Abrir menu principal

Eldorado (São Paulo)

município brasileiro do estado de São Paulo
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados de Eldorado, veja Eldorado (desambiguação).

Eldorado (anteriormente Xiririca) é um município brasileiro do estado de São Paulo. O município é formado pela sede e pelos distritos de Braço e Itapeúna[7][8].

Município da Estância Turística de Eldorado
Prefeitura de Eldorado

Prefeitura de Eldorado
Bandeira da Estância Turística de Eldorado
Brasão da Estância Turística de Eldorado
Bandeira Brasão
[[1]]
Aniversário 10 de Março
Fundação 10 de março de 1842 (177 anos)
Gentílico eldoradense
Padroeiro(a) Nossa Senhora da Guia
CEP 11960-000 a 11989-999[1]
Prefeito(a) Durval Adelio de Morais (PR)
(2017 – 2020)
Localização
Localização da Estância Turística de Eldorado
Localização da Estância Turística de Eldorado em São Paulo
Estância Turística de Eldorado está localizado em: Brasil
Estância Turística de Eldorado
Localização da Estância Turística de Eldorado no Brasil
24° 31' 12" S 48° 06' 28" O24° 31' 12" S 48° 06' 28" O
Unidade federativa São Paulo
Região intermediária

Sorocaba IBGE/2017 [2]

Região imediata

Registro IBGE/2017

Municípios limítrofes Norte: Capão Bonito; Noroeste: Ribeirão Grande; Sul: Jacupiranga; Oeste: Iporanga; Leste: Registro; Nordeste: Sete Barras; Sudeste: Cajati; Sudoeste: Barra do Turvo.
Distância até a capital 140 km
Características geográficas
Área 1 656,728 km² [3]
População 15 238 hab. Censo IBGE/2010[4]
Densidade 9,2 hab./km²
Altitude 62 m
Clima subtropical Cfa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,733 alto PNUD/2000[5]
PIB R$ 180 103,760 mil IBGE/2015[6]
PIB per capita R$ 12 153,04 IBGE/2015[6]
Página oficial
Prefeitura www.eldorado.sp.gov.br
Câmara www.camaraeldorado.sp.gov.br

HistóriaEditar

Sua história começou por volta de 1630, quando da adentrada ao Rio Ribeira por exploradores portugueses que estavam à procura de veios de ouro. Surgiram as primeiras povoações, denominadas de arraiais de mineração, às margens do Rio Ribeira de Iguape, com destaque para os povoados de Ivaporunduva e Jaguary. Por volta de 1750, ergueu-se um novo povoado a cerca de vinte quilômetros rio abaixo da localidade de Jaguary (atual Itapeúna): era o povoado de Xiririca. O nome era referência à palavra em tupi-guarani para água corrente.[9]

Em 16 de janeiro de 1757, os irmãos Veras, de importante família de colonizadores, doaram duas casas no povoado de Xiririca, para que ali se construísse uma capela, e, em 8 de setembro, a capela, já pronta, recebeu a imagem de Nossa Senhora da Guia (atual padroeira do município).

Em 13 de janeiro de 1763, o povoado passou à categoria de freguesia. Após a ocorrência de duas grandes enchentes, em 19 de janeiro de 1807 e em 28 de janeiro de 1809, muito se discutiu sobre a possibilidade de transferência da capela e da freguesia de local. Depois de muitos conflitos em torno da mudança, entre 1816 e 1834, finalmente, em 10 de março de 1842, o Barão de Monte Alegre, presidente da província, assinou a lei que elevou Xiririca à categoria de vila[10] (equivalente atualmente a município), mas apenas em 2 de maio de 1845 foi instalada a primeira câmara municipal, sob a presidência do padre Joaquim Gabriel da Silva Cardoso.

Quando comemorou seu centenário, em 1942, Xiririca tinha cerca de trinta mil habitantes, sendo dois mil na zona urbana.[10] Seis anos depois, seu nome foi alterado para Eldorado, mudança inspirada pela corrida do ouro, assim como nas cidades vizinhas de Sete Barras (sete barras de ouro foram descobertas ali) e Registro (era lá que o ouro era registrado).[9] Eldorado foi o "berço" do atual presidente da república Jair Messias Bolsonaro

GeografiaEditar

Localiza-se a uma latitude 24º31'12" sul e a uma longitude 48º06'29" oeste, estando a uma altitude de 62 metros. É o quarto maior município em extensão territorial do Estado.[9] Sua população estimada em 2013 era de 15 238 habitantes.

