Dino da Costa

futebolista brasileiro

Dino da Costa (Rio de Janeiro, 1 de agosto de 1931Verona, 10 de novembro de 2020) foi um futebolista brasileiro que naturalizou-se italiano. No Brasil, era chamado apenas de Dino, e na Itália, pelo sobrenome.

Dino da Costa
Nascimento 1 de agosto de 1931
Rio de Janeiro, Brasil
Morte 10 de novembro de 2020 (89 anos)
Verona, Itália
Cidadania Brasil
Estatura 182 cm
Ocupação futebolista

Jogou como atacante. Foi campeão pelo Botafogo do Torneio Municipal em 1951 e do Torneio Quadrangular Interestadual em 1954, com a participação do Fluminense FC (RJ), SC Internacional (RS) e SE Palmeiras (SP).

CarreiraEditar

ClubesEditar

Dino da Costa foi revelado pelo Botafogo de Futebol e Regatas no ano de 1948. No alvinegro carioca, atuou ao lado de craques como Nílton Santos e Garrincha. Após uma excursão do Botafogo pela Europa, Dino da Costa foi vendido para o futebol italiano, junto com Luís Vinício, em 1955; Dino para a Roma e Vinício para o Napoli. Estreou pelo time da capital em 18 de Setembro de 1955, numa partida contra o Vicenza, e logo em sua primeira atuação marcou um gol.

Dino da Costa foi o artilheiro do Campeonato Italiano na temporada 1956–57 ao marcar 22 gols.[1] Ficou no clube da capital italiana até a temporada 1961-62, tendo, porém, jogado pela ACF Fiorentina na temporada 1960-1961. Atuou ainda por Atalanta, Juventus, Hellas Verona e Ascoli, onde encerrou a carreira ao final da temporada 1967-68.

No total na Série A fez 108 gols em 282 jogos. Pela Roma, o clube em que mais fez sucesso na Itália, somando-se Série A e outras competições, fez 163 partidas e 82 gols.

Seleção ItalianaEditar

Jogou uma partida pela Seleção Italiana de Futebol, contra a Irlanda do Norte no dia 15 de Janeiro de 1958. A Itália perdeu o jogo por 2 a 1, mas o gol da Azzurra foi marcado por Dino da Costa. O jogo era válido pelas eliminatórias para a Copa do Mundo de 1958 e era uma decisão entre as duas seleções por uma vaga no mundial da Suécia. Curiosamente, Da Costa formou o trio de ataque italiano com outros dois sul-americanos, a dupla uruguaia que virou o jogo e deu o título para a Celeste na Copa do Mundo de 1950 sobre seu país: Alcides Ghiggia, seu colega de Roma, e Juan Alberto Schiaffino.[2]

A Itália tinha a vantagem do empate, mas em meia hora sofreu dois gols.[2] Da Costa marcou a onze minutos do fim, mas a reação foi interrompida logo em seguida, pois Ghiggia foi expulso.[2] Os britânicos, que jogavam em casa, souberam manter o resultado e se classificaram. Foi a última vez que a Itália ficou de fora de uma Copa. Apesar de ter se salvado em meio à decepção, Da Costa não jogou mais pela Seleção Italiana.

MorteEditar

Morreu em 10 de novembro de 2020, aos 89 anos, em Verona.[1]

Referências

  1. a b Piacentini, Gianluca (10 de novembro de 2020). «Dino Da Costa, addio a una leggenda della Roma e re del gol (12) nei derby contro la Lazio». Corriere della Sera (em italiano). Consultado em 10 de novembro de 2020 
  2. a b c "A geopolítica da bola", Max Gehringer, Especial Placar: A Saga da Jules Rimet fascículo 6 - 1958 Suécia, fevereiro de 2006, Editora Abril, págs. 10-15
  Este artigo sobre futebol brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.