Dunga

treinador e ex-futebolista brasileiro; ex-treinador da Seleção Brasileira de Futebol
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados de Dunga, veja Dunga (desambiguação).

Carlos Caetano Bledorn Verri (Ijuí, 31 de outubro de 1963), mais conhecido como Dunga, é um treinador e ex-futebolista brasileiro que atuava como volante. Atualmente, está sem clube.

Dunga
Dunga
Dunga em 2008 pela Seleção Brasileira
Informações pessoais
Nome completo Carlos Caetano Bledorn Verri
Data de nasc. 31 de outubro de 1963 (59 anos)
Local de nasc. Ijuí, Rio Grande do Sul, Brasil
Nacionalidade brasileiro
Altura 1,76 m
destro
Apelido Capitão
Informações profissionais
Clube atual sem clube
Posição ex-volante
Função treinador
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1983–1984
1984–1985
1986
1987
1987–1988
1988–1992
1992–1993
1993–1995
1995–1998
1999–2000
Internacional
Corinthians
Santos
Vasco da Gama
Pisa
Fiorentina
Pescara
Stuttgart
Júbilo Iwata
Internacional
0021 0000(1)
0061 0000(5)
0040 0000(4)
0023 0000(3)
0029 0000(3)
0154 000(12)
0023 0000(3)
0056 0000(8)
0127 000(17)
0034 0000(2)
Seleção nacional
1987–1998 Brasil 0091 0000(6)
Times/clubes que treinou
2006–2010
2008
2013
2014–2016
Brasil
Brasil Sub-23
Internacional
Brasil
Última atualização: 16 de junho de 2016

Como jogador, sua maior conquista foi a Copa do Mundo FIFA de 1994, disputada nos Estados Unidos, sendo o capitão da Seleção Brasileira. Como treinador, teve sua nomeação para ser o técnico do Brasil em 24 de julho de 2006, conquistando a Copa América de 2007 e a Copa das Confederações FIFA de 2009. Retornou ao comando da Seleção no dia 22 de julho de 2014, permanecendo até junho de 2016.

Foi considerado pela revista Época um dos 100 brasileiros mais influentes do ano de 2009.[1] Dunga tem ascendência alemã e italiana.[2]

ApelidoEditar

O apelido Dunga foi dado por um dos seus tios, em referência a um dos Sete Anões, acreditando que Carlos não teria uma estatura maior.[3]

Carreira como jogadorEditar

InternacionalEditar

Revelado no Internacional em 1983, Dunga sempre chamou a atenção pela liderança em campo. Volante duro na marcação, não hesitava em tentar lançamentos para os companheiros da frente, nem em desferir potentes chutes com a perna direita.[4]

CorinthiansEditar

Dunga foi contratado pelo Corinthians em meados de 1984. Por onde ficou até 1985. Ele foi vice-campeão paulista em 1984 e no ano seguinte fez parte do time que tinha Carlos, Wladimir, Biro-Biro, Eduardo Amorim, Casagrande, Serginho Chulapa, Hugo De León, Zenon, mas que não ganhou nada. Atuou em 61 jogos e anotou cinco gols.[5]

SantosEditar

Santos

VascoEditar

No início de 1987, o Vasco da Gama anunciou a contratação de Dunga para reforçar a equipe para disputar o Campeonato Carioca. Lá ele encontrou Acácio, Paulo Roberto, Donato, Mazinho, Geovani, Tita, Roberto Dinamite e Romário.[6]

Entre jogos do carioca e amistosos, Dunga fez 23 jogos e 3 gols pelo Vasco, porém deixou o clube antes do fim do campeonato que foi vencido pelo Time da Cruz de Malta.[7]

PisaEditar

Dunga chegou ao Pisa por empréstimo junto a Fiorentina. A torcida lotou os aeroportos em sua chegada e com pouco tempo conseguiu se tornar ídolo da equipe. [8]Ele teve ótimas atuações pelo clube, conseguindo livrar a equipe italiana, presidido na época por Romeo Anconetani, do rebaixamento, algo que foi muito comemorado por seu torcedor.[9]

Dunga teve uma atuação fantástica contra a Inter de Milão, onde o Pisa venceu por 2 a 1 com um golaço dele, e além do gol, conseguiu controlar muito o meio-campo, e com o resultado conseguiu manter o clube na primeira divisão.[10]

FiorentinaEditar

Dunga foi contratado pela Fiorentina em 1987, a pedido do então técnico da Viola, Sven-Göran Eriksson, porém devido ao número de estrangeiros, ele foi emprestado ao Vasco e ao Pisa. Assim só chegou a Fiorentina em 1988.

