Dores do Rio Preto

Dores do Rio Preto
  Município do Brasil  
Dores do Rio Preto/Foto de André Luiz Pereira Nunes
Dores do Rio Preto/Foto de André Luiz Pereira Nunes
Hino
Gentílico riopretense
Localização
Localização de Dores do Rio Preto no Espírito Santo
Localização de Dores do Rio Preto no Espírito Santo
Dores do Rio Preto está localizado em: Brasil
Dores do Rio Preto
Localização de Dores do Rio Preto no Brasil
Mapa de Dores do Rio Preto
Coordenadas 20° 41' 20" S 41° 50' 42" O
País Brasil
Unidade federativa Espírito Santo
Municípios limítrofes Guaçuí, Ibitirama, Divino de São Lourenço (ES), Caiana, Espera Feliz (MG), Porciúncula (RJ).
Distância até a capital 247 km
História
Fundação 7 de abril de 1964 (55 anos)
Administração
Prefeito(a) Cleudenir José de Carvalho Neto (PDT, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [2] 159,298 km²
População total (est. IBGE/2019[2]) 6 749 hab.
Densidade 42,4 hab./km²
Clima Tropical de Altitude (Cwb)
Altitude 774 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
CEP 29580-000 a 29589-999[1]
Indicadores
IDH (PNUD/2010 [3]) 0,654 médio
PIB (IBGE/2008[4]) R$ 47 977,723 mil
PIB per capita (IBGE/2008[4]) R$ 7 630,05
Outras informações
Padroeiro(a) Nossa Senhora das Dores
Website pmdrp.es.gov.br (Prefeitura)
camaradrpreto.es.gov.br (Câmara)

Dores do Rio Preto é um município brasileiro do estado do Espírito Santo. Sua população estimada em 2019 foi de 6.749 habitantes.[2] É o município de acesso ao Pico da Bandeira, 3° maior pico do país, com 2892 metros, no Parque Nacional do Caparaó pelo lado capixaba, sendo o único a ter uma portaria de acesso no Espírito Santo, que tem subida com nível de dificuldade menor e urbanização que facilitam movimentação e acampamento. É o município com a sede mais elevada do estado, com 774 metros. E também é o único município com sede a mais de 700 metros no extremo sul do estado. Recentemente a região do Caparaó passou a ser considerado "Reserva Mundial da Biosfera", através do Projeto Lei 10.251/2014.

Em agosto de 2014 o município, juntamente com a cidade de Irupi e Ibitirama, foram sedes da Copa América de Corrida de Aventura que contou com diversos atletas de vários países, incluindo o Brasil.

HistóriaEditar

O começo do povoamento do município de Dores do Rio Preto, é do final do século XIX e início do século XX. Seu primeiro nome foi Vila Divisa, cujo terreno foi doado por Firmino Domingos Dias e pertencia ao município de Guaçuí.

Em 1912 foi construída a Estrada de Ferro Leopoldina que ligava Vila Divisa aos Estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais. Esta ferrovia ajudou muito o desenvolvimento e o progresso local.

No período de 1912 a 1950, o distrito viveu seu apogeu comercial com a exportação de madeiras e de cereais.

Em 30 de dezembro de 1963 foi criado o município de Dores do Rio Preto, através da Lei nº 1.914, sendo fundado no dia 7 de abril de 1964. Sua denominação foi dada em homenagem a padroeira Nossa Senhora das Dores e ao Rio Preto, que banha a cidade.

Dores do Rio Preto foi palco da Guerrilha do Caparaó, instabilidade política ocorrida em 1964, período em que começou a Ditadura Militar no Brasil. Em 1967 as forças armadas montaram um esquema tático para capturar ex-militares que faziam parte do grupo revolucionário e que estavam refugiados no Parque Nacional do Caparaó.

O exército usou como base de acampamento todos os municípios vizinhos, assim como Dores do Rio Preto.

O primeiro prefeito do município foi o Sr. Wlademiro Azevedo Carvalho e o segundo, o Sr. Manoel Cardoso Martins, ambos nomeados pelo Governador do Estado, Francisco Lacerda de Aguiar.

A 1ª eleição no município data de 1966 quando o Augusto Otaviano foi eleito prefeito.

GeografiaEditar

A sede do município fica a 774 metros, porém seu ponto mais alto chega a 2892 metros, e há algumas áreas mais baixas, próximas ao Rio Preto, que são exploradas para a agricultura.

ClimaEditar

O clima é tropical de altitude, da variação Cwb, a temperatura média anual é de 19.2 °C, sendo as mínimas médias no mês mais frio (julho) de 9.9 °C e as máximas médias do mês mais quente (março) de 28,3 °C.

HidrografiaEditar

Faz parte da Bacia Hidrografia do Rio Itabapoana. O principal curso d'água é o Rio Preto, que nasce na Serra do Caparaó, contorna o município, e separa o estado do Espírito Santo de Minas Gerais. O Rio Preto é um afluente do Rio Itabapoana.

Ver tambémEditar

Referências

  1. Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. «Busca Faixa CEP». Consultado em 1 de fevereiro de 2019 
  2. a b c «IBGE Cidades - Panorama». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 23 de janeiro de 2020 
  3. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 31 de agosto de 2013 
  4. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 

Ligações externasEditar