Abrir menu principal

Edvaldo Pereira de Brito

político do Brasil
(Redirecionado de Edvaldo Brito)
Edvaldo Pereira
Vice-prefeito de SalvadorBandeira de Salvador.svg
Período 1 de janeiro de 2009
até 31 de Dezembro de 2012
Sucessor Célia Sacramento
Prefeito de Salvador Bandeira de Salvador.svg
Período agosto de 1978
até março de 1979
Antecessor David Mendes Pereira
Sucessor Mário Kertész
Vereador de Salvador Bandeira de Salvador.svg
Período 1 de fevereiro de 2013
até a atualidade
Dados pessoais
Nascimento 3 de outubro de 1937 (82 anos)
Muritiba (BA)
Progenitores Mãe: Edite Brito
Pai: João Sobrinho
Cônjuge Reginalda Brito
Partido PSD
Profissão Advogado, professor, político

Edvaldo Pereira de Brito (Muritiba, Estado da Bahia, 3 de outubro de 1937) é um professor, advogado tributarista, jurista e político brasileiro.

Foi prefeito de Salvador entre agosto de 1978 e abril de 1979, nomeado pelo Governador Roberto Santos, após eleição indireta pela Assembleia Legislativa do Estado da Bahia, apesar de não fazer parte do grupo então hegemônico de Antônio Carlos Magalhães.[1] Foi sucedido por Mario de Melo Kertész

BiografiaEditar

Candidatou-se à prefeitura do município em 1985, pelo PTB, com o apoio do então governador da Bahia, João Durval Carneiro, perdendo para Mário Kertész.

Brito é professor do PPGD - Programa de Pós-Graduação em Direito na Universidade Federal da Bahia e também foi professor na Faculdade de Direito da Universidade Presbiteriana Mackenzie de São Paulo,[1] cidade em que integrou o governo de Celso Pitta. É professor emérito das duas Universidades citadas.

Em 1996 foi nomeado secretário de negócios jurídicos em São Paulo, na gestão de Celso Pitta, cumprindo a promessa deste em campanha de indicar membros de seu governo que fossem negros.[1] Com o afastamento do prefeito no chamado "Pittagate", Brito foi testemunha no processo de impeachment[2] , que não prosperou. Mas, no final de maio de 2000 uma decisão judicial levou ao afastamento do prefeito paulistano,[3]o qual retornou ao exercício do mandato, em 13 de junho de 2000, por decisão do STJ - Superior Tribunal de Justiça. Edvaldo Brito teve atuação decisiva ao lado dos advogados de Pitta, dentre eles o renomado criminalista Antônio Cláudio Mariz de Oliveira.

Voltou à vida pública, eleito em pleito popular, como vice-prefeito na chapa formada com o prefeito João Henrique, que concorria, em reeleição. Elegeu-se vereador à Câmara Municipal de Salvador para a legislatura 2013/2016, tendo integrado a equipe do então governador Jaques Wagner, como Secretário de Estado de Assuntos Estratégicos, em 2014. Atuou na vice-prefeitura como coordenador de vários projetos entre os quais o de Coordenador do Carnaval e Salvador dos anos de 2010, 2011 e 2012, embora, durante a gestão do prefeito João Henrique, Brito estivesse afastado do centro decisório municipal pelo prefeito.[3]

Em 2010, lançou-se candidato a uma das duas vagas para senador do Estado da Bahia pela coligação "A Bahia Tem Pressa" (PTB / PMDB / PTN / PSC / PR / PPS / PSDC / PRTB / PMN / PTC / PRP / PT do B). Obteve a sexta colocação com 810.261 votos do eleitorado presente nas urnas baianas do dia 03 de outubro de 2010.

Professor nos cursos de Mestrado e de Doutorado em Direito da Universidade Federal da Bahia, Leciona, em semestres variados, as disciplinas: Filosofia do Direito, Teoria Geral do Direito, Jurisdição Constitucional, Direito Tributário, Tópicos Especiais do Direito do Estado. É pai do advogado Edvaldo Filho e do deputado federal Antonio Brito. Tem cinco netos e é casado com a professora de Direito Civil, Reginalda Paranhos de Brito.

Em 2012, como representante do Partido Trabalhista Brasileiro, chegou a pleitear sair candidato à prefeitura da capital baiana.[3] Terminou apoiando o candidato Nelson Pelegrino e se elegeu vereador de Salvador em 2012, para a 17ª legislatura da Câmara Municipal[4], reeleito para a legislatura de 2016/2020.

Referências

  1. a b c Reportagem local (21 de dezembro de 1996). «Celso Pitta divulga mais 3 secretários». Folha de S.Paulo. Consultado em 7 de fevereiro de 2017 
  2. Silvia Freire (31 de maio de 2000). «Edvaldo Brito depõe sobre Pitta em comissão da Câmara Municipal». Folha de S.Paulo. Consultado em 7 de fevereiro de 2017 
  3. a b c Redação (19 de outubro de 2011). «Vice de JH é só lamúria e queixa». Bahia Todo Dia. Consultado em 7 de fevereiro de 2017 
  4. cms.ba.gov.br (8 de outubro de 2012). «Vereadores eleitos para o quadriênio 2013/2016». Consultado em 30 de dezembro de 2014