Educação no Afeganistão

A educação no Afeganistão é separada em Ensino Fundamental, Ensino Médio e Ensino Superior, a qual é administrada pelo Ministério da Educação e pelo Ministério da Educação Superior (no caso do último) em Cabul [1] O Afeganistão passa por um processo de reconstrução nacional, apesar das dificuldades, as instituições de ensino estão estabelecidas em todo o país. Até 2013 mais de 10,5 milhões de estudantes estavam matriculados nas escolas do Afeganistão.[2]Entretanto, ainda há obstáculos significantes em relação à educação no Afeganistão, entre eles a falta de fundos, falta de segurança nas instituições, e normas culturais. A falta de professoras mulheres é um assunto que preocupa alguns pais afegãos, especialmente os de áreas mais conservadoras(alguns pais não permitem que suas filhas sejam ensinadas por homens)

Educação no Afeganistão
Female students of Afghanistan in 2005.jpg
Responsável

Recursos nacionais para educação ()
Alfabetização (1999)
 • Homem
 • Mulher
36%
51%
21%
PISA 
Leitura
Matemática
Ciência



Diplomas
 • Educação secundária
 • Educação superior


Proporção Aluno x Professor ()
 • Educação primária
 • Educação secundária


O índice de alfabetização no país é estimado (em 1999) em 36%, sendo a alfabetização de homens em 51% e de mulheres em 21%. No ano de 2008 há 9,500 escolas no país.

HistóriaEditar

Uma das escolas mais antigas no Afeganistão é a Escola Secundária Habibia, em Cabul, ela foi construída por ordem do rei Habibullah Khan em 1903 para educar os alunos da classe alta do país. Na década de 1920, a Escola Secundária Amani, fundada por alemães, foi inaugurada em Cabul e, cerca de uma década depois, dois liceus franceses (escolas secundárias) começaram, a AEFE e o Lycée Esteqlal. A Universidade de Cabul foi criada em 1932.

A educação foi melhorada sob o governo do rei Zahir Shah entre 1933 e 1973,[3] disponibilizando escolas primárias para cerca de metade da população com menos de 12 anos de idade e também expandindo o sistema de ensino secundário e a Universidade de Cabul.

 
Sala de aula típica no Afeganistão rural.

Outro aspecto da educação que está rapidamente mudando no Afeganistão é a educação superior. Após a queda do Talibã, a Universidade de Cabul foi reaberta para estudantes homens e mulheres. Em 2006, a Universidade Americana do Afeganistão também reabriu as portas, com o objetivo de criar um ambiente cinco estrelas para aprendizado co-educacional de língua inglesa. A universidade aceita estudantes do Afeganistão e de países vizinhos. O trabalho de construção será iniciado em breve no local selecionado para a Universidade de Balkh em Mazar-e Sharif. O novo prédio da universidade, incluindo a construção para o Departamento de Engenharia, será construído em 2,4 km² de terra e custará 250 milhões de dólares.[4]

Uma nova escola militar está em funcionamento para treinar e educar apropriadamente os soldados afegães.

Referências

  1. «Afghanistan's Ministry of Higher Education». Consultado em 27 de Junho de 2020 
  2. «Wardak seeks $3b in aid for school buildings». Pajhwok Afghan News. 18 de Maio de 2013. Consultado em 27 de Junho de 2020 
  3. «Afghanistan country profile» (PDF). Maio de 2006. Consultado em 27 de junho de 2020 
  4. «Pakistan grants $10m for Balkh University». Pajhwok Afghan News .