Dr. Watson

Dr. John H. Watson é um personagem de ficção, biógrafo e companheiro nos casos de Sherlock Holmes, o famoso detetive do século XIX criado pelo escritor britânico Sr. Arthur Conan Doyle.

Dr. Watson
'
Pseudônimo(s) Joan H. Watson, Medical Man
Nascimento John Hamish Watson
Residência 221B Baker Street
Cidadania Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda
Cônjuge Mary Morstan
Alma mater
Ocupação médico, soldado, cirurgião, médico militar,

Diversas fontes informam a data de nascimento de Watson como sendo o 7 de Julho[1] de 1852.

Amigo, associado, assistente, biógrafo e cronista de Sherlock Holmes. É graças aos registros de Watson que o mundo passou a conhecer as façanhas do Grande Detetive, descritas de maneira instigante por esse médico, que se provou extremamente talentoso nas letras.

BiografiaEditar

John H. Watson nasceu por volta de 1850, filho de Henry Watson e irmão de Henry segundo, que faleceu por problemas com a bebidas alcoólicas. Depois da morte da mãe, a família mudou-se para a Austrália. Lá, o jovem Watson passou a maior parte de sua infância, retornando, anos mais tarde, à Inglaterra a fim de completar seus estudos. Em 1872, ingressou na Universidade de Londres, intencionando formar-se em medicina. Por volta do mesmo ano, serviu como cirurgião assistente no Hospital de São Bartolomeu, em Londres, e participou das partidas de rúgbi do clube Blackheat.

No ano de 1878, Watson obteve o título de Doutor em Medicina na Universidade de Londres, e foi a Netley a fim de fazer o curso prescrito para os cirurgiões do exército. Após completar seus estudos naquele hospital, foi incorporado ao Quinto Regimento dos Fuzileiros de Northumberland, como cirurgião assistente. Mas, antes que pudesse juntar-se a ele, interrompeu a Segunda Guerra Afegã, e Watson foi obrigado a mudar seu curso. Chegou a Candaar, onde encontrou seu regimento e passou a exercer suas funções. Afastado de sua brigada e incorporado aos Berkshires, lutou na batalha de Maiwand, onde foi gravemente ferido por uma bala Jezail. Salvo graças aos esforços de Murray, seu ordenança, foi afastado da guerra e mandado para um hospital de feridos. Mais tarde, voltou à Inglaterra para recuperar-se.

Em 1881, encontra, casualmente, em Londres, seu antigo auxiliar de enfermagem, o jovem Stamford, que lhe apresenta Sherlock Holmes. Encontro esse da necessidade de ambos em encontrar alguém para dividir as despesas de acomodação. Os dois passam, então, a compartilhar os aposentos do número 221B, na Baker Street. Logo Watson descobre as habilidades dedutivas de seu novo companheiro, acabando por envolver-se em seu primeiro caso com o detetive, "Um Estudo em Vermelho". No final desse, Watson diz ao detetive: "Seus méritos deviam ser publicamente reconhecidos. Você deveria publicar um relato do caso. Se não o fizer, eu o farei por você." Torna-se, desse momento em diante, o cronista dos casos do detetive.

Watson é descrito como um homem troncudo, de estatura mediana, queixo quadrado, pescoço grosso e um modesto bigode. Sua constituição forte fazia, dele, um valoroso jogador de rúgbi, como visto em "O Vampiro de Sussex". Era, aparentemente, bonito, tendo em vista a observação de Holmes acerca das "vantagens naturais" de Watson sobre as mulheres, e o fato de ele ter se casado possivelmente três vezes.

Pode ser que você mesmo não seja luminoso, Watson, mas é certamente um condutor de luz. Algumas pessoas, sem possuir a genialidade em si, têm um notável poder de estimulá-la.
— Holmes sobre Watson em O Cão dos Baskervilles.

Casa-se com Mary Morstan no final do livro O Signo dos Quatro, porém, mais tarde, fica viúvo. Durante os contos, fica noivo três vezes, com mulheres diferentes, mas não se casa.

No cinema e tevêEditar

Watson já foi representado várias vezes na TV e no cinema. As mais recentes são: Sherlock Holmes: A Game of Shadows, onde Jude Law dá a vida ao doutor Watson; Elementary, onde Lucy Liu dá vida ao doutor; e na minissérie da BBC Sherlock (série), onde Martin Freeman dá a vida ao doutor.

Ver tambémEditar

Referências