Abrir menu principal

Diocese de Corumbá

Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Diocese de Santa Cruz de Corumbá
Corumbensis
Catedral de Nossa Senhora da Candelária, em Corumbá
Localização
País  Brasil
Arquidiocese metropolitana Arquidiocese de Campo Grande
Estatísticas
População 105 300
Área 65.303 km²
Informação
Rito Romano
Criação 10 de março de 1910 (109 anos)
Padroeiro(a) Nossa Senhora da Candelária
Governo da diocese
Bispo João Aparecido Bergamasco
Bispo emérito Dom Segismundo Martínez Álvarez
Jurisdição Diocese
Página oficial www.cnbboeste1.org.br
www.catholic-hierarchy.org
dados em catholic-hierarchy.org

A Diocese de Santa Cruz de Corumbá ou apenas Diocese de Corumbá (em latim: Dioecesis Corumbensis) é uma circunscrição eclesiástica da Igreja Católica situada em Corumbá, no estado brasileiro de Mato Grosso do Sul. Foi erguida pelo Papa São Pio X em 5 de abril de 1910,[1] através da Bula Papal Novas Constituere, seguindo o rito romano.

Inicialmente com jurisdição eclesiástica sobre metade do então estado de Mato Grosso (o que inclui todo o território do atual estado de Mato Grosso do Sul), atualmente a diocese abrange somente o território do município de Corumbá, que está dividido em seis igrejas em Corumbá e uma em Ladário. Anteriormente vinculada ao sufragânea da Arquidiocese de Cuiabá, a diocese está hoje na dependência imediata da Arquidiocese de Campo Grande (unidade arquidiocesana desmembrada de Corumbá). Desde dezembro de 2004, o bispo de Corumbá é o espanhol Dom Segismundo Martínez Álvarez.

Apoiada pelas comunidades religiosas presentes em Corumbá, a diocese possui uma vasta rede de serviços de assistência social e de educação. A Diocese de Corumbá tem Nossa Senhora da Candelária como santo padroeiro.

HistóriaEditar

A história da Diocese de Corumbá tem inicío conturbado com a construção, em 1885, da Igreja Matriz Nossa Senhora da Candelária (nessa época a cidade pertencia à Diocese de Cuiabá), sendo a causa de uma grande polêmica na época. Julgando-se um herói da Guerra do Paraguai (o que nunca foi comprovado), ao sobreviver das torturas e das perseguições impostas pelos paraguaios, o pregador imperial e vigário da vara, Frei Mariano de Bagnaia, mandou erguer a igreja em sua homenagem. O bispado não concordou e o frei teria jogado uma praga na cidade. Diz a lenda que Corumbá não se desenvolveria enquanto não fossem descobertas as sandálias de Mariano, enterradas em local desconhecido. Coincidência ou não, a cidade sofre uma estagnação econômica desde o fim do comércio fluvial. A Igreja foi inaugurada em 1887, com solenidade do ritual romano (atualmente um Brasão da Coroa Portuguesa se destaca em seu altar).

DioceseEditar

A fundação oficial da Diocese de Corumbá ocorreu 23 anos depois, em 5 de abril de 1910, sendo desmembrada integralmente da Arquidiocese de Cuiabá, por meio da Bula Papal Novas Constituere. Na época, a diocese abrangia a área que hoje corresponde ao Estado de Mato Grosso do Sul e parte de Mato Grosso. Inicialmente, era formada por cinco paróquias: Santa Cruz - hoje Nossa Senhora da Candelária (Corumbá), São José de Herculanea (Coxim), Nossa Senhora do Carmo (Miranda), Santa Rita (Nioaque) e Santa Ana (Paranaíba).

Em 1929 foi desmembrada a região de Diamantino para a fundação da Prelazia de Diamantino. Em 1940 originou parte do território da Prelazia de Rondonópolis. 50 anos depois, em 1957, deu origem às dioceses de Dourados e Campo Grande e 25 anos depois, em 31 janeiro de 1981, deu origem a Diocese de Jardim.

Situação atualEditar

Desde os anos 80, a Diocese de Corumbá experimenta uma diminuição preocupante no número de católicos e de sacerdotes diocesanos. Esta situação de declínio e de uma possível crise é considerada irônica visto que Corumbá foi um dos contribuintes fulcrais para a disseminação e crescimento do Catolicismo no Brasil.

BisposEditar

TerritórioEditar

A Diocese compreende os municípios de Corumbá e de Ladário - praticamente toda a região do Pantanal de Mato Grosso do Sul, no Brasil - e o seu território é subdividido em 9 paróquias e uma forania:

Forania de CorumbáEditar

Corumbá
Ladário
  • Nossa Senhora dos Remédios

EstatísticaEditar

A diocese termina o ano de 2006 com uma população de 105.300 e contava com 87.100 católicos, ou 82.7% do total.

ProcissõesEditar

Anualmente, a Diocese organiza 3 grandes e tradicionais procissões anuais:

  • a Festa de Nossa Senhora da Candelária, Em fevereiro, comemora-se em Corumbá, a Festa de Nossa Senhora da Candelária, padroeira da cidade. Nesse dia é feriado municipal. É realizada uma novena 9 dias antes da data, no dia acontece a quermesse e em seguida a grandiosa procissão.
  • a Festa do Banho de São João, Arraial do Banho de São João é realizado durante quatro dias na cidade. O ponto alto acontece no início da noite de 23 para 24 de junho, com o tradicional Banho de São João. Festa de origem portuguesa seu ponto auto é a lavagem do santo, que desce a ladeira Cunha e Cruz em procissão, acompanhado de fogos de artifício e lanterninhas de papel ou velas acesas nas mãos, ao som de cantos típicos.
  • a Festa de Santo Antônio, Sua data, por coincidência, é dia 13 de Junho, dia da Retomada de Corumbá. a maior parte da população participa da missa e da procissão. Destaca-se o Baile de Gala, segundo tradição, símbolo do amor, com vistas ao bom casamento.
  • a Festa de Nossa Senhora de Auxiliadora, Festa todo dia 24 de maio, mês de Maria, com quermesse. Após a quermesse segue a procissão pelas ruas da cidade de Corumbá
  • a Nossa Senhora do Carmo, Festa em homenagem a Nossa Senhora do Carmo que ocorre em Forte Coimbra em julho.
  • a Festa de Nossa Senhora dos Remédios, Em outubro, comemora-se em Ladário a Festa de Nossa Senhora dos Remédios, padroeira da cidade. Nesse dia é feriado municipal.

Estas procissões são as mais importantes expressões públicas de piedade popular local, sendo participadas por várias centenas de católicos devotos. Alguns destes católicos vivem fora de Corumbá e visitam esta cidade especialmente para participarem nestas procissões, nomeadamente a do Banho de São João, e conhecerem a religiosidade católica local, espelhada quer nas procissões, quer nas igrejas de Corumbá.

Referências

  1. a b c Cheney, David M. (2019). «Diocese of Corumbá». The Hierarchy of the Catholic Church. Consultado em 14 de julho de 2019. Cópia arquivada em 24 de dezembro de 2018 

Ligações externasEditar