Abrir menu principal

Domingos Paschoal Cegalla

Domingos Paschoal Cegalla
Nascimento 1920
Tijucas
Morte 8 de fevereiro de 2013 (93 anos)
Rio de Janeiro
Cidadania Brasil
Ocupação escritor, poeta
Prêmios Prêmio Jabuti

Domingos Paschoal Cegalla (Tijucas,[1] 1920Rio de Janeiro, 9 de fevereiro de 2013) foi um professor, gramático, poeta, escritor e tradutor brasileiro.[2]

BiografiaEditar

Cegalla nasceu em São João Batista,[2] na época ainda distrito de Tijucas.[3] Aos 10 anos, foi para Curitiba, onde estudou no seminário dos Irmãos Maristas. Lá aprendeu grego, latim, francês e italiano.[2]

Formou-se em Letras Clássicas na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras do Paraná. Lecionou língua portuguesa, literatura e latim em Curitiba, São Paulo[1] e no Rio de Janeiro, onde residiu de 1953[2] até sua morte, em 2013.

É autor do Dicionário de dificuldades da língua portuguesa, da Novíssima gramática da língua portuguesa (1964), do Dicionário escolar: língua portuguesa e da Nova minigramática da língua portuguesa, todas elas consagradas obras didáticas.

Publicou também Canção de Eurídice, Um brado no deserto (poesia) e Triângulo amoroso (romance).[2] Traduziu diretamente do grego Antígona, Electra e Édipo Rei, esta última agraciada com o Prêmio Jabuti.[2]

Morreu de problemas cardíacos aos 92 anos, no Rio de Janeiro, e foi sepultado no Cemitério São João Batista.[2]

Referências

  1. a b «Domingos Paschoal Cegalla». Autores (no site da editora). L&PM Editores. Consultado em 13 de fevereiro de 2013 
  2. a b c d e f g «Morre o escritor catarinense Domingos Paschoal Cegalla». Diário Catarinense. 11 de fevereiro de 2013. Consultado em 13 de fevereiro de 2013 
  3. «Fatos históricos de Tijucas». Prefeitura de Tijucas. Consultado em 13 de fevereiro de 2013. Arquivado do original em 6 de janeiro de 2013. 10 de julho de 1958 - Lei nº 348, de 21 de junho de 1958 - Foi desmembrado de Tijucas o município de São João Batista.