Edgar Franco

artista brasileiro de banda desenhada
Disambig grey.svg Nota: Se procura o ator brasileiro, veja Edgard Franco.
Edgar Franco
Edgar Franco na edição de 2018 do Festival Internacional de Quadrinhos.
Nome nativo Edgar Silveira Franco
Pseudônimo(s) Ciberpajé
Nascimento 20 de setembro de 1971 (49 anos)
Cidadania Brasil
Alma mater Universidade de Brasília, Universidade Estadual de Campinas, Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo
Ocupação artista de história em quadrinhos, acadêmico, professor, ilustrador, roteirista de histórias em quadrinhos, baixista, professor universitário
Empregador Universidade Federal de Goiás, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
Página oficial
http://ciberpaje.blogspot.com/

Edgar Silveira Franco, mais conhecido como Edgar Franco (Ituiutaba, 20 de setembro de 1971)[1] ou Ciberpajé[2] é um autor de histórias em quadrinhos, brasileiro, formado em arquitetura, doutor em artes e professor da faculdade de Artes Visuais da Universidade Federal de Goiás.[3]Como autor, produziu diversos fanzines e HQs, especialmente no que convencionou-se chamar de "quadrinhos poético-filosóficos" (que também contam com produções de autores como Flávio Calazans e Gazy Andraus).[4][5] Cunhou os neologismos artlectos, usado para definir androides e e redes de computadores, criado com a junção de artificial e intelecto,[6] HQtrônica, usado para definir histórias em quadrinhos digitais (como as webcomics) com conteúdo multimídia[7][8] e HQforismo, misto de histórias em quadrinhos e aforismos.[9] Criou um universo compartilhado de ficção científica conhecido como Aurora Biocibertecnológica ou Aurora Pós-Humana, criado em 2004 a partir do projeto musical "Posthuman Tantra", o universo é explorado em BioCyberDrama (parceria com Mozart Couto), da revista Artlectos e Pós-humanos[10] e as HQtrônicas: NeoMaso Prometeu, Ariadne e o Labirinto Pós-humano e brinGuedoTeCA 2.0 e explora temas como pós-humanismo, invasão alienígena,[11] genética, telemática, robótica, biônica, ciborgues, inteligência artificial e extropia.[12]


BiografiaEditar

Edgar Franco, iniciou a carreira como quadrinista aos 12 anos, publicando em revista independentes (os chamados fanzines), formou-se em Arquitetura e Urbanismo na Universidade de Brasília, ainda na faculdade iniciou pesquisas relacionando histórias em quadrinhos e arquitetura.[1][13]

Em 1994, em parceria com Gazy Andraus, publicou o fanzine Irmãos Siameses.[14]

Como autor de histórias em quadrinhos, publicou nas revistas Quadreca, Brasilian Heavy Metal, Nektar, Metal Pesado, Quark, Fêmea Feroz, Ervilha, Mephisto (Alemanha), Dragon's Breath (Inglaterra), Ah, BD! (Romênia), além dos álbuns Agartha, Transessência e Elegia publicados pela editora Marca de Fantasia de Henrique Magalhães, em 2003, o álbum BioCyberDrama, desenhado por Mozart Couto publicado pela Opera Graphica, no ano seguinte publicou pela Marca de Fantasia, o livro História em Quadrinhos e Arquitetura,[1] no ano seguinte publicou HQtrônicas: do suporte papel à rede Internet, sobre quadrinhos digitais com recursos multimídia e webcomics, cuja pesquisa foi havia sido apresentado em sua tese de mestrado em Multimeios na Unicamp, o livro foi uma publicação conjunta da editora Annablume e a Fapesp. Em 2006, lança a revista Artlectos e Pós-humanos pela SM Editora de José Salles[6] e apresenta na Escola de Comunicações e Artes da USP a tese de doutorado Perspectivas Pós-humanas Nas Ciberartes,[15] foi colunista do site Bigorna.net,[16] professor dos cursos de Ciência da Computação e Arquitetura e Urbanismo da PUC-MG (Unidade Poços de Caldas) entre 2001 e 2008, atualmente professor adjunto de Faculdade de Artes Visuais na Universidade Federal de Goiás, onde também atua como professor professor permanente no Programa de Mestrado em Cultura Visual[3] Em 2009, a terceira edição, a revista Artlectos e Pós-humanos passa a ser publicada pela Marca de Fantasia.[17] Em 2013, publica pela editora da Universidade Federal de Goiás, o álbum BioCyberDrama Saga, contendo as três partes do arco de história, sendo o primeiro publicado pela Opera Graphica em 2003.[18]

Em 2019, ao lado de Gazy Andraus, Danielle Barros e Alberto de Souza, criou a ANZINE (Associação Nacional de Pesquisa e Criação de Fanzines).[19]

Em outubro de 2020, lançou pela Marca de Fantasia, uma antologia de contos baseados em suas ilustrações de seu universo ficcional, escritos por Edgar Smaniotto, Fábio Fernandes, Fabio Shiva, Gazy Andraus, Gian Danton, Nelson de Oliveira e Octavio Aragão.[20]

Em março de 2021, lançou o EP Ciberpajé: Odor do Infinito, cvom participação do Projeto Antar.[21]

