Abrir menu principal

Discussão:Fernando Henrique Cardoso

Cscr-former.svg Fernando Henrique Cardoso foi anteriormente candidato a artigo destacado. Para ver por que a nomeação falhou, veja as ligações abaixo, nos marcos alcançados. Para nomeações mais antigas, pode não haver arquivo.
25 de março de 2015 Candidato a artigo destacado Não promovido


DiscussãoEditar

A seguinte informação que foi apagada estava correcta: Em setembro de 2012, foi homenageado com o grau de doutor honoris causa do ISCTE-IUL comentário não assinado de Drcjcosta (discussão • contrib) 14h05min de 13 de setembro de 2012 (UTC) Esse comentário foi editado por conter trechos abusivos --Usien6 18h26min de 28 de fevereiro de 2017 (UTC)

Falta de citações e texto tendenciosoEditar

"Quando chegou à Presidência da República, Fernando Henrique Cardoso, quando encostado na parede por tomar medidas antipopulares, que iam contra aquilo que pregara em sua vida política, teria dito: "Esqueçam tudo o que eu escrevi.""

Essa parte do texto é tendenciosa. Foi encostado na parede por quem e por tomar quais medidas impopulares? Falta citação.

--187.113.240.249 (discussão) 12h15min de 9 de outubro de 2014 (UTC)

ControvérsiasEditar

Falta referencia fidedigna. O Jornal sitado Folha de São Paulo não é fonte limpa, pois não trás retratações em seus factoides. Escândalo da Telebrás 05h15min de 10 de outubro de 2014‎ Marcelo Victor (Discussão | contribs)‎ == Controvérsias == Falta fonte fidedigna - Trata-se de um texto que demostra a parcialidade e julgamento do editor

Controvérsia com Movimento Negro

"Esqueçam tudo o que eu escrevi" Quando chegou à Presidência da República, Fernando Henrique Cardoso, "quando encostado na parede por tomar medidas antipopulares, que iam contra aquilo que pregara em sua vida política, " - expressa a opinião do editor, má fé/ Marcelo Victor 05h36min de 10 de outubro de 2014‎ Marcelo Victor (Discussão | contribs)‎ .

Modifiquei o texto. Fulviusbsas (discussão) 10h44min de 10 de outubro de 2014 (UTC)

RevisãoEditar

Convido todos os usuários que vigiam esta página a me ajudarem a revisar o artigo até a seção "Religião". A seção "carreira acadêmica" ainda precisa de ajustes. Peço isso porque pretendo indicá-lo para destaque. Sei que o artigo não está perfeito e por isso mesmo peço que me ajudem a revisá-lo. Obrigado desde já. Érico Wouters (msg) 08h21min de 14 de fevereiro de 2015 (UTC)

Espero que "revisar" não signifique remover quase todas as críticas pra deixar o artigo "limpinho e cheiroso", como ocorreu com o artigo de José Serra... Dornicke (discussão) 14h26min de 17 de fevereiro de 2015 (UTC)
A propósito: a palavra "corrupção" aparece uma única vez no texto. Geraldo Brindeiro, o "engavetador-geral da República", personagem crucial da era FHC, que engavetou mais de 450 inquéritos criminais durante seu governo, incluindo quatro contra o próprio presidente, sequer é citado no artigo. Menciona a aprovação da emenda constitucional da reeleição, mas ignora todo o escândalo de compra de votos de parlamentares para aprová-la e sequer toca no nome de Sérgio Motta. O artigo já encontra-se parcial pelo simples fato de ignorar todos os escândalos nos quais o biografado está envolvido. Dornicke (discussão) 14h44min de 17 de fevereiro de 2015 (UTC)
Este artigo não é parcial. Ele não tem críticas nem elogios e assim que deve ser em artigos enciclopédicos. Não será feita uma seção de críticas nem de elogios pelo mesmo motivo. Se quer criticá-lo, vá para o Facebook. Não aqui. A Wikipédia não é uma revista de denúncias para essas que as pessoas que gostam do biografado. Muito menos um local para elogios. Infelizmente, seus anos de Wikipédia não te ensinaram nem isso. Se, para você para um artigo imparcial deve ter 74628384 críticas, então ele nunca será. Aliás, vá ler os artigos destacados da anglófona sobre presidentes. Nenhum deles tem o número de críticas que você quer que os artigos tenham. Nem mesmo o de George W. Bush! Érico Wouters (msg) 16h38min de 17 de fevereiro de 2015 (UTC)
E lamento profundamente que use palavras como "engavetador-geral da República". Isso só demonstra o quanto você é "imparcial". Érico Wouters (msg) 16h44min de 17 de fevereiro de 2015 (UTC)
Ignorei o escândalo da reeleição? Oi? Lá está escrito que parlamentares renunciaram após admitirem a compra dos votos. Está a acusação e a defesa. Não se pode colocar nenhum desfecho para o caso, como você quer. As investigações nunca avançaram e isso está escrito lá. Quanto ao não citar esses nomes, um artigo para AD deve ter no máximo 190kb e este já ultrapassou. Não dá para detalhar muito as coisas da maneira que você quer. Este escândalo está lá, resumido e imparcial. Sem opiniões pessoais. Nem a sua nem a minha. Érico Wouters (msg) 18h18min de 17 de fevereiro de 2015 (UTC)

