Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde agosto de 2013). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Eduardo Chapot Prévost
Nascimento 25 de julho de 1864
Cantagalo
Morte 19 de outubro de 1907 (43 anos)
Rio de Janeiro
Cidadania Brasil
Ocupação cientista, médico, cirurgião

Eduardo Chapot Prévost (Cantagalo, 25 de julho de 1864Rio de Janeiro, 19 de outubro de 1907) foi um médico-cirurgião e cientista brasileiro.

BiografiaEditar

Formou-se em medicina pela Faculdade de Medicina de Salvador, em 1885, onde defendeu a tese Formas clínicas do puerperismo infeccioso e seu tratamento. Na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, iniciou-se no magistério como preparador em histologia, em 1888, passando a professor catedrático da Faculdade Nacional de Medicina, aos 25 anos, em 1890. Residiu boa parte de sua vida em Vitória, Espírito Santo.

Foi pioneiro no ensino de histologia e da cirurgia. Em 1900 tornou-se mundialmente famoso pela operação da primeira separação das xifópagas capixabas Rosalina e Maria Pinheiro Davel, trabalho descrito numa série de publicações e conferências no Brasil e na Europa. Assim descreve o médico e escritor Pedro Nava, cujo pai foi aluno de Chapot Prévost, a cirurgia: “Para realizá-la, ele preparou-se experimentalmente, criou e treinou um sistema pessoal de ligadura hepática, inventou uma mesa cirúrgica destinada ao xifópago e que, separados os mesmos, dividia-se também, indo cada metade para um lado da sala, servida pela respectiva equipe operatória que não interrompia, assim, um instante, o ato cruento tornado duplo.”[1]

Integrou-se a comissão que foi a Berlim estudar o processo do Dr. Robert Koch para cura da tuberculose, e a que reuniu no Rio de Janeiro, sob a presidência do professor Domingos Freire, para debelação da febre amarela. Foi patrono e membro titular da cadeira nº 81 da Academia Nacional de Medicina.

Obras
  • Pesquisas histológicas (1890)
  • A bouba e a sífilis (1892)
  • O carbúnculo no matadouro (1900)
  • Novo xifópago vivo (1901)
  • Xifópago operado(1902)
  • Cirurgia dos toracópagos (1901)
  • Teratópago brasileiro vivo (1905)

Referências

  1. Pedro Nava, Baú de Ossos, Cap. 3.

Ligações externasEditar