Na temporada 1989/1990, Dunga e Baggio conduziram o time de Firenze a Final da Copa da UEFA 1990, porém perderam para o time da Juventus.[11]

Dunga deixou a Fiorentina após quatro épocas e 122 jogos e oito gols .[12]

PescaraEditar

Em 1992 foi afastado da Fiorentina pelo vice-presidente Cecchi Gori e depois vendido ao Pescara, a temporada 1992-1993, foi o retorno do Pescara à Série A e para fortalecer o elenco foi acompanhado pelas chegadas de John Sivebæk (campeão europeu com a Dinamarca), Roger Mendy e Dunga, porém, o time era fraco, sendo rebaixado, após o fim da temporada que encerrou a experiência italiana.[13]

Duga deixou o Pescara onde jogou 23 partidas e fez três golos, além disso, o Pescara alcançou somente 6 vitórias sendo rebaixado em 18º lugar para a 2ª divisão italiana na temporada 92/93. Eles ficaram simplesmente da 8ª rodada até a 34ª em último lugar.[14]

StuttgartEditar

Dunga foi contratado pelo Stuttgart, por 2 Milhões de € na temporada 93/94. Ele o primeiro brasileiro para atuar com a camisa do VfB na história, Dunga teve uma missão difícil com a camisa Suábia, substituir o maior ídolo da história do clube, Karl Allgöwer.[15]Estreou com a camisa dos Die Roten diante do Borussia Dortmund na Bundesliga, onde inclusive já marcou de cara um gol.[16]Dunga terminou sua primeira temporada com 4 Golos e 4 assistências em 28 partidas disputadas.[17]

Já na segunda temporada o Stuttgart almejava melhores posições e contratou Elber e Fredi Bobič para ajudarem o brasileiro, porém só esses três não foram o suficiente.[18]

Dunga deixou o Stuttgart sem nenhum título. Foram 53 jogos e oito gols.[19]

Júbilo IwataEditar

Dunga foi contratado pelo Júbilo Iwata em 1995. Ele disputou quatro temporadas na Celeste de Shizuoka, entre 1995 e 1998, enquanto era titular absoluto na Seleção Brasileira. Durante esse período o Júbilo se tornou um dos grandes do futebol japonês. Em 1997 o time conquistou a J-League pela primeira vez e o brasileiro levou o prêmio de MVP.[20][21]

Retorno ao InternacionalEditar

Dunga retornaria ao Internacional, no qual fez três gols na sua última passagem. Foi decisivo na última rodada do Campeonato Brasileiro de 1999 ao fazer o gol que livrou o Colorado do rebaixamento contra o Palmeiras.[22] E em 2000 fez seu último gol contra o 15 de Novembro, na vitória do Inter por 3 a 0.

Seleção BrasileiraEditar

Ficou internacionalmente conhecido quando foi convocado para disputar a Copa do Mundo FIFA de 1990 na Itália pela Seleção Brasileira. O técnico Sebastião Lazaroni, querendo transformar o jeito do Brasil jogar, que nas duas Copas anteriores com Telê Santana havia sido acusado de perder por se preocupar apenas em jogar bonito, convocou jogadores mais aguerridos e fortes na marcação. Dentre estes novos jogadores, o que chamou mais atenção foi Dunga. Daí logo a imprensa apelidar a nova filosofia de jogo como sendo próprio da "Era Dunga".

A derrota na Copa e esse rótulo infeliz trouxeram grandes dissabores para o jogador. Mas em 1994 ele retornaria para uma nova chance. E dessa vez não decepcionou: com a faixa de capitão ergueu a taça do mundo do Brasil tetracampeão. Além da liderança do time, Dunga fora ainda incumbido de outra espinhosa missão, na qual também se saiu bem: foi o companheiro de quarto de Romário, a fim de segurar na linha o indisciplinado mas indispensável jogador.[23]

Em 1998, Dunga disputaria a sua terceira Copa. Mostrando toda a garra e vontade de vencer de sempre, desta vez Dunga acabou exagerando e foi flagrado pelas câmeras de televisão dando uma cabeçada em Bebeto, durante uma discussão em pleno jogo enquanto a bola estava parada.[24] Constrangido, Dunga acabou se sentido isolado e diminuiu seu ímpeto.

Carreira como treinadorEditar

Mesmo depois de parar de jogar futebol, Dunga nunca foi esquecido, e num dos momentos mais tristes para a torcida, quando o Brasil perdeu a Copa do Mundo FIFA de 2006, quando era amplamente favorito, muitos acreditavam que aquela seleção carecia de uma voz forte de comando, diferente da de Parreira. Surpreendentemente, Dunga voltou para a Seleção Brasileira, na sua primeira experiência como treinador, com a missão de mexer com o brio dos jogadores e montar novamente um time competitivo e vencedor.