  Comentário Tenho feito alguns ajustes ortográficos no artigo e arquivando as referências também, e em minha opinião não vejo problemas com parcialidade. Talvez tenha algum trecho ou outro que possa ser expandido, ou organizado, mas o biografado é abordado de forma ampla. Particularmente, creio que não se deve incluir escândalos que não possuem relação direta e fundamental com o biografado, e em casos como esses, devem ser citados nos verbetes dos partidos, ou em subartigos. Uma alternativa também é expandir os subartigos que o Érico criou. Mas para um artigo que já alcançou 190kb, é impossível incluir mais conteúdo. Fronteira diga - veja 02h03min de 18 de fevereiro de 2015 (UTC)

Artigos enciclopédicos devem descrever a natureza do seu objeto. Isso inclui sim as características desabonadoras, como as críticas, controvérsias e escândalos. Se quer escrever panfletos institucionais pra tucanos, vá você ao Facebook ou se ofereça como voluntário para a militância digital do PSDB. O artigo está sim parcial. Nunca disse que sou "imparcial", você tampouco o é, assim como nenhum editor. Mas não deixo minha parcialidade me influenciar a ponto de censurar e remover críticas contra os políticos do partido com o qual eu me identifico. Fica a dica. A anglófona não é Deus. Dispenso suas análises sobre meus anos de Wikipedia, obrigado. "Engavetador geral da República" é um termo que já consta do próprio verbete do procurador mencionado. Termo, aliás, criado pela própria revista Veja para designar o dito cujo. Dornicke (discussão) 03h41min de 18 de fevereiro de 2015 (UTC)
@Dornicke: eu sou imparcial. Se você não o é, não me culpe. Assim como no artigo do Serra, os absurdos que você quis colocar como critica eram puramente opiniões pessoais. Pra quem não sabe, Dornicke chegou a reclamar da falta de uma crítica sobre sobre não sei quem que foi na televisão e denunciou o Serra sobre sei lá o que. A Wikipédia não pode servir como revista de denúncias ou lugar para opiniões pessoais. Em minha opinião, críticas do devem ser colocadas em caso de culpa do biografado após julgamento da justiça. O caso da emenda da reeleição, já está la: denúncia + defesa + conclusão das investigações. Nada mais do que isso deve ser colocado: "você não precisa dizer que Hitler é mau. Basta falar o que ele fez."
Como você é assumidamente parcial, vou pedir a opinião de editores imparciais para resolvermos esse problema aqui. Não vou debater muito contigo porque você não votaria a favor do destaque nem se este artigo fosse o melhor da Wikipédia toda. Érico Wouters (msg) 04h20min de 18 de fevereiro de 2015 (UTC)
"Você não precisa dizer que Hitler é mau. Basta falar o que ele fez". O que você deseja é que não se fale o que "Hitler" fez. O que é, basicamente, uma atitude não-enciclopédica. Sua visão sobre imparcialidade é um pouco superficial. É fácil se declarar "imparcial". Observe: eu sou imparcial - viu? Fácil né? Imparcialidade, em si, não existe, porque fatos não existem. Todas as nossas opiniões e mesmo certezas são calcadas em interpretações de fatos e a subjetividade é inerente à natureza do processo. Todos somos parciais, ainda que busquemos não sê-los. Você também é parcial, independentemente de aceitar isso ou não. Dornicke (discussão) 04h49min de 18 de fevereiro de 2015 (UTC)
Acho que não entendeu. "Você não precisa dizer que Hitler é mau. Basta falar o que ele FEZ." Enfim, já pedi a opinião de editores imparciais. Dispenso sua avaliação sobre minha imparcialidade, mas agradeço. Vamos esperar. Sdds. Érico Wouters (msg) 04h53min de 18 de fevereiro de 2015 (UTC)

