Abrir menu principal

DEFINIÇÃO ERRADAEditar

A definição do artigo está errada "Sedevacantismo é a posição defendida por uma minoria resoluta de católicos tradicionalistas que afirmam que a Santa Sé está vaga desde a morte do Papa Pio XII, em 1958, ou de Luciano Roncalli João XXIII em 1963."

O Sedevacantismo consiste na defesa de que a sede de Pedro está vacante mesmo depois do procedimento de eleição de um Papa, sem que tal fenómeno seja percebido oficialmente.

Explicação: O Sedevacantismo não se limita a um determinado grupo, nem muito menos a um determinado grupo da actualidade, e não tem de ser tradicionalista. Na prática basta acreditar e defender que alguém, em determinado momento da história, tendo sido oficialmente reconhecido como Papa, não o fora de verdade. Hoje, existem vários grupo de sedevacantistas. Os protestantes são por si sedevacantistas em atitude, e os sedevacantistas católicos, que são o segundo maior tipo, dividem-se em dois grandes grupos: 1 - Os que defendem que o último Papa foi Pio XII 2 - Os que defendem que o último Papa foi João XXIII

Os sedevacantistas católicos, hoje, e os que estão organizados, são tradicionalistas (usam a Doutrina milenar da Igreja e seus Sacramentos). É pela aplicação da Doutrina Católica tradicional à realidade analisada da realidade dos Papas referidos, que determinam a invalidez dos sujeitos em causa como Papas.

LIGAÇÃO ERRADAEditar

A ligação "Marcel Lefebvre" (no "Ver também")está errada visto que o Arcebispo em Causa não só não foi sedvacantista como lutou contra o sedevacantismo. É um erro tamanho... é urgente retira-lo.

Retirei a citada ligação! 200.158.53.214 (discussão) 12h04min de 1 de julho de 2011 (UTC)

Regressar à página "Sedevacantismo".