Abrir menu principal

Dieta

Prática de comer alimentos de forma regulamentada e supervisionada
(Redirecionado de Dieta (nutrição))
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Dieta (desambiguação).
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde dezembro de 2012). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a incoerências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde junho de 2009). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a coerência e o rigor deste artigo.

A palavra dieta é comumente associada a uma espécie de regime alimentar adotado por determinada pessoa para fins de emagrecimento ou melhoria do quadro clínico de saúde, sendo comumente dotado de restrições alimentares e com um tempo definido de duração[1]. Essa concepção popular da palavra limita seu significado, uma vez que não abrange toda a gama de definições que seu conceito carrega, restringindo-o ao simples conceito de restrição alimentar temporária.

Porém, diferentemente da concepção popular, dieta é a ingestão de comida ou bebida que um ser humano ou animal adotam, ou seja, é o que se come todos os dias[2]. E, também, refere-se aos hábitos alimentares individuais como, por exemplo, o onivorismo, vegetarianismo e veganismo. Cada pessoa tem uma dieta específica. Cada cultura costuma caracterizar-se por dietas particulares. Para seguir uma dieta específica a determinado fim, convém consultar um nutricionista, a fim de conhecer a dieta adequada ao seu organismo.

DIETA MEDITERRANEA ITALIA.JPG

A escolha de alimentos saudáveis na proporção correta, bem como a prática de exercício físico com orientação de um especialista e devido acompanhamento médico, são considerados fatores essenciais para a manutenção da saúde. Uma "dieta" restritiva e que não tenha em conta as necessidades do organismo poderá ter efeitos desastrosos.[3] Por isso, uma adequada avaliação nutricional individual evita desequilíbrios na dieta que podem levar a problemas de saúde, tais como deficiências nutricionais específicas ou calórico-proteicas e o excesso de peso ou obesidade.

O Guia Alimentar para a População Brasileira é um documento oficial que aborda os princípios e as recomendações de uma alimentação adequada e saudável para a população brasileira[4]. O Guia deixa claro que uma alimentação adequada e saudável vai além de aspectos biológicos e sociais do indivíduo, devendo estar de acordo com as necessidades alimentares especiais, respeitar a cultura do indivíduo, ser acessível do ponto de vista físico e financeiro e deve prezar pelo equilíbrio e pelo prazer.

Diversas das dietas tornaram-se populares nas últimas décadas, umas passageiras, outras polêmicas e outras com maior comprovação científica. Assim, há de se considerar também que são várias as apropriações errôneas que podem ser feitas da palavra a partir das tais “dietas da moda”, que estão se tornando cada vez mais populares e se propagando com facilidade, já que são frequentemente alvos de conversas rotineiras[5].

Exemplos:

  • Dieta de Atkins. Restrição radical ao consumo de carboidratos, ou seja massas, doces, açúcares, e até mesmo frutas e verduras.
  • Dieta de South Beach. Restrição total de carboidratos em seu início, evoluindo com restrição parcial, permitindo carboidratos ricos em fibras.
  • Dieta do supercafé da manhã. Dieta com restrição de carboidratos com ênfase calórica na primeira refeição do dia.
  • Dieta dash. Desenvolvida por especialistas americanos para combater a hipertensão arterial.
  • Dieta sanguinea
  • Dieta Detox: Dieta com o intuito de eliminar toxinas e radicais livres por meio do consumo de sucos, chás, entre outros tipos de preparações, as quais possuem alimentos com propriedades antioxidantes e quelantes naturais.
  • Dieta sem glúten e sem lactose: Recomendada para pessoas que possuem doença celíaca e intolerância à lactose, respectivamente. Trata-se da restrição total ou parcial do consumo de alimentos que contenham glúten ou lactose.

Ver tambémEditar

Referências

  1. Santos, Ligia Amparo da Silva (2010). «Da dieta à reeducação alimentar: algumas notas sobre o comer contemporâneo a partir dos programas de emagrecimento na Internet». Physis: Revista de Saúde Coletiva. 20 (2): 459–474. ISSN 0103-7331. doi:10.1590/s0103-73312010000200007 
  2. Graça, Pedro; Falcato, Joana (2015-3). «A Evolução Etimológica e Cultural do Termo "Dieta"». Revista Nutrícias (24): 12–15. ISSN 2182-7230  Verifique data em: |data= (ajuda)
  3. Santos, Ligia Amparo da Silva (2010). «Da dieta à reeducação alimentar: algumas notas sobre o comer contemporâneo a partir dos programas de emagrecimento na Internet». Physis: Revista de Saúde Coletiva. 20 (2): 459–474. ISSN 0103-7331. doi:10.1590/s0103-73312010000200007 
  4. Nutrição., Brazil. Coordenação-Geral de Política de Alimentação e (2006). Guia alimentar para a população brasileira : promovendo a alimentação saudável. [S.l.]: Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departmento de Atenção e Nutrição, Coordenação-Geral da Política de Alimentação e Nutrição. OCLC 642318588 
  5. Hodgson, Patricia (1984). «Review of Popular Diets». Dordrecht: Springer Netherlands: 1–16. ISBN 9789401167215