Eduardo, o Português

pintor português

Eduardo, o Português ou Eduwart Portugalois foi um pintor de origem portuguesa do início da primeira metade do século XVI. Viveu na Flandres onde foi discípulo e colaborador de Quentin Metsys em 1504. Em 1506 obteve o título de mestre pela Guilda de São Lucas de Antuérpia.[1]

Eduardo
Pseudónimo(s) Eduardo, o Português
Nacionalidade Portugal Portuguesa
Área Pintor

Apesar de escassos testemunhos da sua arte, as excelentes obras que lhe são atribuídas enquadram-se na caracterização estilística da escola flamenga, podendo estabelecer-se um paralelo entre a sua obra e o trabalho de Quentin Metsys. De facto, no início do século XVI, estabeleceu-se uma estreita relação, no contexto artístico, entre Portugal e a Flandres, situação que influenciou profundamente a pintura portuguesa da época, nomeadamente o trabalho de artistas como Jorge Afonso, Vasco Fernandes, Gregório Lopes, Cristóvão de Figueiredo, entre outros.

Obras conhecidasEditar

 
A Virgem,o Menino e um Anjo (entre 1501 e 1525), no MNAA

Inserida numa construção de mármore ao estilo renascentista, encontra-se a Virgem, de manto branco orlado de ouro e véu transparente a cobrir-lhe a cabeça, e o Menino, nu e de pé sobre o colo de Nossa Senhora. Do lado esquerdo da composição, um anjo oferece um fruto a Jesus, ao passo que a Virgem segura uma flor com a mão esquerda.[2]

Acusando directamente a influência de Quentin Metsys, com quem Eduwart Portugalois trabalhou, este tríptico representa no painel central a Descida da Cruz, cujas personagens são as mesmas que surgem na Lamentação que o mestre Quentin Metsys pintou e que se encontra actualmente na National Gallery of Canada em Ottawa. Nos painéis laterais surge, do lado esquerdo, Cristo a caminho do Calvário e, do lado direito, Cristo Ressuscitado. No reverso dos postigos São João Baptista e São João Evangelista completam a obra.[3]

Bibliografia relacionadaEditar

  • CEULENEER, Ad. de, Le Portugal — Notes d'art et d'archéologie, Auvers, 1882, p. 84
  • GUSMÃO, Adriano de, "Os Primitivos e a Renascença" in Arte Portuguesa. Pintura (Dir. João Barreira), Lisboa: Edições Excelsior, 1948 e 1951
  • PORFÍRIO, José Luis, A Pintura no Museu Nacional de Arte Antiga, Lisboa: Banif-Reproscan, 1992, pág. 50
  • PUYVELDE, Léo van, Edouard Portugalois, München : Bruckmann, 1960
  • REIS-SANTOS, Luís, Eduardo, o Português' Lisboa: Artis, 1966
  • REIS-SANTOS, Luís, "Édouard Portugalois, disciple et collaborateur de Quentin Metsys", in Pantheon, 26, 1968, p. 194.
  • RODRIGUES, Dalila, "A Pintura do Período Manuelino", in História da Arte Portuguesa (dir. Paulo Pereira), Vol. II. Lisboa: Círculo de Leitores, 1995
  • VASCONCELOS, Joaquim de, Arte Religiosa em Portugal, Porto: Emílio Briel & Ca. Editores, 1914

Referências

  1. Damião de Góis, Crónica do Felicíssimo Rei Dom Manuel, segunda parte
  2. Ficha técnica sobre a obra na MatrizNet, [1]
  3. Ficha técnica sobre a obra na MatrizNet, [2]