Abrir menu principal
Dudu Borges
Informação geral
Nome completo Eduardo Borges de Souza
Nascimento 28 de março de 1983 (36 anos)
Origem Campo Grande, Mato Grosso do Sul
País  Brasil
Gênero(s) Hard rock, música sertaneja, música cristã contemporânea, pop rock, rock cristão
Instrumento(s) Teclado, piano, órgão hammond
Período em atividade 2000-atualmente
Afiliação(ões) Resgate, Michel Teló, Jorge & Mateus, João Bosco & Vinícius
Página oficial http://www.duduborges.com.br

Eduardo Borges de Souza, mais conhecido como Dudu Borges e, em alguns casos, com o nome artístico Analaga (Campo Grande, 28 de março de 1983) é um multi-instrumentista, compositor, arranjador e produtor musical brasileiro.[1]

É ex-integrante da banda de rock cristão Resgate, da qual participou de 2002 a 2012, atuando como tecladista, compositor e produtor musical. No entanto, maior parte de sua notoriedade foi adquirida ao trabalhar com artistas do meio sertanejo, do qual é considerado um dos principais responsáveis pela musicalidade da geração "universitária". Foi, por anos, o produtor musical mais caro do Brasil.[2]

Desde 2018, lança singles e álbuns sob o nome artístico Analaga.[3]

BiografiaEditar

Nascido num lar cristão em Campo Grande, Dudu Borges começou seu contato com a música logo na infância. Com as influências de seu pai, pianista, começou a tocar sozinho aos oito anos. Aos quatorze já trabalhava como produtor e arranjador de singles para publicidade e na música religiosa no estúdio de seu primo em sua cidade.[4]

Aos 17 anos, Dudu mudou-se para São Paulo para estudar música mas na primeira semana já estava contratatado por uma gravadora gospel. Segundo Dudu Borges, seu primeiro trabalho de projeção foi no disco Aperte o Play, da banda Patmus, que foi sua porta de entrada para São Paulo, lançado em 2000. Também trabalhou com a banda Resgate em 2002, trabalhando no álbum Eu Continuo de Pé ao lado do produtor Paulo Anhaia.[5] Daí, começou a ser produtor de músicos e grupos da Gospel Records, sendo músico fixo da gravadora.[4]

Com o envolvimento do músico com a Igreja Renascer em Cristo e com uma presença maior nos shows do Resgate, Dudu Borges foi efetivado integrante em 2005. Na época, o Resgate já tinha mais de quinze anos de carreira e, após a entrada de Dudu, foi lançado Até eu Envelhecer. O projeto contou com a assinatura do tecladista como produtor.[6] Ainda, trabalhou com o Katsbarnea no álbum A Tinta de Deus, dentre outros discos até o fechamento da gravadora em 2009.[4]

Depois de se estabelecer no meio religioso, o produtor ingressou mercado de música sertaneja. Em 2005, como tecladista e arranjador, Dudu gravou o DVD Ao Vivo em Campo Grande do Grupo Tradição, tendo um dos seus arranjos como ponto inicial da carreira na música sertaneja. A faixa “Campeão de Bilheteria” foi considerada a primeira música do Grupo Tradição a tocar em nacionalmente em rádios.

Em 2006, Dudu Borges escreveu os arranjos de algumas músicas do DVD Ao Vivo em Goiânia, da dupla Bruno & Marrone. “Não Posso Ter Medo de Amar” foi escolhida para ser a música de trabalho da dupla naquele ano.

No mesmo ano, começou a parceria com a dupla João Bosco & Vinícius fazendo o arranjo da música “Se Não Dá Pra Continuar”. A parceria com a dupla continuou e em 2009, Dudu produziu o CD Curtição, que trazia o hit “Chora, Me Liga”. O álbum foi a entrada definitiva no mercado de música nacional. Produzido e arranjado por Dudu Borges, Curtição é considerado o disco responsável por toda a mudança que ocorreu na música sertaneja dos dias de hoje. [7]

Em 2009, Dudu Borges inaugurou o Studio Vip, um dos maiores e mais modernos estúdios do Brasil em equipamento e conceito, onde são produzidos somente seus próprios projetos.

