Abrir menu principal
Eduardo Caldas
Nome completo Eduardo Caldas Cavalcanti de Albuquerque
Nascimento 18 de setembro de 1984 (35 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Nacionalidade brasileiro
Residência Miami, FL
Ocupação Roteirista, diretor e produtor
Cônjuge Luisa Acosta Gomes (c. 2016)
Página oficial

Eduardo Caldas Cavalcanti de Albuquerque (Rio de Janeiro, 18 de setembro de 1984) é um roteirista, diretor, produtor e ex-ator mirim brasileiro. Ele foi o maior ator mirim de sua geração, sendo apelidado de "Macaulay Culkin brasileiro" pela coluna "Controle remoto" do Jornal O Globo.

Hoje, usando o nome Eduardo Albuquerque, atua por trás das câmeras como roteirista, tendo escrito, entre outras coisas, o longa-metragem "A Esperança é a Última que Morre", estrelado por Dani Calabresa.

CarreiraEditar

Ator-mirim na Rede Globo (1991–2001)Editar

Eduardo fez sua estreia na Rede Globo interpretando o personagem Alvinho em 1991 na novela Felicidade, de Manoel Carlos. Uma grata surpresa junto a Tatyane Goulart, com quem fez memorável parceria na telinha, já foi chamado logo depois, em 1992, para estrelar sua primeira novela das 20h: De Corpo e Alma de Glória Perez. Possivelmente seu maior sucesso, Eduardo interpretou o personagem "Pinguim" e viveu o drama do "menino rico", filho de José Mayer e Maria Zilda Bethlem, que foi trocado na maternidade com o "menino pobre" (vivido por Aaron Hassan), filho de Neuza Borges e Tonico Pereira. Um tremendo sucesso de audiência à época, a decisão sobre com quem deveria ficar cada filho mobilizou o país, mas por conta do triste episódio do assassinato da atriz Daniella Perez, a novela acabou nunca sendo reprisada e reverenciada como merecia.

À partir deste sucesso inicial, a Rede Globo contratou por definitivo Eduardo, que atuou em diversas novelas de sucesso da emissora, como Pátria Minha, Quatro por Quatro (onde re-editou a dupla de sucesso com Tatyane Goulart), Vira Lata e Era uma vez..., bem como especiais como Você Decide e Os Trapalhões e a mini-série Chiquinha Gonzaga.

Pausa na carreira (2000–2005)Editar

Estafado, após 10 anos emendando novela em novela, Eduardo decidiu dar um tempo na carreira para curtir a adolescência.[1] Mas a medida que o tempo foi passando e sua personalidade desenvolvendo, Eduardo foi explorando outras áreas (como a música) e, além de não ter sentido saudade de atuar, acabou se tornando uma pessoa mais tímida,[2] de maneira que decidiu encerrar definitivamente a carreira de ator. Em 2001, terminou seu contrato de 7 anos com a Rede Globo.

Roteirista (2006–presente)Editar

Ainda apaixonado pelo audiovisual em si, ingressou na faculdade de cinema da PUC-Rio em 2003, se especializando em Roteiros, embora tenha dirigido alguns projetos. Seu primeiro trabalho "publicado" foi a segunda temporada do programa Básico, apresentado por Letícia Birkheuer no Canal Multishow. Trabalhou também no seriado "O Grande Gonzalez" do Porta dos Fundos para a FOX Brasil. Mas seu grande destaque até hoje foi seu primeiro longa-metragem A Esperança é a Última que Morre. A comédia, estrelada por Dani Calabresa, Danton Mello, Katiuscia Canoro e Rodrigo Sant'Anna foi o 16º filme brasileiro mais assistido de 2015, tendo sido indicado a "Melhor Filme" no 9º Los Angeles Brazilian Film Festival (LaBrFF).[3]

"Mudança" de nome Quando começou a carreira de Roteirista, segundo o próprio para "separar as coisas", Eduardo resolveu "aposentar" o sobrenome Caldas e passou a usar seu outro sobrenome; assinando "Eduardo Albuquerque" para sua persona roteirista e "Eduardo Caldas" para sua persona ator.[4] Em A Esperança é a Última que Morre, por exemplo, ele faz uma pequena ponta, que nos créditos finais é denominada "Eduardo Caldas", enquanto embaixo de "Roteiro:" aparece "Eduardo Albuquerque". Curiosamente apareceu creditado como "Eduardo Albuquerque" em suas primeiras novelas, mas, por sugestão de Manoel Carlos, que dizia que "Caldas" era mais curto e sonoro, resolveu mudar.

Outros trabalhosEditar

Sala dos Roteiristas

Desde Janeiro de 2015 mantem o site Sala dos Roteiristas, dedicado a textos sobre Roteiro e a indústria audiovisual brasileira, onde fala um pouco sobre sua experiência e responde perguntas enviadas pelo público.