Seleção BrasileiraEditar

Em 24 de julho de 2006, foi nomeado como o novo treinador da Seleção Brasileira, substituindo Carlos Alberto Parreira, embora não tivesse nenhuma pré-experiência profissional no cargo.

Seu primeiro jogo no cargo foi contra a Noruega, em Oslo, em 16 de agosto (o resultado foi um empate de 1–1).[25] Sua segunda partida foi realizada contra a Argentina, que terminou derrotada por 3–0, em 3 de setembro, no Emirates Stadium.[26] Em 5 de setembro derrotaram o País de Gales por 2–0, no White Hart Lane. Mais tarde derrotaram o Equador por 2–1, e tiveram uma vitória em cima da Suíça, por 2–1.

 
Dunga num treino da Seleção poucos dias antes do começo da Copa do Mundo

Em 2007, começou com a derrota para Portugal por 2–0, o que acarretou as primeiras críticas ao treinador. Na preparação para a Copa América, quatro amistosos foram realizados, tendo o Brasil conseguido duas vitórias e dois empates. Na estreia da Copa América, uma derrota para o México, mais uma vez por 2–0, fazendo com que as críticas aumentassem.[27] Porém, a Seleção se recuperou, batendo Equador, Chile, Uruguai e derrotando a favorita Argentina na final por 3–0, devolvendo a confiança.[28]

Após a conquista da Copa América, a Seleção fez três amistosos e quatro jogos pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2010, obtendo cinco vitórias e dois empates. Mesmo assim, o grupo chegou a 2008 sob a desconfiança do torcedor brasileiro, o que não melhorou com as derrotas para Venezuela e Paraguai em junho, esta última pelas Eliminatórias.[29] Três empates consecutivos em terras brasileiras contra Argentina, Bolívia e Colômbia só agravaram a situação do comandante, que, um mês antes, havia treinado também a Seleção Brasileira Olímpica na decepção nos Jogos Olímpicos, em que esta saiu derrotada nas semifinais para os rivais argentinos. O ano terminou, porém, com a goleada histórica sobre Portugal por 6–2, num amistoso realizado em Brasília.

A volta por cima continuou em 2009, com a Seleção tendo vencido a Itália por 2–0 em fevereiro, e feito excelentes campanhas no restante das Eliminatórias, goleando Peru, Uruguai, Argentina e Chile, além de ter devolvido a derrota ao Paraguai, e na Copa das Confederações FIFA de 2009, sagrando-se campeão ao derrotar Egito, duplamente os Estados Unidos, mais uma vez a Itália e a anfitriã África do Sul.

A preparação para a Copa do Mundo FIFA de 2010 foi proveitosa, tendo a Seleção vencido inclusive a Inglaterra ainda em novembro de 2009. Na disputa do mundial, o Brasil se classificou em primeiro do Grupo G, vencendo Coreia do Norte, Costa do Marfim e empatado com Portugal. Nas oitavas-de-final, venceu o Chile por 3–0, dando adeus à competição nas quartas de final, perdendo para os Países Baixos por 2–1.

DemissãoEditar

No dia 4 de julho de 2010, dois dias depois da eliminação, a comissão técnica, após o ciclo iniciado em 2006, foi destituído do comando da Seleção Brasileira.[30][31]

Al-RayyanEditar

Em 29 de agosto de 2011, foi cogitado como novo comandante do Al-Rayyan, do Catar, para o lugar de Paulo Autuori, que assumiu a seleção olímpica do país. Porém, no dia 5 de setembro, o clube anunciou a contratação de Diego Aguirre.[32]

InternacionalEditar

No dia 12 de dezembro de 2012, foi confirmado como novo técnico do Internacional para a temporada 2013.[33] Retornou ao clube depois de doze anos longe do Estádio Beira-Rio, onde iniciou e, após passagens por diversos clubes, encerrou sua carreira como jogador. Estreou no dia 30 de janeiro, contra a equipe do Novo Hamburgo, onde o jogo terminou em 0 a 0, pelo Campeonato Gaúcho.[34]

Encerrou sua passagem como técnico do Internacional no dia 4 de outubro.[35]

Retorno à SeleçãoEditar

Em 22 de julho de 2014, foi nomeado como treinador da Seleção Brasileira, substituindo Luiz Felipe Scolari, após a campanha da Seleção como sede na Copa do Mundo.[36][37]

Foi demitido no dia 14 de junho de 2016, após fracas campanhas nas Eliminatórias da Copa do Mundo FIFA de 2018 e nas Copas Américas de 2015 e Centenário.[38][39]

