Abrir menu principal

Domingos Caldas Barbosa

músico e poeta fluminense (1740-1800)
Domingos Caldas Barbosa
Domingos Caldas Barbosa (Lereno Selinuntino).
Nascimento 1739
Rio de Janeiro, Brasil
Morte 9 de novembro de 1800 (61 anos)
Lisboa, Portugal
Nacionalidade brasileira
Ocupação padre católico
poeta
músico
Magnum opus Viola de Lereno

Domingos Caldas Barbosa (Rio de Janeiro, c.1739Lisboa, 9 de novembro de 1800) foi um sacerdote, poeta e músico brasileiro, autor de lundus e criador da Modinha. Foi membro da Nova Arcádia de Lisboa [1].

Filho de um português com uma mulher angolana [2] escravizada, foi enviado para Portugal em 1763, para estudar em Coimbra. Posteriormente em Lisboa, celebrizou-se pelas trovas improvisadas ao som da sua viola de corda de arame. Suas composições estão reunidas no livro Viola de Lereno, pseudônimo que ele adotava. Foi soldado nas lutas na Colônia de Sacramento e fez, em Lisboa, uma vida de padre mundano, que Tolentino satirizou, animando assembleias burguesas, salões fidalgos e até serões do paço real.[3]

Em sua poesia tratou das peculiaridades afetivas do povo brasileiro, distinguindo-as das dos portugueses. Se aproximou assim de temas românticos, ainda que de maneira não tão profunda.

É o patrono da cadeira n. 3 da Academia Brasileira de Música.[4][5]

Referências