Duarte da Costa

político

Duarte da Costa (início do 15051560) foi um nobre e administrador colonial português. Membro do Conselho Real, foi embaixador na corte de Carlos I de Espanha. Foi nomeado como segundo governador-geral do Brasil (1553-1558).

Duarte da Costa
Nome completo Duarte da Costa Casemiro
Nascimento 1505
Morte 1560 (55 anos)
Nacionalidade Português
Ocupação Administrador colonial

Desembarcou na Bahia em 1553, trazendo uma comitiva de 250 pessoas, entre elas o noviço José de Anchieta, que seria responsável, mais tarde, juntamente com o padre Manuel da Nóbrega, pela fundação do Colégio jesuíta na vila de São Paulo.

Importantes acontecimentos marcaram a sua gestão:

  • combateu as tribos indígenas do Recôncavo da Bahia, cujos constantes ataques impediam o progresso das povoações de colonos;
  • organizou entradas no sertão para procurar as desejadas riquezas minerais, pois havia delas abundância nas colônias espanholas na região andina;
  • o incidente entre o primeiro bispo, D. Pero Fernandes Sardinha e o filho de Duarte da Costa, D. Álvaro da Costa, onde diante das críticas do bispo à agressividade e aos maus costumes de D. Álvaro, a população de Salvador dividiu-se em duas facções: uma favorável a D. Álvaro e ao governador; outra, favorável ao bispo. D. Pero Fernandes que foi chamado a Portugal para dar explicações, mas o seu navio naufragou no litoral de Alagoas, tendo os sobreviventes sido mortos e devorados pelos Caetés;
  • fundação do Colégio dos jesuítas na vila de São Paulo (25 de janeiro de 1554);
  • invasão da baía de Guanabara, em 1555, pelos franceses, que pretendiam estabelecer uma colônia naquele local (a França Antártica). Como não dispunha de recursos para expulsá-los, o governador nada pôde fazer, sendo preciso esperar a chegada de Mem de Sá.

Em 1574, foi nomeado por D. Sebastião Presidente do Senado da Câmara de Lisboa.

Segundo o Agiologio Lusitano, terá sido o 9º provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa[1].

DescendênciaEditar

Duarte da Costa se casou com Maria da Silva, filha de Francisco de Mendonça e Leonor de Almeida, filha de Francisco de Almeida, Vice-Rei da Índia:

•Margarida da Costa (1525-?) Se casou com Duarte de Melo, 5° Senhor de Povolide. Com Descendência.

•Álvaro da Costa (1530-?) Se casou com Leonor de Sousa, filha de Fernão Alves de Sousa e Brites de Sousa. Sem Descendência.

•Francisco da Costa (1531-?) Se casou com Joana Henriques, filha de Gonçalo Vaz Pinto, 4° Senhor de Ferreiros e Violante Henriques. Com Descendência.

•Ana da Costa (1533-?) Se casou com Antônio Moniz Barreto, Governador da Índia Portuguesa. Com Descendência.

•João da Costa (1534-1562)

•Lourenço da Costa (1535-1562)

Referências

Precedido por
Tomé de Sousa
Governador do Brasil
1553 — 1558
Sucedido por
Mem de Sá
Precedido por
Afonso de Albuquerque
Presidente do Senado da Câmara de Lisboa
1574 — 1575
Sucedido por
Pedro de Almeida


  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.