JogosEditar
Legenda:      Vitórias —      Empates —      Derrotas
Data Competição Local Placar Adversário Ref.
2006
1 16 de agosto Amistoso   Oslo 1 – 1   Noruega [40]
2 3 de setembro Amistoso   Londres 3 – 0   Argentina
3 5 de setembro Amistoso   Londres 2 – 0   País de Gales
4 7 de outubro Amistoso   Cidade do Kuwait 4 – 0   Kuwait
5 10 de outubro Amistoso   Estocolmo 2 – 1   Equador
6 15 de novembro Amistoso   Basileia 2 – 1   Suíça
2007
7 6 de fevereiro Amistoso   Londres 0 – 2   Portugal [41]
8 24 de março Amistoso   Gotemburgo 4 – 0   Chile
9 27 de março Amistoso   Estocolmo 1 – 0   Gana
10 1 de junho Amistoso   Londres 1 – 1   Inglaterra
11 5 de junho Amistoso   Dortmund 0 – 0   Turquia
12 27 de junho Copa América de 2007   Puerto Ordaz 0 – 2   México
13 1 de julho Copa América de 2007   Maturín 3 – 0   Chile
14 4 de julho Copa América de 2007   Puerto la Cruz 1 – 0   Equador
15 7 de julho Copa América de 2007   Puerto la Cruz 6 – 1   Chile
16 10 de julho Copa América de 2007   Maracaibo 2 – 2   Uruguai
17 15 de julho Copa América de 2007   Maracaibo 3 – 0   Argentina
18 22 de agosto Amistoso   Montpellier 2 – 0   Argélia
19 9 de setembro Amistoso   Chicago 4 – 2   Estados Unidos
20 12 de setembro Amistoso   Boston 3 – 1   México
21 14 de outubro Eliminatórias da Copa do Mundo de 2010   Bogotá 0 – 0   Colômbia
22 17 de outubro Eliminatórias da Copa do Mundo de 2010   Rio de Janeiro 5 – 0   Equador
23 18 de novembro Eliminatórias da Copa do Mundo de 2010   Lima 1 – 1   Peru
24 21 de novembro Eliminatórias da Copa do Mundo de 2010   São Paulo 2 – 1   Uruguai
2008
25 6 de fevereiro Amistoso   Dublin 1 – 0   Irlanda [42]
26 26 de março Amistoso   Londres 1 – 0   Suécia
27 31 de maio Amistoso   Seattle 3 – 2   Canadá
28 6 de junho Amistoso   Boston 0 – 2   Venezuela
29 15 de junho Eliminatórias da Copa do Mundo de 2010   Assunção 0 – 2   Paraguai
30 18 de junho Eliminatórias da Copa do Mundo de 2010   Belo Horizonte 0 – 0   Argentina
31 7 de setembro Eliminatórias da Copa do Mundo de 2010   Santiago 3 – 0   Chile
32 10 de setembro Eliminatórias da Copa do Mundo de 2010   Rio de Janeiro 0 – 0   Bolívia
33 12 de outubro Eliminatórias da Copa do Mundo de 2010   San Cristóbal 4 – 0   Venezuela
34 15 de outubro Eliminatórias da Copa do Mundo de 2010   Rio de Janeiro 0 – 0   Colômbia
35 19 de novembro Amistoso   Brasília 6 – 2   Portugal
2009
36 10 de fevereiro Amistoso   Londres 2 – 0   Itália [43]
37 29 de março Eliminatórias da Copa do Mundo de 2010   Quito 1 – 1   Equador
38 1 de abril Eliminatórias da Copa do Mundo de 2010   Porto Alegre 3 – 0   Peru
39 6 de junho Eliminatórias da Copa do Mundo de 2010   Montevidéu 4 – 0   Uruguai
40 10 de junho Eliminatórias da Copa do Mundo de 2010   Recife 2 – 1   Paraguai
41 15 de junho Copa das Confederações de 2009   Bloemfontein 4 – 3   Egito
42 18 de junho Copa das Confederações de 2009   Pretória 3 – 0   Estados Unidos
43 21 de junho Copa das Confederações de 2009   Pretória 3 – 0   Itália
44 25 de junho Copa das Confederações de 2009   Joanesburgo 1 – 0   África do Sul
45 28 de junho Copa das Confederações de 2009   Joanesburgo 3 – 2   Estados Unidos
46 12 de agosto Amistoso   Tallinn 1 – 0   Estónia
47 5 de setembro Eliminatórias   Rosário 3 – 1   Argentina
48 9 de setembro Eliminatórias   Salvador 4 – 2   Chile
49 10 de outubro Eliminatórias   La Paz 1 – 2   Bolívia