Bibliografia parcialEditar

 
Autorretrato de Edgar Franco
Quadrinhos
  • Biocyberdrama - em colaboração com Mozart Couto. (Opera Graphica, 2003)[22]
  • Transessência (Marca de Fantasia, 2003)
  • Elegia (Marca de Fantasia, 2005)
  • Artlectos e Pós-humanos ( SM Editora e Marca de Fantasia, 2006 - )[23]
  • BioCyberDrama Saga (Editora UFG, 2013)
  • Retrogênese - em colaboração com Al Greco (Reverso, 2014)
  • Ecos Humanos (Reverso, 2018)
  • Duetos Essenciais e parceria com Júlio Shimamoto, Gian Danton, Omar Viñole, Ricardo Borges, Luciano Irrthum, Simone Maia, Nuno Nisa, Norival Bottos Junior, Gazy Andraus, Rose Franco, Renato Pereira Coelho, Petter Baiestorf, Marcos Freitas, Roberto Schima, Henry Jaepelt, Al Greco, Luciano Teodouros, Erika Saheki, Hiiris Lassorian, Marcelo Marat, Michel, J. M. Tognon e Antonio Eder (Marca de Fantasia, 2017)
  • Agarta (terceira edição, Marca de Fantasia, 2018)
  • Enteogênicos (Criativo Editora, 2019)
Livros teóricos
  • História em Quadrinhos e Arquitetura (Marca de Fantasia, 2004)[24]
  • Hqtrônicas: do suporte papel à rede Internet (Annablume /Fapesp, 2004)
  • O que é História em Quadrinhos Brasileira, organizado por Edgard Guimarães (2005, Marca de Fantasia)
  • Os Quadrinhos na Era da Digital – Hqtrônicas, webcomics e cultura participativa, organizado por Lucio Luiz (Marsupial Editora, 2013)
  • Intersecções – Diferentes olhares sobre as histórias em quadrinhos, organizado por Waldomiro Vergueiro, Paulo Ramos e Nobu Chinen (Criativo Editora, 2013)
  • Das pinturas rupestres de Lascaux: uma viagem pelo universo dos quadrinhos, organizado por Arnaldo Pinheiro Mont’Alvão Júnior, Edgar Cézar Nolasco (Marca de Fantasia, 2014)
  • Quadrinhos & Educação, Vol. 1: Relatos de Experiências e Análises de Publicações. Vol. I, organizado por Thiago Modenesi e Amaro Braga (Faculdade dos Guararapes, 2015)
  • Religiosidades nas Histórias em Quadrinhos, organizado por Amaro Braga e Iuri Andréas Reblin, (Associação de Pesquisadores em Arte Sequencial - ASPAS, 2015)
  • Arte sequencial em perspectiva multidisciplinar, organizado por Iuri Andréas Reblin e Márcio dos Santos Rodrigues, (Associação de Pesquisadores em Arte Sequencial - ASPAS, 2015)
  • Quadrinhos expandidos: das HQtrônicas aos plug-ins de neocortex (Marca de Fantasia, 2017)
  • História em Quadrinhos e Arquitetura - 3ª edição (Marca de Fantasia, 2020)[25]
Livros de arte
Outros

ReferênciasEditar

Notas


  1. a b c «Edgar Silveira Franco». Universidade Federal de Goiás [ligação inativa]
  2. «Professor lança livro "Conversas com o Ciberpajé"». Jornal UFG. Consultado em 3 de dezembro de 2019 
  3. a b Matheus Moura (2010). «Da ficção ao real». Editora Escala. Conhecimento Prático Filosofia (27). Arquivado do original em 22 de abril de 2016 
  4. Arquivos Incríveis: Sidarta, grande mistério dos anos 70
  5. Moura, Matheus (2014). «Quadrinhos poético filosóficos». Editora Escala. Conhecimento Prático – Literatura (51). Arquivado do original em 5 de outubro de 2017 
  6. a b Artlectos e Pós-humanos de Edgar Franco
  7. "HQtrônicas" revolucionam quadrinhos
  8. As HQtrônicas e suas características
  9. Artlectos e Pós-humanos 12
  10. «Posthumanism». Marca de Fantasia. Consultado em 7 de outubro de 2019 
  11. Edgar Franco lança música e ilustrações na França
  12. Páginas inéditas do novo trabalho de Mozart Couto
  13. «Bigorna.net: Biografias: Edgar Franco». www.bigorna.net. Consultado em 9 de novembro de 2019 
  14. «Irmãos Siameses - Gazy Andraus & Edgar Franco». marcadefantasia.com. Consultado em 9 de março de 2020 
  15. Carlos Costa sobre release (5 de setembro de 2006). «Edgar Franco defende tese na USP». HQManiacs 
  16. Edgar Franco (1 de outubro de 2007). «As HQtrônicas e suas características». bigorna.net 
  17. Artlectos e Pós-Humanos nº3
  18. BioCyberDrama sai na íntegra
  19. «Fanzinoteca do Campus Macaé é sede de associação de pesquisa». IFFluminense. Consultado em 9 de novembro de 2019 
  20. «2021 - Ciberpajé (org.)». www.marcadefantasia.com. Consultado em 15 de outubro de 2020 
  21. «Ciberpajé: Odor do infinito - Edgar Franco». www.marcadefantasia.com. Consultado em 4 de abril de 2021 
  22. Notícia quadrinhos. «Álbum BioCyberDrama traz arte de Mozart Couto». Consultado em 16 de novembro de 2010 
  23. Artlectos e Pós-humanos
  24. Marcelo Naranjo (19 de abril de 2004). «História em Quadrinhos e Arquitetura, da Marca de Fantasia». Universo HQ 
  25. «História em Quadrinhos e Arquitetura - Edgar Franco». www.marcadefantasia.com. Consultado em 29 de julho de 2020 
Web

«Entrevista para o Blog dos Quadrinhos - Tese Analisa Como Seriam as Artes no Futuro.» 


Ligações externasEditar

  Este artigo sobre autor ou ilustrador de banda desenhada é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.