Abrir menu principal
Armas do Condes, Marqueses e Duques de Ávila.

Marquês de Ávila (ou, segundo a grafia da época, Marquês d'Ávila), foi um título nobiliárquico criado por D. Luís I por decreto de 24 de Maio de 1870 e confirmado por carta de 31 de Maio do mesmo ano, em favor de António José de Ávila, destacado político português. O título vinha substituir o de Conde de Ávila, que lhe fora atribuído pelo mesmo monarca por decreto de 13 de Fevereiro de 1864 e confirmado por carta de 15 de Fevereiro do mesmo ano.

António José de Ávila viria ainda a receber, em sua vida (não extensível aos herdeiros), o título de Duque de Ávila e Bolama (através de decreto de D. Luís de 14 de Maio de 1878), por ter conseguido, através da mediação do presidente norte-americano Ulysses S. Grant, garantir a soberania portuguesa sobre a ilha de Bolama, na Guiné-Bissau, também disputada pelo Reino Unido. É o único dos vinte e nove títulos de duque em Portugal atribuído a um nobre sem vínculo de sangue à Casa Real portuguesa.

Índice

Condes de ÁvilaEditar

 
António José de Ávila, 1.º Conde, 1.º Marquês e 1.º Duque de Ávila e Bolama
 
António José de Ávila, 2.º Marquês de Ávila
  1. António José de Ávila (8 de Março de 18063 de Maio de 1881), 1.º Marquês de Ávila e 1.º Duque de Ávila e Bolama
  2. António José de Ávila (7 de Novembro de 184213 de Agosto de 1917), 2.º Marquês de Ávila

Marqueses de ÁvilaEditar

  1. António José de Ávila (8 de Março de 18063 de Maio de 1881), 1.º Conde de Ávila e 1.º Duque de Ávila e Bolama
  2. António José de Ávila (7 de Novembro de 184213 de Agosto de 1917), 2.º Conde de Ávila

Duque de Ávila e BolamaEditar

  1. António José de Ávila (8 de Março de 18063 de Maio de 1881), 1.º Conde de Ávila e 1.º Marquês de Ávila

Fontes e bibliografiaEditar

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre História de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.