50 14 de outubro Eliminatórias   Campo Grande[44] 0 – 0   Venezuela
51 14 de novembro Amistoso   Doha 1 – 0   Inglaterra
52 17 de novembro Amistoso   Mascate 2 – 0   Omã
2010
53 2 de março Amistoso   Londres 2 – 0   Irlanda [45]
54 2 de junho Amistoso   Harare 3 – 0   Zimbabwe
55 7 de junho Amistoso   Dar es Salaam 5 – 1   Tanzânia
56 15 de junho Copa do Mundo   Joanesburgo 2 – 1   Coreia do Norte
57 20 de junho Copa do Mundo   Joanesburgo 3 – 1   Costa do Marfim
58 25 de junho Copa do Mundo   Durban 0 – 0   Portugal
59 28 de junho Copa do Mundo   Joanesburgo 3 – 0   Chile
60 2 de julho Copa do Mundo   Porto Elizabeth 1 – 2   Países Baixos
2014
61 5 de setembro Amistoso   Miami 1 – 0   Colômbia [46]
62 9 de setembro Amistoso   Nova Jersey 1 – 0   Equador
63 11 de outubro Superclássico das Américas   Pequim 2 – 0   Argentina
64 14 de outubro Amistoso   Singapura 4 – 0   Japão
65 12 de novembro Amistoso   Istambul 4 – 0   Turquia
66 18 de novembro Amistoso   Viena 2 – 1   Áustria
2015
67 26 de março Amistoso   Paris 3 – 1   França [47]
68 29 de março Amistoso   Londres 1 – 0   Chile [48]
69 7 de junho Amistoso   São Paulo 2 – 0   México [49]
70 10 de junho Amistoso   Porto Alegre 1 – 0   Honduras
71 14 de junho Copa América de 2015   Temuco 2 – 1   Peru
72 17 de junho Copa América de 2015   Santiago 0 – 1   Colômbia
73 21 de junho Copa América de 2015   Santiago 2 – 1   Venezuela
74 27 de junho Copa América de 2015   Concepción 1 – 1   Paraguai [50][49]
75 5 de setembro Amistoso   Harrison 1 – 0   Costa Rica [49]
76 8 de setembro Amistoso   Foxborough 4 – 1   Estados Unidos
77 8 de outubro Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018   Santiago 0 – 2   Chile
78 13 de outubro Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018   Fortaleza 3 – 1   Venezuela
79 12 de novembro Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018   Buenos Aires 1 – 1   Argentina
80 17 de novembro Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018   Salvador 3 – 0   Peru
2016
81 25 de março Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018   São Lourenço da Mata 2 – 2   Uruguai [51]
82 29 de março Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018   Assunção 2 – 2   Paraguai [52]
83 29 de maio Amistoso   Commerce City 2 – 0   Panamá [53]
84 4 de junho Copa América Centenário   Pasadena 0 – 0   Equador [54]
85 8 de junho Copa América Centenário   Orlando 7 – 1   Haiti [55]
86 12 de junho Copa América Centenário   Foxborough 0 – 1   Peru [56]
EstatísticasEditar
Competição Jogos Vitórias Empates Derrotas Aprov. Resultado
% % %
Amistosos 26 21 80,8 3 11,5 2 7,7 84,6
Copa América de 2007 6 4 66,6 1 16,7 1 16,7 72,2 Campeão
Copa das Confederações de 2009 5 5 100,0 0 0,0 0 0,0 100,0 Campeão
Eliminatórias da Copa de 2010 18 9 50,0 7 38,9 2 11,1 63,0 1.º colocado (classificado)
Copa do Mundo de 2010 5 3 60,0 1 20,0 1 20,0 66,7 Quartas de final
1.º período (2006–2010) 60 42 70,0 12 20,0 6 10,0 76,7
Amistosos 12 12 100,0 0 0,0 0 0,0 100,0
Superclássico das Américas de 2014 1 1 100,0 0 0,0 0 0,0 100,0 Campeão
Copa América de 2015 4 2 50,0 1 25,0 1 25,0 50,0 Quartas de final
Eliminatórias da Copa de 2018 6 2 33,3 3 50,0 1 16,7 50,0
Copa América Centenário 3 1 33,3 1 33,3 1 33,3 44,4 Fase de grupos
2º período (2014–2016) 26 18 69,2 5 19,2 3 11,5 75,6
Total 86 60 68,9 17 19,8 9 10,5 69,7
Atualizadas até 7 de julho de 2019

