Abrir menu principal
Como ler uma infocaixa de taxonomiaDiseae
Disa tripetaloides
Disa tripetaloides
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Liliopsida
Ordem: Asparagales
Família: Orchidaceae
Subfamília: Orchidoideae
Tribo: Diseae
(Lindl. ex Benth.) Dressler 1979
Género-tipo
Disa P.J.Bergius 1767
Distribuição geográfica
Diseae distribution map.png
Subribos
Brownleeinae H.P.Linder & Kurtzweil 1994
Coryciinae Benth. 1883
Disinae Benth. 1883
Huttonaeinae Schltr. 1926
Satyriinae Schltr. 1926
Sinónimos
Disidae Lindley 1846
Disinae Lindley ex Benth. 1881

Diseae é uma tribo de orquídeas (família Orchidaceae), composta principalmente por espécies terrestres, contando quase de quatrocentas espécies,[1] divididas por onze gêneros, distribuídos por cinco subtribos. As orquídeas pertencentes a esta subfamília estão presentes principalmente na África. Apenas dois gêneros Disperis e Satyrium existem na Ásia.

Caracterizam-se por apresentarem raízes ou caules tuberosos; flores usualmente com viscídio duplo, polínias sésseis, caudículos algo proeminentes; coluna curta e apoda, não constrita na base da antera, esta tombada a partir da coluna, com base na parte superior; as flores em regra apresentam diversos formatos de calcar e este é duplo quando formado pelo labelo.[2]

Índice

TaxonomiaEditar

A presente classificação apresenta cinco subtribos divididas em onze gêneros e 389 espécies:

Subtribo BrownleeinaeEditar

Brownleeinae já foi parte da subtribo Disinae, mas análises moleculares recentes situam-na como autônoma, caracterizada por apresentar espécies de plantas com flores de sépalas dorsais com calcar longo ou saquiforme e labelo estreito, quase linear, ereto e mais curto que a coluna, e pétalas dispostas junto à sépala dorsal formando uma espécie de capa. Somente um gênero encontra-se classificado nesta subtribo, Brownleea, com sete espécies, todas africanas.[2]

Subtribo CoryciinaeEditar

Coryciinae é formada por cinco gêneros e 114 espécies, caracterizados por apresentarem sépalas dotadas ou não de calcar, muitas vezes com a sépala dorsal disposta junto as pétalas formando um conjunto elmiforme, e labelo unido com a base da coluna, frequentemente apresentando grandes apêndices maiores que suas lâminas. Trata-se de um grupo parafilético.[2]

Subtribo DisinaeEditar

Disinae é composta por dois gêneros divididos por 178 espécies cujas flores geralmente apresentam calcar, e sépalas dorsais majoritariamente côncavas, com pétalas que não se posicionam junto à sépala dorsal e costumam apresentar tamanho muito diferente desta, menores, e labelo de comprimento maior que a coluna. Todas as espécies são nativas da área continental da África, excetuadas algumas poucas presentes no sudoeste do Oriente Médio, Madagascar e Ilha de Reunião.[3]

Subtribo HuttonaeinaeEditar

Huttonaeinae é formada por um só gênero com cinco espécies, Huttonaea, da África do Sul, caracterizadas por suas poucas flores, brancas ou lilases com sépalas verdes e pétalas ocasionalmente unidas na base, com lâminas pubescentes e margens intensamente fimbriadas. O labelo é semelhante ao conjunto formado pelas pétalas. A coluna é curta, contém duas polínias com dois grandes viscídios bem afastados.[2]

Subtribo SatyriinaeEditar

Satyriinae subordina 85 espécies, divididas por dois gêneros, dispersas pela África tropical e setentrional, Madagascar, Ilhas Comores e Reunião, Iemen, Sri-Lanka, e subcontinente indiano até o sudoeste da China e Mianmar. São espécies caracterizadas por apresentarem flores de labelo dotado de dois calcares ou flores de simetria actinomórfica. Segundo análisas moleculares recentes sabe-se que esta subtribo é a mais afastada entre as subordinadas a Diseae, sendo possível até que futuramente seja removida para posição próxima a Orchideae.[4]

Ver tambémEditar

ReferênciasEditar

  1. R. Govaerts et al (2009). World Checklist of Orchidaceae. The Board of Trustees of the Royal Botanic Gardens, Kew. Publicado na Internet (em inglês)
  2. a b c d Kurzweil, H. & Linder, P.: (2001) Phylogenetics of Orchidoideae em A. M. Pridgeon, P. J. Cribb, M. W. Chase, and F. N. Rasmussen eds., Genera Orchidacearum, vol. 2, Orchidoideae part 1. Oxford University Press, Oxford, UK ISBN 0198507100. Erro de citação: Código <ref> inválido; o nome "GO2" é definido mais de uma vez com conteúdos diferentes
  3. Johnson, S.D., Linder, H.P. and Steiner, K.E. (1998). Phylogeny and radiation of pollination systems in Disa (Orchidaceae). American Journal of Botany, 85, 402-411.
  4. Van Der Niet, Timotheüs e Lindera, H. Peter: Dealing with incongruence in the quest for the species tree: A case study from the orchid genus Satyrium. Institute of Systematic Botany, University of Zurich, Switzerland, Dezembro de 2007. publicado na internet
  Este artigo sobre orquídeas (família Orchidaceae), integrado no Projeto Plantas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.