Abrir menu principal

Diretor Supremo das Províncias Unidas do Rio da Prata

O diretório foi a forma de governo estabelecida em 1814 pela Assembléia Geral Constituinte de 1813 para as Províncias Unidas do Rio da Prata, de acordo com a qual o Diretor Supremo exercia o poder executivo com mandato de dois anos e tinha o título oficial de Diretor Supremo das Províncias Unidas do Rio da Prata.

A assembléia tentava assim se defrontar à ameaça monarquista, agravada por confrontos internos no seguimento patriota. Com o objetivo de evitar abusos de poder, o diretório devia ser integrado por um conselho de estado composto por nove pessoas e responder a um congresso destinado a realizar as funções legislativas.

Diretores SupremosEditar

Imagem Diretor Supremo Período
  Gervasio Antonio de Posadas 31 de janeiro de 18149 de janeiro de 1815
  Carlos María de Alvear 11 de janeiro18 de abril de 1815
  José Rondeau 20 de abril21 de abril de 1815
  Ignacio Álvarez Thomas 21 de abril de 181516 de abril de 1816
  Antonio González Balcarce 16 de abril9 de julho de 1816
  Juan Martín de Pueyrredón 9 de julho de 18169 de junho de 1819
  José Rondeau 9 de junho de 18191 de fevereiro de 1820
  Juan Aguirre y López 1 de fevereiro11 de fevereiro de 1820

Após a renúncia de José Rondeau provocada pela derrota na batalha de Cepeda, assume interinamente Juan Aguirre y López que não pôde se manter no cargo devido a dissolução do congresso, o que levou o Cabildo a assumir o controle da cidade e da província de Buenos Aires. A dissolução do congresso deu início a chamada "Anarquia dos anos 20"

Subseqüentemente o controle das Províncias Unidas passou foi exercido pelos Governadores de Buenos Aires.