Seleção Brasileira OlímpicaEditar

JogosEditar
Data Competição Local   Placar Adversário Ref.
1 22 de junho de 2008 Amistoso Volta Redonda (BRA) Brasil 1–0   Rio de Janeiro [57]
2 28 de julho de 2008 Amistoso Cidade de Singapura (SGP) Brasil 3–0   Singapura [58]
3 1 de agosto de 2008 Amistoso Hanói (VNM) Brasil 2–0   Vietnã [59]
4 7 de agosto de 2008 Olimpíadas 2008 Shenyang (CHN) Brasil 1–0   Bélgica [60]
5 10 de agosto de 2008 Olimpíadas 2008 Shenyang (CHN) Brasil 5–0   Nova Zelândia [61]
6 13 de agosto de 2008 Olimpíadas 2008 Qinhuangdao (CHN) Brasil 3–0   China [62]
7 16 de agosto de 2008 Olimpíadas 2008 Shenyang (CHN) Brasil 2–0 (pro)   Camarões [63]
8 19 de agosto de 2008 Olimpíadas 2008 Pequim (CHN) Brasil 0–3   Argentina [64]
9 22 de agosto de 2008 Olimpíadas 2008 Xangai (CHN) Brasil 3–0   Bélgica [65]
EstatísticasEditar
Tipo Jogos Vitórias Empates Derrotas Aprov. Observações
% % %
Amistosos 3 3 100,0 0 0,0 0 0,0 100,0
Olimpíadas 2008 6 5 83,3 0 0,0 1 16,7 83,3 Medalha de bronze
Total 9 8 88,9 0 0,0 1 11,1 88,9


Estatísticas
Tipo Jogos Vitórias Empates Derrotas %
Aprovei-
tamento
Observações
% % %
Taça Piratini - Camp. Gaúcho de 2013 (1° turno) 11 7 63,63 3 27,27 1 9,09 72,72 Campeão
Taça Farroupilha - Camp. Gaúcho de 2013 (2° turno) 10 8 80,00 1 10,00 1 10,00 83,33 Campeão
Total 21 15 71,42 4 21,04 2 9,52 77,77 Atualizado até 24 de maio de 2013

Outros trabalhosEditar

Em 2005, Dunga foi um dos três jurados do reality show esportivo Joga 10, apresentado pela Rede Bandeirantes.

