Abrir menu principal
Economia do Iêmem
Extração de petróleo no Iêmem.
Moeda rial iemenita
Ano fiscal ano calendário
Blocos comerciais OMC (observador), Liga Árabe
Estatísticas
PIB 61,88 bilhões (2010) (85º lugar)
Variação do PIB -0,2% (2014)
PIB per capita 3 800 (2014)
PIB por setor agricultura 8,2%, indústria 38,8%, comércio e serviços 53% (2010)
Inflação (IPC) 20% (2017)
População
abaixo da linha de pobreza
54% (214)
Coeficiente de Gini 37,7 (2005)
Força de trabalho total 7,158 milhões (2014)
Força de trabalho
por ocupação
A maioria da população se dedica ao pastoreio e à criação de aves. Comércio, serviços, atividade industrial representam menos de ¼ do PIB
Desemprego 37% (2014)
Principais indústrias produção e refino de petróleo, pequena produção de têxteis de algodão e artigos de couro, processamento de alimentos, artesanato, produção de pequenos utensílios de alumínio, cimento, conserto de navios comerciais, gás natural
Exterior
Exportações 7 462 milhões (2010)
Produtos exportados petróleo bruto, café, peixe seco e salgado, gás natural liquefeito
Principais parceiros de exportação República Popular da China 36%, Tailândia 17,63%, Índia 13,54%, África do Sul 6,16%, Japão 5,49%, Emirados Árabes Unidos 4,99% (2009)
Importações 8 350 milhões (2010)
Produtos importados alimentos e animais vivos, máquinas e equipamentos, produtos químicos
Principais parceiros de importação República Popular da China 13,98%, Emirados Árabes Unidos 12,3%, Índia 8,63%, Arábia Saudita 5,8%, Estados Unidos 4,52%, Brasil 4,51%, Turquia 4,51%, Kuwait 4,33%, França 4,24% (2009)
Dívida externa bruta 7 147 milhões (2010)
Finanças públicas
Receitas 7 581 milhões (2010)
Despesas 9 345 milhões (2010)
Fonte principal: The World Factbook
Salvo indicação contrária, os valores estão em US$

O Iêmem é um país com receitas reduzidas, que é altamente dependente da exportação de reduzidas jazidas de petróleo, o qual é responsável por 25% do produto interno bruto e 70% das rendas governamentais[1]. É, no entanto, o país mais pobre do Médio Oriente. A agricultura é favorecida por ser a única região da península árabe com chuvas regulares.

O país tem tentado contornar os efeitos do declínio das jazidas diversificando a economia a partir de um programa de reformas iniciado em 2006 destinado a setores não-petrolíferos e à atração de investimentos estrangeiros.[1] Em outubro de 2009 o país exportou pela primeira vez gás natural liquefeito, como primeiro resultado deste programa de diversificação. Em janeiro de 2010 a comunidade internacional estabeleceu o programa Parceiros do Iêmem, para apoiar os esforços de diversificação econômica, e em agosto do mesmo ano, o Fundo Monetário Internacional aprovou um programa de ajuda ao país de 370 milhões de dólares em três anos. Apesar destas iniciativas ambiciosas, o país continua a enfrentar programas em longo prazo, incluindo a escassez de água e o elevado crescimento populacional.[1]

A expulsão de mais de um milhão de trabalhadores iemenitas da Arábia Saudita durante a Guerra do Golfo, em 1990 teve como consequência um acentuado declínio económico.

IDH: 0,449; 149°/174.

Dívida pública: 93% do produto nacional bruto.

ReferênciasEditar

  1. a b c The World Factbook. Consultado em 24 de maio de 2011
  Este artigo sobre economia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


  Iémen
História • Política • Forças Armadas • Subdivisões • Geografia • Economia • Demografia • Cultura • Turismo • Portal • Imagens