Em 2011, o músico trabalhou na compilação que reuniu os maiores sucessos da banda Resgate em mais de 22 anos de carreira, o Pretérito Imperfeito, mais que Perfeito, sendo seu último trabalho com a banda. Seu envolvimento com outros músicos e trabalhos fora do Resgate fez com que Dudu Borges deixasse a banda em 2012.[8] Apesar disso, a relação entre o tecladista e a banda seguiu amigável e o baterista Jorge Bruno chegou a dizer que "Somos muito amigos"[9] e o vocalista Zé Bruno afirmou que "Ele é um cara especial. Não é à toa que está onde está. Trabalha sério e é diferente" em uma entrevista.[10]

Ainda em 2011, veio o primeiro prêmio internacional: o Grammy Latino na categoria Melhor Álbum de Música Sertaneja com o disco homônimo de João Bosco & Vinícius, onde Dudu Borges produziu e arranjou todas as faixas.

A partir daí, Dudu Borges começou a ser procurado para produzir a maioria das duplas e cantores sertanejos de maior sucesso no Brasil. Produziu Luan Santana, Gusttavo Lima, Fernando & Sorocaba, Cristiano Araújo, Lucas Lucco, entre outros. Com o aumento de sua popularidade, Dudu Borges também passou a produzir artistas e bandas de outros gêneros, como Jorge Ben Jor, Fábio Jr., Oba Oba Samba House, Aviões do Forró, Belo, Fiuk, entre outros. O músico também já trabalhou com Dulce Maria, Ricky Martin, Maná, Carlos Vives, dentre outros.

Em 2014, os canais de TV Multishow e Canal Bis exibiram a primeira temporada do programa Studio Vip, em 6 episódios mostrando o dia a dia do produtor em seu estúdio e tudo o que acontece por trás de cada projeto. Nessa era de música digital que vivemos, Dudu Borges ultrapassou a marca de 1 bilhão de visualizações dos vídeos oficiais das músicas produzidas por ele.

Em abril de 2018, Dudu Borges passou a utilizar o nome artístico Analaga e lançou músicas colaborativas com diferentes artistas, incluindo principalmente covers.[11] Em 2019, a música "Lençol Dobrado", lançada por Dudu Borges em parceria com a dupla João Gustavo & Murilo, foi uma das mais executadas no Brasil em seu ano de lançamento.[12]

DiscografiaEditar

Com o Resgate
Como produtor musical e/ou músico convidado e arranjador

Ver tambémEditar

Referências

  1. «Dudu Borges». Banda Resgate. Consultado em 2 de agosto de 2012. Arquivado do original em 27 de julho de 2012 
  2. «BASTIDORES: Entrevista com Dudu Borges». UOL Música. Consultado em 18 de outubro de 2019 
  3. «"Solto", projeto ANALAGA estreia com parceria de Bruninho & Davi e Thiago Brava». Blog do Andrézão. Consultado em 18 de outubro de 2019 
  4. a b c «Entrevista com Dudu Borges - Um dos maiores produtores da música sertaneja e gospel». Rubem Mukama. Consultado em 2 de agosto de 2008. Arquivado do original em 3 de março de 2016 
  5. «Resgate - discografia e obra». O Propagador. Consultado em 1 de março de 2015. Arquivado do original em 21 de maio de 2015 
  6. «Entrevista: Dudu Borges». Super Gospel. Consultado em 2 de agosto de 2012 
  7. «Dudu Borges mostra que tem faro para o mercado, trabalhando com pagode, gospel, duplas sertanejas e artistas pop». Uai. Consultado em 2 de agosto de 2012 
  8. «Confira nossa conversa com Dudu Borges, considerado como um dos melhores produtores musicais do país». Super Gospel. Consultado em 2 de agosto de 2012 
  9. «Confira nossa conversa com Jorge Bruno e Zé Bruno sobre o novo disco do Resgate para este ano». Super Gospel. Consultado em 18 de outubro de 2019 
  10. «Confira nosso bate papo com Zé Bruno, vocalista e guitarrista do Resgate». Super Gospel. Consultado em 18 de outubro de 2019 
  11. «ANALAGA apresenta a música "Solto" nas vozes de Bruninho e Davi e Thiago Brava». iG. Consultado em 18 de outubro de 2019 
  12. «YouTube Music revela os hits do Carnaval 2019». Google Discovery. Consultado em 18 de outubro de 2019 

Ligações externasEditar