Dolores Huerta

Dolores Clara Fernández Huerta (Dawson, 10 de abril de 1930) é uma ativista pelos direitos civis e ex-líder sindical norte-americana, cofundadora da Associação Nacional de Camponeses, que mais tarde se juntou ao Sindicato Geral de Camponeses (United Farm Workers). Huerta recebeu inúmeros prêmios por seu serviço comunitário e por sua defesa dos direitos dos trabalhadores, dos imigrantes e das mulheres, incluindo o Prêmio de Excelência Eugene V. Debs, o Prêmio de Direitos Humanos Eleanor Roosevelt[1] e a Medalha Presidencial da Liberdade.

Dolores Huerta
Nascimento Dolores Clara Fernández Huerta
10 de abril de 1930 (92 anos)
Dawson
Cidadania Estados Unidos
Alma mater
  • San Joaquin Delta College
  • Universidade do Pacífico
  • Stockton High School
Ocupação sindicalista, ativista
Prêmios

Uma inspiração para a comunidade latina dos Estados Unidos, Dolores Huerta é tema de muitos murais.

Primeiros anosEditar

Nascida no dia 10 de abril de 1930, em Dawson, Novo México, Dolores é filha de Juan Fernández — um mineiro e camponês — e Alicia Chávez. Ela foi o segundo filho do casal e a única filha da casal, que se divorciou quando a menina tinha três anos de idade. Alicia criou Dolores e seus dois irmãos, na região central da Califórnia, na comunidade rural de Stockton. Em uma entrevista Dolores Huerta declarou: "A principal pessoa na minha vida foi a minha mãe. Ela era uma mulher inteligente e muito gentil".

O ativismo comunitário de Huerta começou quando ela era estudante na Stockton High School. Foi ativa em vários clubes de escola e uma dedicada girl scout até os 18 anos. Em seguida, frequentou o Stockton College da Universidade do Pacífico (que mais tarde se tornou o San Joaquin Delta Community College), onde se formou em pedagogia.[2] Depois de lecionar gramática, Huerta decidiu dedicar-se profissionalmente ao ativismo:

Eu não podia tolerar ver as crianças vindo à aula com fome e precisando de sapatos. Pensei que eu seria mais útil organizando os trabalhadores rurais do que tentando dar aulas a seus filhos famintos.

Trajetória de ativistaEditar

 
Dolores Huerta durante comício em Santa Bárbara (Califórnia), em 24 de setembro de 2006.

Em 1955, Dolores Huerta começou oficialmente a sua carreira como ativista, ajudando Frank Ross a iniciarfundar o Capítulo de Stockton da Organização de Serviços Comunitários, que lutava por melhorias econômicas para os latinos.[3] Em 1960, foi cofundadora da Associação dos Trabalhadores Agrícolas que pressionou os governos locais para melhorias em bairros agrícolas.[4][5] Em 1962, ela co-fundou a Associação Nacional dos Camponeses com César Chávez, que mais tarde se tornaria a Comissão Organizadora da União dos Trabalhadores do Campo. Mais tarde participou da Union Farm Workers.

Em 5 de junho de 1968, Huerta ficou ao lado de Robert F. Kennedy, em Los Angeles, quando ele discursou sobre sua vitória eleitoral. Momentos após o fim do discurso, houve um tiroteio no local, e cinco pessoas foram baleadas, inclusive Kennedy, que morreu em decorrência dos ferimentos, em 6 de junho.

Huerta é presidenta da Fundação Dolores Huerta, que ela fundou em 2002.[6] A Dolores Huerta é uma organização 501(c)(3) "para o benefício da organização popular da comunidade, atraindo e desenvolvendo líderes naturais.[7]

HomenagensEditar

Em 1997, Dolores Huerta foi apontada como uma das três mulheres mais importantes do ano, pela revista Ms..[8] Em 1998, ela recebeu, do Presidente Bill Clinton, o Prêmio Eleanor Roosevelt de Direitos Humanos. No mesmo ano, Ladies' Home Journal reconheceu-a como uma das 100 Mulheres Mais Importantes do Século XX.

Em 29 de maio de 2012, ela recebeu, do Presidente Barack Obama, a Medalha Presidencial da Liberdade.[9]

FilmografiaEditar

Dolores Huerta é um dos temas do filme de Sylvia Morales, A Crushing Love (2009), continuação de Chicana (1979).[10][11]

Ela também foi representada pela atriz e ativista Rosario Dawson, no filme Cesar Chavez (2014), de Diego Luna.[12]

Sua trajetória de lutas como líder sindicalista e ativista pelos direitos das trabalhadoras e trabalhadores rurais chicanos é tema do documentário Dolores, de 2017.[13] 

Referências

  1. «Biography: Dolores Clara Fernandez Huerta». National Women's History Museum, Education & Resources. Consultado em 27 de fevereiro de 2012 
  2. «Delta College Cultural Awareness Programs Presents: "A Morning with Dolores Huerta"». Delta College. 22 de setembro de 2010. Consultado em 2 de abril de 2012. Arquivado do original em 22 de novembro de 2010 
  3. Frank, M. "Dolores found her calling as an organizer while serving in the leadership of Stockton Community Service Organization (CSO)" "Dolores Huerta: "Sí, se puede—We can do it." File: Dolores Huerta. Archives of Labor and Urban Affairs, Ruether Library, College of Urban, Labor, and Metropolitan Affairs, Wayne State University, Detroit, MI (1987).
  4. Biography.com. «Dolores Huerta». Consultado em 7 de maio de 2011. Arquivado do original em 5 de agosto de 2011 
  5. Dolores Huerta Foundation (November 16, 2013).
  6. «DHF History». Dolores Huerta Foundation. Consultado em 23 de janeiro de 2012. Arquivado do original em 20 de janeiro de 2012 
  7. «About the Dolores Huerta Foundation». Dolores Huerta Foundation. Consultado em 23 de janeiro de 2012. Arquivado do original em 23 de janeiro de 2012 
  8. «Dolores Huerta :: Biography». Dolores Huerta Foundation. Consultado em 23 de janeiro de 2012 
  9. «President Obama Names Presidential Medal of Freedom Recipients». The White House. Office of the Press Secretary. 26 de abril de 2012 
  10. «Chicana». www.wmm.com (em inglês). Cópia arquivada em 26 de agosto de 2019 
  11. «A Crushing Love Chicanas, Motherhood and Activism Chicanas, Motherhood and Activism». www.wmm.com (em inglês). Cópia arquivada em 26 de agosto de 2019 
  12. Andrea Long Chavez (17 de abril de 2012). «Rosario Dawson Nervous To Play Dolores Huerta». HuffPost (em inglês). Consultado em 26 de agosto de 2019 
  13. «'Dolores' Comes to U.S. Theaters Beginning Sept. 1». Dolores The Movie (em inglês). Cópia arquivada em 16 de setembro de 2017