 
Caverna do Diabo

HidrografiaEditar

  • Rio Ribeira
  • Rio Taquari
  • Rio Batatal
  • Rio Pilões
  • Rio Nhunguara
  • Rio Bocó
  • Rio Xiririca

RodoviasEditar

AdministraçãoEditar

  • Prefeito: Durval Adelio de Morais (PR)
  • Vice-prefeito: Dinoel Pedroso Rocha (PR)
  • Câmara Munipal composta por 9 vereadores.

GeologiaEditar

O município de Eldorado possui uma geologia bastante diversificada. A mega zona de cisalhamento transcorrente dextral designada de Falha de Cubatão passa sobre a sede do município, localmente assume a denominação de Itapeúna, seguindo para o Paraná como Falha da Lancinha. A sudeste dessa falha ocorrem rochas gnaissico-migmatíticas e rochas metassedimentares de médio grau do Complexo Turvo-Cajati. A noroeste da falha, dominam rochas da Formação Votuverava, Grupo Açungui, que inclui filitos e localmente rochas metabásicas de baixo grau metamórfico. A famosa Caverna do Diabo situa-se sobre uma sequência de mármores metadolomíticos em estrutura sinformal da serra da Bandeira, serra da Tapagem ou serra do André Lopes, incluída na sequência Perau e separada das sequências Votuverava pela zona de cisalhamento Ribeira. Todas essas unidades geológicas são de idade proterozoica e também são cortadas por diques de diabásio de direção noroeste-sudeste do Alinhamento Estrutural de Guapiara, durante o Mesozoico, Cretáceo Inferior.

Estância turísticaEditar

Eldorado é um dos 29 municípios paulistas considerados estâncias turísticas pelo Estado de São Paulo, por cumprirem determinados pré-requisitos definidos por lei estadual. Tal status garante a esses municípios uma verba maior por parte do Estado para a promoção do turismo regional. O município também adquire o direito de agregar junto a seu nome o título de "Estância Turística", termo por que passa a ser designado tanto pelo expediente municipal oficial quanto pelas referências estaduais. Uma das principais atrações turísticas é a Caverna do Diabo (Gruta da Tapagem), localizada no Parque Estadual Caverna do Diabo.

ComunicaçõesEditar

A cidade era atendida pela Companhia de Telecomunicações do Estado de São Paulo (COTESP), que construiu em 1974 a central telefônica que é utilizada até os dias atuais. Em 1975 passou a ser atendida pela Telecomunicações de São Paulo (TELESP)[11], até que em 1998 esta empresa foi privatizada e vendida para a Telefônica. Em 2012 a empresa adotou a marca Vivo para suas operações de telefonia fixa[12][13][14][15].

Referências

  1. Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. «Busca Faixa CEP». Consultado em 1 de fevereiro de 2019 
  2. «O recorte das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias de 2017» (PDF). Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 2017. p. 20–34. Consultado em 10 de agosto de 2017 
  3. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  4. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  5. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  6. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2015-2015». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2015 
  7. «Municípios e Distritos do Estado de São Paulo» (PDF). IGC - Instituto Geográfico e Cartográfico 
  8. «Divisão Territorial do Brasil». IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística 
  9. a b c Bruno Abbud e Cleide Carvalho (27 de julho de 2018). «Como foram os anos de formação de Bolsonaro em Eldorado-Xiririca, no interior de São Paulo». Época. Consultado em 26 de março de 2019 
  10. a b «Xiririca comemora hoje o centenario de sua elevaçao a municipio». São Paulo: Diário Popular. Diário Popular (18 826): 14. 10 de março de 1942 
  11. «Área de atuação da Telesp em São Paulo». Página Oficial da Telesp (arquivada) 
  12. «Telesp vai servir mais 86 cidades do estado». Acervo Folha de São Paulo 
  13. «Patrimônio da COTESP incorporado pela TELESP» (PDF). Diário Oficial do Estado de São Paulo 
  14. «Nossa História». Telefônica / VIVO 
  15. GASPARIN, Gabriela (12 de abril de 2012). «Telefônica conclui troca da marca por Vivo». G1 

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar