCM informou ter tido 2,4 milhões de visitantes únicos, com 13 milhões de visualizações, segundo o Google Analytics.[14][15]

Em 2015, o jornal DCM teve incluído seu nome na divulgação de repasses oriundos de empresas estatais para jornais considerados como "mídia alternativa" pelo governo, o jornalista Fernando Rodrigues, que através da Lei de acesso à informação conseguiu dados referentes aos repasses, publicou os valores recebidos pela DCM no Governo Dilma Rousseff, em 2014 os valores chegaram ao total R$ 209.629,00.[16]

Em junho de 2016, logo após assumir a presidência da República interinamente, Michel Temer decidiu suspender os contratos das empresas estatais e ministérios com veículos da mídia eletrônica, dentre os quais o DCM, considerando-os contrários ao interesse público.[17] Ao mesmo tempo, os pagamentos a veículos da grande imprensa, a título de veiculação de publicidade governamental, cresceriam substancialmente, segundo divulgou o próprio DCM.[18] Ainda em 2016, por ocasião do lançamento do livro Golpe 16, jornalistas alertaram para a possibilidade de a perseguição política à chamada blogosfera desenvolver-se a partir de três eixos: criminalização dos sites, lawfare e asfixia financeira.[19][20]

Durante a eleição presidencial de 2014, o DCM encomendou um documentário intitulado Helicoca – O Helicóptero de 60 Milhões de Reais, que relatava uma apreensão de drogas pela polícia em um helicóptero da família Perrella, que era aliada político do candidato a presidente Aécio Neves. O documentário foi removido do YouTube devido a uma reivindicação de direitos autorais.[21] Além disso, por decisão judicial, o site foi proibido de associar Perrella ao termo "Helicoca".[22][23]

Em 16 de julho de 2020, o portal DCM foi acusado de publicar notícias falsas contra o Vice-Presidente Nacional do PDT, Ciro Gomes, dizendo que Marcos Valério, conhecido por seu envolvimento no Escândalo do Mensalão, teria realizado pagamentos para a campanha do então ex-candidato a presidente.[24] Conforme demonstrado pelo site oficial da Câmara dos Deputados, tal acusação é infundada.[25]

Ciro Gomes foi condenado a indenizar em R$ 40 mil o site Diário do Centro do Mundo e o diretor da publicação, Kiko Nogueira, por dizer que eles são “picaretas que o PT contrata nas piores escolas do jornalismo brasileiro”. Em decisão publicada em 2 de fevereiro de 2023, a 3ª Turma Cível do Colégio Recursal de São Paulo entendeu que houve atribuição de crimes por Ciro contra a equipe de jornalistas, o que gerou abalos às reputações deles[26].

Ver também

editar

Referências

  1. Lima, Cecília Almeida Rodrigues; Calazans, Janaina de Holanda Costa; Dantas, Ivo Henrique (1 de outubro de 2020). «(DES)INFORMAÇÃO EM CÂMARAS DE ECO DO TWITTER: disputas sobre a cloroquina na pandemia da Covid-19». Revista Observatório (6): a5pt–a5pt. ISSN 2447-4266. doi:10.20873/uft.2447-4266.2020v6n6a5pt. Consultado em 23 de março de 2021 
  2. da Silva, Amanda Veríssimo; de Almeida, Luiza Gurgel Queiroz; Dantas, Daiany Ferreira. «Elas são Feias e Nós Somos Lindas: a Performance da Ideologia de Gênero da Ministra Damares nos Vídeos do Canal Diário do Centro do Mundo» (PDF). Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação. Anais do XXI Congresso de Ciências da Comunicação na Região Nordeste 
  3. a b c d Paulo Nogueira, DCM e sua herança de mídia democrática no Brasil. Por Pedro Zambarda. Portal Comunique-se, 3 de julho de 2017.
  4. DCM. Sobre nós
  5. As 11 técnicas de manipulação midiática contra Lula. Por Willy Delvalle. DCM, 17 de julho de 2017.
  6. «Blogs livres anunciam ato contra censura da TV Globo». Vermelho. 1 de março de 2016. Consultado em 25 de janeiro de 2022 
  7. Paulo Nogueira vai para Editora Globo. Portal Negócios da Comunicação.
  8. Círculo Folha. Folha Online.
  9. Kiko Nogueira. Portal dos Jornalistas.
  10. Entrevista com Kiko Nogueira, diretor de redação da ALFA. Por Guilherme Nascimento Valadares. Papo de Homem, 4 de março de 2011.
  11. For Brazilian Official and Family, Controversy Over a Trip. By Seth Kugel. The New York Times, 3 de julho de 2013.
  12. Crescemos dez vezes em dez meses: uma prestação de contas para nossos leitores. Por Paulo Nogueira. DCM, 9 de dezembro de 2013
  13. «O jornalismo está vivíssimo. Quem está em apuros são as grandes empresas jornalísticas». Por Adriano Silva. Draft. 7 de setembro de 2015. Consultado em 17 de julho de 2017 
  14. DCM. Mídia Kit 2017
  15. Alexa.com. Estatísticas de tráfego
  16. «Publicidade federal para mídia alternativa vai a R$ 9,2 milhões em 2014...». Blog Fernando Rodrigues - UOL. 2 de julho de 2015. Consultado em 27 de julho de 2022 .
  17. Temer suspende patrocínio de 11 milhões para blogs políticos. Por Catarina Alencastro e Paulo Celso Pereira. O Globo, 18 de junho 2016.
  18. Governo Temer aumenta em 78% publicidade na Folha/Uol. DCM, 1º de outubro de 2016.
  19. Livro Golpe 16 é lançado com ato em São Paulo. Fórum, 12 de setembro de 2016]
  20. Brasília recebe lançamento do livro Golpe 16. FNDC - Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação, 19 de outubro de 2016.
  21. Brazilian Bloggers Claim Presidential Candidate is Censoring His Critics on YouTube. Global Voices - Advox, 23 de outubro de 2014.
  22. «Justiça de Brasília proíbe site de associar Perrella ao termo 'Helicoca'». Poder360. 29 de agosto de 2017. Consultado em 25 de janeiro de 2022 
  23. Oliveira, Thaísa (20 de julho de 2018). «Caso 'helicoca': senador Zezé Perrella perde briga com o Google». Gazeta do Povo. Consultado em 20 de abril de 2022 
  24. «A nova bizarra fake news contra Ciro». O Cafezinho. 17 de julho de 2020. Consultado em 22 de julho de 2020 
  25. «Correção/ Delúbio não disse que Valério pagou dívidas de campanha de Ciro - Notícias». Portal da Câmara dos Deputados. Consultado em 22 de julho de 2020 
  26. «Ciro Gomes deverá indenizar DCM por dizer que é 'tudo picareta' contratado pelo PT». JOTA Info. 6 de fevereiro de 2023. Consultado em 10 de março de 2023 

Ligações externas

editar