Reverendo

Eduardo diz que a música é sua maior paixão, mas se rege por uma regra na qual "trabalha com a segunda coisa que mais ama, para não estragar a primeira".[5] De 2001 até 2005 teve uma banda (Canvas), na qual tocava baixo e fazia backing vocals. Autor de algumas músicas, a banda, que chegou a abrir para o Los Hermanos no Circo Voador, registrou apenas uma fita demo em 2002.

Mas em 2013, sob o pseudônimo "Reverendo", lançou um polêmico disco de "Opera Rap", chamado "Pio XI".[6] Completamente escrito (música e letra), gravado, mixado e masterizado por Eduardo, o disco foi lançado no dia 7 de abril de 2013 e está disponível para download no site da PPXI, um Movimento artístico do qual faz parte criado no bairro Jardim Botânico.[7] Em uma faixa "Fim", ele comenta sobre a mal sucedida tentativa de ter a participação especial de Fafá de Belém, de quem é fã, no disco.[8]

Último dia, com Eduardo Albuquerque

Em 2009, Eduardo e amigos pessoais se reuniram para fazer um projeto experimental e inovador: um talk show online ao vivo. Sempre sendo transmitido na última hora do último dia do mês, o Último Dia, com Eduardo Albuquerque trazia (além dos tradicionais monólogos, desk jokes/games, entrevista e apresentação musical) interação com os espectadores, que comentavam no chat da ustream.tv, site de streaming através do qual o programa era exibido. Durante 13 meses, receberam no programa nomes como Cecilia Papi, a "Cix", estrela do reality show Nós 3, do canal Multishow, o então desconhecido humorista Rafucko, o ator Otávio Ugá, o renomado jogador de poker e produtor musical Marcos Sketch, o multi-instrumentista Melvin (de bandas como Carbona, Leela, Autoramas), além de apresentações musicais de bandas como o Driving Music e do trovador Paulo Pilha, neto de Rubem Fonseca e também integrante do movimento PPXI.

Fluminense Football Club

Além de tricolor ilustre, Eduardo fundou o setor de audiovisual do Fluminense Football Club, onde, por duas temporadas (2012 e 2013), coordenou a pasta no Departamento de Marketing. Nesse tempo foi o responsável por toda a produção audiovisual do clube: desde os videos para as mídias socais do clube, até a criação da FLU TV em parceria com o Canal Premiere passando pelos licenciamentos audiovisuais como o "DVD Comemorativo do Tetra Campeonato Brasileiro de 2012" Globo Marcas e o longa-metragem Fla-Flu: 40 Minutos antes do Nada (Sentimental Filmes), dirigido por Renato Terra.

Vida pessoalEditar

Formado em Cinema pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), é filho do músico Robertinho de Recife e neto de Emília Barreto Correia Lima, Miss Brasil de 1955.

Em Julho de 2016, após namoro de 4 anos, casou-se em Miami com a produtora cultural Fluminense Luisa Acosta Gomes.[9]

Atualmente vive em Miami, nos Estados Unidos.[10]

FilmografiaEditar

Year Title Credit Notes
2015 A Esperança é a Última que Morre Roteirista Longa-metragem
2015 O Grande Gonzalez Roteirista Colaborador 10 episódios da série do Porta dos Fundos para a FOX Brasil
2013 Mosaico Fluminense Roteirista, Diretor Geral e Criador Série de 5 episódios para o Canal Premiere
2012 Decida o Tetr4 Roteirista e Diretor Filme publicitário estrelado por Gregório Duvivier, produção Clear Light.
2009 Básico Roteirista 7 episódios da série do Multishow produzida pela Mixer
2009 Turma do Niltinho Roteirista Episódio "A enciclopédia".
2008 Pseudociese Roteirista e Diretor Curta-metragem estrelado por Marcelo Adnet e Liliana Castro
2007 Ônibus 17/4 Roteirista e Diretor Documentário de Curta-metragem
2001 Um Anjo Trapalhão Ator Longa-metragem da Renato Aragão Produções. Personagem: Jesus
2000 Você Decide Ator 5 episódios da série "Você decide: Transas de Família" Rede Globo. Personagem: William
1999 Chiquinha Gonzaga Ator Mini-série Rede Globo. Personagem: Juca Gonzaga (1ª fase)
1998 Era uma vez... Ator Novela Rede Globo. Personagem: Sarrafo
1997 Zazá Ator Novela Rede Globo. Personagem: Jonas
1996 Vira Lata Ator Novela Rede Globo. Personagem: Toquinho.
1995 Malhação Ator Novela Rede Globo. Personagem: Lucas
1994 Quatro por Quatro Ator Novela Rede Globo. Personagem: Dinho "Animal"
1994 Pátria Minha Ator Novela Rede Globo. Personagem: Gabriel
1993 Sonho Meu Ator Novela Rede Globo. Personagem: Chico
1993 Trapalhões: Criança Esperança Ator Programa especial Rede Globo. Diversos personagens.
1992 De Corpo e Alma Ator Novela Rede Globo. Personagem: Pinguim
1991 Felicidade Ator Novela Rede Globo. Personagem: Alvinho

Referências

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.