Abrir menu principal

Duarte Ribeiro de Macedo (Lisboa, 1618 - Alicante, 1680),embaixador, jurisconsulto, diplomata, economista e escritor do período da Restauração, foi um dos pensadores políticos portugueses mais marcantes do século XVII e um apóstolo das ideias ditas mercantilistas durante os reinados de João IV de Portugal, Afonso VI de Portugal e Pedro II de Portugal.

Índice

BiografiaEditar

Nascido sob a Dinastia Filipina, seu pai foi um magistrado e a mãe era de família de artesãos aparentemente de origem judaica, circunstância que o terá impedido de ser aceite como familiar da Inquisição. Estudou Direito na Universidade de Coimbra e, quando da Restauração, após uma carreira como juiz, desembargador da Casa da Suplicação e membro do Conselho da Fazenda, iniciou-se na diplomacia como secretário da embaixada de D. João da Costa, conde de Soure a França (1659-1660). Serviu, mais tarde, como enviado ordinário em Paris (1668-1676) e enviado extraordinário em Madrid (1677-1679). Morreu em Alicante, no decurso duma embaixada a Turim.

"Finíssimo e manhosíssimo servidor de sua pátria", assim o elogiou João de Mascarenhas, 1º marquês de Fronteira em 1678[1]. O historiador Edgar Prestage incluiu-o entre os diplomatas da época da Restauração que "contribuíram tanto como os soldados para a manutenção da independência nacional"[2].

Sob a influência das doutrinas e políticas de Colbert, ministro de Luís XIV de França, Macedo defendeu nomeadamente a introdução de manufacturas em Portugal. São famosos os seus "discursos" sobre Economia Política, entre os quais o Discurso sobre a introdução das Artes no Reino, redigido em Paris em 1675 e publicado pela primeira vez no O Investigador Portuguez em Inglaterra (1813). Correspondeu-se com os maiores espíritos portugueses do seu tempo, entre os quais o Padre António Vieira e D. Francisco Manuel de Melo.

Referências

  1. Citado por Virgínia Rau (1969).
  2. Edgar Prestage (1928).

BibliografiaEditar

Obras publicadas em vidaEditar

  • Discurso Político que o Conde de Soure [...] Deu ao Cardeal Mazarine [...]. Mostra-se por 27 Razões Forçosíssimas, como França por Justiça, e por Conveniência não Devia Fazer a Paz sem Inclusão de Portugal (Lisboa, 1661). Redigido por Duarte Ribeiro de Macedo, foi originalmente publicado em francês, em Paris, em 1659.
  • Juízo Histórico, Jurídico, Político sobre a Paz Celebrada entre as Coroas de França e Castela no Ano de 1660 (Lisboa, 1666).
  • Aristipo ou Homem de Corte Escrito em Língua Francesa por Monsieur de Balzac, tradução portuguesa e prefácio de Duarte Ribeiro de Macedo (Paris, 1668).
  • Panegírico Histórico-Genealógico da Sereníssima Casa de Nemours (Paris, 1669).
  • Nascimento e Genealogia do Conde D. Henrique, Pai de Dom Afonso Henriques I. Rei de Portugal (Paris, 1670).
  • Advertencias al adicionador de la Historia del Padre Iuan de Mariana, Impressa en Madrid, en el año 1669 (Paris, 1676).
  • Vida da Imperatriz Teodora (Lisboa, 1677).

Obras publicadas postumamenteEditar

  • Discursos Políticos e Obras Métricas de Duarte Duarte Ribeiro de Macedo, Olissiponense, Desembargador dos Agravos, do Conselho de S. Magestade, & do de sua Fazenda, Enviado Ordinário à Corte de França, & Extraordinário à de Castela, & Turim, Cavaleiro da Ordem de Cristo, & etc, Of. de José Antunes da Silva (Coimbra, 1729).
  • Obras do Doutor Duarte Ribeiro de Macedo, Cavaleiro da Ordem de Cristo..., 2 tomos, Of. de António Isidoro da Fonseca (Lisboa, 1743).
  • Obras do Doutor Duarte Ribeiro de Macedo, Cavaleiro da Ordem de Cristo..., 2 tomos, Of. de António Rodrigues Galhardo (Lisboa, 1767).
  • Obras inéditas de Duarte Ribeiro de Macedo, Impressão Régia (Lisboa, 1817).
  • Cartas do Padre António Vieira da Companhia de Jesus a Duarte Ribeiro de Macedo, Impressão de Eugénio Augusto (Lisboa, 1827). Com 16 cartas de Ribeiro de Macedo para Vieira datadas de Paris, 1671 e 1672.
  • «Sobre a Introdução das Artes», Antologia dos Economistas Portugueses (Século XVII), ed. António Sérgio, Liv. Sá da Costa Editora (Lisboa, 1975).

Bibliografia passivaEditar

  • Ana Maria Homem Leal de Faria, Duarte Ribeiro de Macedo. Um Diplomata Moderno (1618-1680), Biblioteca Diplomática do Ministério dos Negócios Estrangeiros, Lisboa, 2005.
  • Edgar Prestage, As Relações Diplomáticas de Portugal com a França, Inglaterra e Holanda de 1640 a 1668, Imprensa da Universidade, Coimbra, 1928.
  • Moses Bensabat Amzalak, O diplomata Duarte Ribeiro de Macedo e os seus discursos sobre Economia Política, Lisboa, 1922.
  • Virgínia Rau, "Cenas da vida parisiense na correspondência de Duarte Ribeiro de Macedo (1668-1676)", Bulletin des Etudes Portugaises, t. 30, 1969, pp. 97–117.