TítulosEditar

Como jogadorEditar

Internacional
Vasco da Gama
Jubilo Iwata
Seleção Brasileira

Prêmios individuaisEditar

Campanhas de destaqueEditar

Seleção Brasileira

Como treinadorEditar

Seleção Brasileira
Internacional

Campanhas de destaqueEditar

Seleção Brasileira

Referências

  1. «Os 100 brasileiros mais influentes de 2009». Revista Época. 5 de dezembro de 2009. Consultado em 31 de julho de 2021 
  2. Diogo Dreyer da Silva. «A imigração alemã». Educacional. Consultado em 4 de abril de 2022 
  3. Thiago Lavinas (30 de julho de 2008). «No Vietnã, Dunga vira Carlos». GloboEsporte.com. Consultado em 31 de julho de 2021 
  4. «Dunga, uma história de perseverança». Gazeta do Povo. 24 de julho de 2006. Consultado em 31 de julho de 2021 
  5. «DUNGA». Terceiro tempo. Consultado em 2 de janeiro de 2023 
  6. «Carioca de 1987: o primeiro título da super geração vascaína do final dos anos 80». Última divisão. Consultado em 2 de janeiro de 2023 
  7. «Os 50 anos do, entre outras coisas, vascaíno Dunga». Veja Rio. Consultado em 2 de janeiro de 2023 
  8. «Dunga no Pisa - A primeira experiência do volante na Itália». O curioso do futebol. Consultado em 2 de janeiro de 2023 
  9. «Pisa Sporting Club 1987-1988» (em italiano). wikiwand. Consultado em 2 de janeiro de 2023 
  10. «"SERIE A-STORY": STAGIONE 1987/88. 1 NOVEMBRE 1987, PISA-INTER 2-1!». Calcio 80 story. Consultado em 2 de janeiro de 2023 
  11. «Quell'antica rugginetra Juve e Fiorentina» (em italiano). Gazzetta. Consultado em 2 de janeiro de 2023 
  12. «Dunga visita a Fiorentina e elogia Felipe Melo». Diário gaúcho. Consultado em 2 de janeiro de 2023 
  13. «Dalla retrocessione col Pescara a campione del mondo: la scalata di Dunga» (em italiano). Goal. Consultado em 2 de janeiro de 2023 
  14. «Dunga: O primeiro brasileiro a vestir a camisa do VfB Stuttgart». Vfb Suttgart Brasil. Consultado em 2 de janeiro de 2023 
  15. «Dunga: O primeiro brasileiro a vestir a camisa do VfB Stuttgart». vfbsuttgartbrasil. Consultado em 2 de janeiro de 2023 
  16. «A passagem de Dunga pelo Stuttgart». O curioso do futebol. Consultado em 2 de janeiro de 2023 
  17. «Dunga». BDfutbol. Consultado em 2 de janeiro de 2023 
  18. «Der sensationelle Einstand von Carlos Dunga beim VfB Stuttgart: Von Bällen, Kühen und Freistößen» [Estreia sensacional de Carlos Dunga no VfB Stuttgart: bolas, vacas e faltas] (em alemão). Suedkurier. Consultado em 2 de janeiro de 2023 
  19. «Em Stuttgart, Dunga é ídolo do clube e é lembrado com carinho pelos fãs». GE. Consultado em 2 de janeiro de 2023 
  20. «Os 10 melhores brasileiros que já jogaram no Japão - Segundo os japoneses». GE. Consultado em 2 de janeiro de 2023 
  21. «Os brasileiros que ajudaram a construir a história do futebol japonês». Goal. Consultado em 2 de janeiro de 2023 
  22. «Veterano Dunga salva o Inter no final». Folha de S.Paulo. 11 de novembro de 1999. Consultado em 4 de abril de 2022 
  23. «Romário diz que Dunga dormia durante suas "escapadas" na Copa». Terra. 21 de maio de 2012. Consultado em 31 de julho de 2021 
  24. «Capitão Dunga dá bronca e cabeçada em Bebeto». Folha de S.Paulo. 17 de junho de 1998. Consultado em 31 de julho de 2021 
  25. João Henrique Medice (16 de agosto de 2006). «Vibrante e desentrosada, seleção abre "Era Dunga" com empate». UOL. Consultado em 31 de julho de 2021 
  26. Bruno Freitas (3 de setembro de 2006). «Brasil vence a Argentina com cartada de Dunga». UOL. Consultado em 31 de julho de 2021 
  27. «Brasil abusa dos erros e cai diante do México na estreia: 2 a 0». Extra. 27 de junho de 2007. Consultado em 31 de julho de 2021 
  28. Bruno Freitas e Leandro Canônico (15 de julho de 2007). «Brasil rouba o "jogo bonito" da favorita Argentina para levar o bi». UOL. Consultado em 31 de julho de 2021 
  29. Bruno Freitas (15 de junho de 2008). «Brasil cai contra o Paraguai pelo chão e vê pressão nas eliminatórias». UOL. Consultado em 31 de julho de 2021 
  30. «CBF anuncia que comissão técnica da Seleção está destituída». GaúchaZH. 4 de julho de 2010. Consultado em 31 de julho de 2021 
  31. «Dunga é demitido após acenar permanecer na seleção». G1. 4 de julho de 2010. Consultado em 31 de julho de 2021 
  32. «Al Rayyan, do Qatar, desiste de Dunga e contrata técnico do Peñarol». GloboEsporte.com. 5 de setembro de 2011. Consultado em 31 de julho de 2021 
  33. «Após reunião, Internacional acerta contratação de Dunga como novo técnico». Superesportes. 12 de dezembro de 2012. Consultado em 31 de julho de 2021 
  34. «Na estreia de Dunga, Inter empata sem gols com o Novo Hamburgo». Terra. 30 de janeiro de 2013. Consultado em 31 de julho de 2021 
  35. Maurício Saraiva (4 de outubro de 2013). «Após quarta derrota seguida, Inter demite o técnico Dunga». GloboEsporte.com. Consultado em 31 de julho de 2021 
  36. «Em coletiva, CBF anuncia retorno de Dunga ao comando da seleção brasileira. Veja imagens». R7. 22 de julho de 2014. Consultado em 31 de julho de 2021 