Algumas opiniões: primeiramente, acho uma bobagem sem tamanho essa história de ter um limite de tamanho para destacar artigos, mas enfim, isso é outra discussão e não vem ao caso, pelo menos não agora. Segundo, eu acredito que sim, devem ser exploradas críticas ao governo FHC, mas no artigo Governo Fernando Henrique Cardoso, que é mais específico, ou se quiserem explorar mesmo o tema, criar um artigo mais específico, como "Críticas ao governo FHC", por exemplo. Claro que não dá pra deixar de citar alguns assuntos controversos aqui, como a compra da reeleição, o alto nível de desemprego e as controvérsias sobre as privatizações, mas pelo que pude ver, nenhum desses assuntos deixou de ser mencionado. Não li todo o artigo ainda, mas parece-me bom. O Estranho no Ninho (discussão) 01h11min de 24 de fevereiro de 2015 (UTC)

@Estranhononinho: obrigado por ajudar a revisar. Eu estou revisando o artigo aqui. Se tiver ideias para melhorar o artigo, elas são bem-vindas. Érico Wouters (msg) 01h17min de 24 de fevereiro de 2015 (UTC)

NeoliberalEditar

Doutorado em Ciências Políticas?Editar

A introdução chama o biografado de cientista político, mas o corpo do texto não cita formação acadêmica em ciências políticas. Um usuário apresentou uma biografia do UOL em que é dito que ele se doutorou em ciências políticas pela USP em 1961, mas o corpo do artigo diz que ele se doutorou em ciências sociais. A mesma informação é corroborada pela fonte linkada no artigo. Na nota biográfica a ABL, diz-se que o político doutorou-se em em ciências sociais pela USP [1]. Acho muito pouco provável que FHC tenha obtido dois doutoramentos no mesmo ano pela mesma universidade. Ele é doutor em ciências políticas ou ciências sociais? Dornicke (discussão) 01h37min de 29 de outubro de 2015 (UTC)

Como inserir magnum opus na infobox?!Editar

@Érico: @Usien6: @DARIO SEVERI: @Instambul: @!Silent: @Zoldyick: Bom dia. Sou mestre em sociologia e estudioso da obra do FHC, que, além de político, foi um dos grandes (únicos) sociólogos brasileiros dos SEC XX e XXI, com reconhecimento internacional, sendo sua Magnum Opus a Dependência e desenvolvimento na América Latina. Como adicioná-la na infobox, como consta na de vários autores da wikipedia? 2804:14D:7883:81ED:48B:C4BA:33D6:A7B1 (discussão) 13h20min de 9 de fevereiro de 2017 (UTC)

Prezado, acho que teria que modificar a predefinição do Info/Político. Por exemplo em Info/Escritor tem um campo na infobox chamado magnum opus (pelo teste que fiz este campo não é identificado na predefinição utilizado para políticos). Mas faz sentido seu requerimento. Um político que também escreve livros pode ser reconhecido com uma grande obra, portanto o correto seria incluir o campo na predefinição. Sds. Instambul (discussão) 14h01min de 9 de fevereiro de 2017 (UTC)
Obg Instambul. Qual burocrata pode ajudar nisso? @RadiX: @Conde Dantes:? 177.80.192.239 (discussão) 14h11min de 9 de fevereiro de 2017 (UTC)
@2804:14D:7883:81ED:48B:C4BA:33D6:A7B1 Pode fazer um pedido sobre isso no Café dos programadores. !Silent (discussão) 20h21min de 12 de fevereiro de 2017 (UTC)

Vamos colocar na infobox imagens ou referências de todos os prêmios que o biografado recebeu? Vai ficar muito carregado, prejudicando o layout. Uma categoria, a meu ver, é suficiente. Érico (fale) 21h35min de 12 de fevereiro de 2017 (UTC)

@Érico: O magnum opus é um "prêmio diferenciado", tanto que existe um campo prémios e outro magnum opus para outras predefenições. Acredito que seja por isto que o 2804:14D:7883:81ED:48B:C4BA:33D6:A7B1 requereu. Instambul (discussão) 21h39min de 12 de fevereiro de 2017 (UTC)

Fusão Fernando Henrique Cardoso; Carta aos Brasileiros (FHC)

Regressar à página "Fernando Henrique Cardoso".