Diogo Fernandes de Almeida, alcaide-mor de Abrantes

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Diogo Fernandes de Almeida.

Diogo Fernandes de Almeida foi vedor da fazenda dos reis D. João I, D. Duarte e D. Afonso V. Foi, ainda, alcaide-mor de Abrantes, de Punhete e da Amêndoa e Senhor do Sardoal[1].

Foi igualmente reposteiro-mor de D. Duarte e D. Afonso V e membro do seu conselho[1][2].

Participou na conquista de Ceuta, no dia 21 de Agosto de 1415, ao lado de D. João I e um sem número de fidalgos portugueses. No dia 25 de Agosto desse ano foi armado cavaleiro na Mesquita Maior de Ceuta pelo então Infante D. Duarte.

Dados genealógicosEditar

Diogo Fernandes de Almeida era filho de Fernão Álvares de Almeida e da sua segunda companheira, D. Leonor Gonçalves.

Casa-se, pela segunda vez, com Teresa Afonso Nogueira filha de Afonso Anes Nogueira, "o das leis", e de Joana Vaz de Almada, por sua vez filha de Vasco Lourenço de Almada[3].

Foi pai de Branca de Almeida, casada com Rui Gomes da Silva, 2º senhor da Chamusca.[4]

O seu herdeiro foi o seu filho Lopo de Almeida, que mais tarde ascenderia a 1º Conde de Abrantes.

Referências

BibliografiaEditar

  • ALMEIDA, Andreia da Silva (2010). D. Lopo de Almeida. Memórias do 1º Conde de Abrantes. [S.l.]: Câmara Municipal de Abrantes. ISBN 9789729133435 
  • Moreno, Humberto Baquero (1980). A Batalha de Alfarrobeira. Antecedentes e Significado Histórico. II. [S.l.]: Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra. ISBN 9789726160045 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.