  37. «Dunga se "desarma" e usa bom humor para superar reencontro com imprensa». GloboEsporte.com. 22 de julho de 2014. Consultado em 31 de julho de 2021 
  38. «Após reunião na CBF, Dunga é demitido do comando da Seleção». GloboEsporte.com. 14 de junho de 2016. Consultado em 31 de julho de 2021 
  39. Gustavo Moniz (15 de junho de 2016). «Dunga é demitido da seleção brasileira após fiasco na Copa América». El País. Consultado em 31 de julho de 2021 
  40. «Jogos da Seleção em 2006». Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Consultado em 8 de julho de 2008. Arquivado do original em 12 de agosto de 2014 
  41. «Jogos da Seleção em 2007». CBF. Consultado em 8 de julho de 2008. Arquivado do original em 4 de julho de 2009 
  42. «Jogos da Seleção em 2008». CBF. Consultado em 20 de novembro de 2008. Arquivado do original em 13 de maio de 2013 
  43. Confederação Brasileira de Futebol (CBF). «Jogos da Seleção em 2009». Consultado em 4 de setembro de 2009. Arquivado do original em 24 de junho de 2009 
  44. «Brasil x Venezuela, no dia 14 de outubro, será em Campo Grande (MS)». CBF. 2 de setembro de 2009. Consultado em 9 de setembro de 2009. Arquivado do original em 12 de agosto de 2014 
  45. Confederação Brasileira de Futebol (CBF). «Jogos da Seleção Brasileira em 2010». Consultado em 15 de junho de 2010. Arquivado do original em 24 de maio de 2010 
  46. Confederação Brasileira de Futebol (CBF). «Jogos da Seleção Brasileira em 2014». Consultado em 22 de julho de 2014 
  47. «Brasil derrota França de virada por 3 a 1 no Stade de France». Confederação Brasileira de Futebol. 26 de março de 2015. Consultado em 4 de abril de 2022 
  48. «Brasil derrota o Chile por 1 a 0 no Emirates Stadium». Confederação Brasileira de Futebol. 29 de março de 2015. Consultado em 4 de abril de 2022 
  49. a b c «Fixtures and Results» (em inglês). FIFA.com. Consultado em 7 de março de 2015 
  50. «Seleção Brasileira se despede da Copa América nos pênaltis». Confederação Brasileira de Futebol. 27 de junho de 2015. Consultado em 31 de julho de 2021 
  51. «Brasil abre 2 a 0, mas sofre gol de Suárez e cede empate ao Uruguai». Gazeta Esportiva. 25 de março de 2016. Consultado em 31 de julho de 2021 
  52. Antônio Strini (29 de março de 2016). «Brasil se salva no fim, arranca empate do Paraguai, mas sai da zona de classificação». ESPN Brasil. Consultado em 31 de julho de 2021 
  53. «Gabigol marca na estreia e Brasil bate Panamá antes da Copa América». UOL. 30 de maio de 2016. Consultado em 4 de abril de 2022 
  54. «Brasil decepciona e empata com o Equador em estreia na Copa América Centenário». GaúchaZH. 5 de junho de 2016. Consultado em 31 de julho de 2021 
  55. «7 a 1 de novo, mas sem Alemanha: Brasil goleia Haiti com show de Coutinho». UOL. 8 de junho de 2016. Consultado em 31 de julho de 2021 
  56. «Vexame! Brasil perde para o Peru e cai na primeira fase da Copa América». LANCE!. 12 de junho de 2016. Consultado em 31 de julho de 2021 
  57. CBF News (22 de junho de 2008). «Seleção Olímpica vence Seleção do RJ: 1 a 0». Consultado em 8 de julho de 2008. Arquivado do original em 9 de julho de 2008 
  58. CBF News (28 de julho de 2008). «Seleção Brasileira Olímpica vence Cingapura por 3 a 0». Consultado em 28 de julho de 2008. Arquivado do original em 5 de agosto de 2008 
  59. CBF News (1 de agosto de 2008). «Seleção Brasileira Olímpica vence Vietnã por 2 a 0». Consultado em 1 de agosto de 2008. Arquivado do original em 5 de agosto de 2008 
  60. CBF News (7 de agosto de 2008). «Brasil estréia nas Olimpíadas de Pequim vencendo a Bélgica por 1 a 0». Consultado em 8 de agosto de 2008. Arquivado do original em 10 de agosto de 2008 
  61. CBF News (10 de agosto de 2008). «Brasil faz 5 a 0 na Nova Zelândia e se classifica para as quartas-de-final das Olimpíadas». Consultado em 10 de agosto de 2008. Arquivado do original em 21 de setembro de 2008 
  62. CBF News (13 de agosto de 2008). «Brasil vence China por 3 a 0 e enfrenta Camarões sábado, às 7 horas de Brasília, pelas quartas-de-final». Consultado em 13 de agosto de 2008. Arquivado do original em 21 de setembro de 2008 
  63. CBF News (16 de agosto de 2008). «Brasil vence Camarões por 2 a 0 e está nas semifinais das Olimpíadas». Consultado em 17 de agosto de 2008. Arquivado do original em 21 de agosto de 2008 
  64. CBF News (19 de agosto de 2008). «Argentina vence Brasil por 3 a 0 e está na final das Olimpíadas de Pequim». Consultado em 19 de agosto de 2008. Arquivado do original em 12 de agosto de 2014 
  65. CBF News (22 de agosto de 2008). «Seleção Brasileira vence Bélgica por 3 a 0 e conquista medalha de bronze nas Olimpíadas de Pequim». Consultado em 22 de agosto de 2008. Arquivado do original em 25 de agosto de 2008 

Ligações externasEditar

Precedido por
Carlos Alberto Parreira
Treinador da Seleção Brasileira de Futebol
2006–2010
Sucedido por
Mano Menezes
Precedido por
Osmar Loss (interino)
Treinador do Internacional
2013–2014
Sucedido por
Clemer
Precedido por
Luiz Felipe Scolari
Treinador da Seleção Brasileira de Futebol
2014–2016
Sucedido por
Tite