Dinastia mirânida

A dinastia mirânida foi uma dinastia da Albânia que reinou do final do século VI ao começo do século VIII. Alegou descender dos persas sassânidas, mas provavelmente foi de origem parta.[1][2] A dinastia foi fundada por um certo Miranes, um parente distante dos sassânidas, assentado na região de Gardamana, em Uti. Foi provavelmente um membro da família mirânida que estava listada entre as Sete Grande Casas da Pérsia, e cujas duas outras linhagens reinaram na Ibéria (dinastia cosroida) e Gogarena.[3] Sua família veio ao poder quando seu bisneto matou quase todos os membros da antiga dinastia reinante - "os Eṙanšahiks [xás de Arram], a antiga família armênia nativa (haykazean) [...] Poupando apenas Zarmir Arranxá."[4]

Os representantes mais proeminentes da família no século VII foram Varaz Gregório, seu filho Javanxir, e Varaz-Tirídates I. A dinastia mirânida assumiu o título persa de "xás de Arram" (Arranshahs, o nome persa da Albânia). A família reinante chegou ao fim após o assassinato de Varaz-Tirídates II por Narses Pilipeano em 822-823.[1] Depois, Sal, filho de Simbácio, um descendente da família Arranxá,[5] assumiu o título de arranxá (arranshah)[6] e reinou sobre uma parte significativa da Albânia.

Referências

  1. a b «ARRĀN» (em inglês). Consultado em 24 de janeiro de 2014 
  2. «ALBANIA» (em inglês). Consultado em 24 de janeiro de 2014 
  3. Toumanoff 1969, p. 22.
  4. Cagankatvatsi 1961, p. 108-109.
  5. Moisés de Dascurene século X, III.XX; III.XXIII.
  6. Minorsky 1953, p. 504-509.

BibliografiaEditar

  • Moisés de Dascurene (1961). Charles Dowsett (tradutor), ed. The History of the Caucasian Albanians by Movses Dasxuranci. Londres: Oxford University Press 
  • Minorsky, Vladimir (1953). «Caucasica IV». Universidade de Londres. Bulletin of the School of Oriental and African Studies. 15 (3) 
  • Toumanoff, Cyril (1969). «Chronology of the Early Kings of Iberia». Traditio 25. 25