Edu Gaspar

futebolista brasileiro
(Redirecionado de Eduardo César Daud Gaspar)

Eduardo César Daud Gaspar, mais conhecido como Edu Gaspar ou simplesmente Edu (São Paulo, 16 de maio de 1978), é um dirigente e ex-futebolista brasileiro que atuava como volante. Atualmente é coordenador técnico do Arsenal.

Edu Gaspar
Edu Gaspar
Informações pessoais
Nome completo Eduardo César Daud Gaspar
Data de nasc. 16 de maio de 1978 (42 anos)
Local de nasc. São Paulo (SP), Brasil
Altura 1,89 m
canhoto
Apelido Edu
Informações profissionais
Período em atividade 1998–2010 (12 anos)
Equipa atual Arsenal
Posição Ex-volante
Função Coordenador Técnico
Clubes de juventude
1990–1998 Corinthians
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1998–2000
2001–2005
2005–2009
2009–2010
Corinthians
Arsenal
Valencia
Corinthians
0094 0000(1)
0127 000(15)
0072 0000(1)
0027 0000(0)
Seleção nacional
2004–2005 Brasil 0015 0000(0)
Times/Equipas que treinou

Seu último clube como atleta foi o Corinthians, onde também iniciou sua carreira. Destacou-se também no futebol europeu, onde atuou durante oito anos, passando por Arsenal e Valencia. Pela Seleção Brasileira, fez parte dos elencos campeões da Copa América de 2004 e da Copa das Confederações de 2005.

Carreira como jogadorEditar

CorinthiansEditar

Edu Gaspar foi formado pelas categorias de base do Corinthians, onde permaneceu três temporadas, ganhando os títulos do Campeonato Brasileiro de 1998 e 1999, o Campeonato Paulista de 1999 e o Mundial de Clubes da FIFA de 2000.

ArsenalEditar

Depois desse período, foi vendido para o Arsenal por 9 milhões de euros. Lá, teve problemas com sua documentação referente a aquisição da cidadania portuguesa, por linha familiar. Em cinco temporadas no clube inglês, conquistou o Premier League (sendo o primeiro brasileiro a conquistar o Campeonato Inglês) de 2001–02 e 2003-04, a Copa da Inglaterra de 2001–02, 2002–03 e 2004–05 e a Supercopa da Inglaterra de 2003 e 2004.

ValenciaEditar

Após o final do seu contrato com o Arsenal, decidiu por não renovar, descartando propostas de Real Madrid e Barcelona e acertando com o Valencia. No clube espanhol, sofreu uma série de contusões, fato que o atrapalhou na missão de se firmar como titular na equipe. Ao final da temporada 2008–09, já planejava um retorno ao Timão.[1][2]

Retorno ao CorinthiansEditar

Foi dispensado pelo Valencia no dia 6 de julho de 2009, e logo acertou sua volta ao Parque São Jorge. Se apresentou como reforço um dia depois, 7 de julho. Atuou em onze partidas no Campeonato Brasileiro daquele ano.

Em março de 2011, decidiu encerrar sua carreira de jogador e foi anunciado como novo gerente de futebol do clube onde iniciou sua carreira.[3]

Seleção BrasileiraEditar

Edu foi convocado diversas vezes para a Seleção Brasileira. Estreou em abril de 2004, e fez parte do time que conquistou a Copa América 2004 e a Copa das Confederações 2005.

Porém, acabou atrapalhado por suas diversas lesões, como o grave rompimento dos ligamentos do joelho às vésperas da Copa do Mundo 2006, acabando assim, com o seu sonho de disputar o torneio. Edu tinha fortes esperanças em ir à Copa, já que era constantemente convocado pelo técnico Carlos Alberto Parreira para a disputa das eliminatórias. Conseguiu retornar aos gramados semanas antes do Mundial, tendo tempo insuficiente para voltar ao ápice de sua forma e, consequentemente, ir à Copa.

Após a saída de Parreira, não voltou a figurar nas listas de convocações da Seleção.

Carreira como dirigenteEditar

CorinthiansEditar

Como dirigente do Timão, foi campeão da Copa Libertadores da América de 2012, do Campeonato Paulista de 2013, da Recopa Sul-Americana de 2013 e do Campeonato Brasileiro de 2015. Na calçada da fama do Parque São Jorge, recebeu o prêmio de melhor dirigente de 2012 e foi homenageado pelo Arsenal ao ter participado dos 10 anos dos "Invencíveis".

Em fevereiro de 2013, como gerente de futebol corintiano, falou emocionado sobre a morte de um jovem torcedor na estreia do clube na Libertadores, diante do San José, da Bolívia. Para o ex-atleta, a tragédia o fez lembrar de seu filho, Luigi Gaspar, que sempre ia ao Pacaembu acompanhado do pai e se sentava ao lado da torcida rival, e de sua irmã, falecida há mais de 12 anos, num acidente automobilístico.[4]

Seleção BrasileiraEditar

Em 2016, por indicação do então treinador da Seleção, Tite, foi contratado pela CBF para ser o coordenador técnico de Seleções da instituição.[5]

ArsenalEditar

Após o título da Copa América de 2019, foi anunciado como novo diretor técnico do Arsenal no dia 9 de julho.[6][7]

TítulosEditar

Como jogadorEditar

Corinthians
Arsenal
Valencia
Seleção Brasileira

Como diretor de futebolEditar

Seleção Brasileira

Corinthians

Referências

  1. Fernando Poffo (19 de junho de 2009). «Edu insiste: 'Quero voltar ao Timão'». GloboEsporte.com. Consultado em 22 de janeiro de 2020 
  2. Leandro Canônico (20 de junho de 2009). «Deco descarta retorno ao Timão, e Edu terá reunião para sacramentar acordo». GloboEsporte.com. Consultado em 22 de janeiro de 2020 
  3. Carlos Padeiro (17 de março de 2011). «Ex-volante Edu será o novo gerente do Corinthians, vaga deixada por William». UOL Esporte. Consultado em 22 de janeiro de 2020 
  4. «Edu Gaspar chora e lembra morte de irmã após tragédia em Oruro». Terra. 21 de fevereiro de 2013. Consultado em 22 de janeiro de 2020 
  5. Lauro Neto (17 de junho de 2016). «Del Nero apresenta Edu Gaspar como novo coordenador de seleções na CBF». O Globo. Consultado em 22 de janeiro de 2020 
  6. «Arsenal anuncia a contratação de Edu Gaspar como diretor técnico. Veja». FOX Sports. 9 de julho de 2019. Consultado em 22 de janeiro de 2020 
  7. «Arsenal anuncia Edu Gaspar como novo diretor técnico». Terra. 9 de julho de 2019. Consultado em 22 de janeiro de 2020 
   Este artigo sobre um futebolista brasileiro é um esboço relacionado ao projeto desporto. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

[[Categoria:Dirigentes do Sport Club Corinthians Paulisnnnnmm