Eleição presidencial na Venezuela em 1983

7º pleito presidencial venezuelano

A eleição presidencial venezuelana de 1983 foi realizada em 4 de dezembro e a disputa eleitoral ficou mais uma vez concentrada nos candidatos dos dois partidos majoritários da política venezuelana durante o período denominado Quarta República: o candidato oficial da Ação Democrática (AD), Jaime Lusinchi, e o ex-presidente Rafael Caldera, do Comitê de Organização Política Eleitoral Independente (COPEI).[1]

← 1978 •  • 1988 →
Eleição presidencial na Venezuela em 1983
4 de dezembro de 1983
Demografia eleitoral
Hab. inscritos:  7 777 892
Votantes : 6 825 180
  
87.75%  0.2%
Jaime LusinchiAD
Votos: 3 773 731  
  
56.72%
Rafael CalderaCOPEI
Votos: 2 298 176  
  
34.54%
Teodoro PetkoffMAS
Votos: 277 498  
  
4.17%
José Vicente RangelMEP
Votos: 221 918  
  
3.34%


Presidente da Venezuela

Com uma participação do eleitorado venezuelano no pleito alcançando 87.75%, Jaime Lusinchi sagrou-se vencedor da disputa após obter 3 773 731 votos, o que correspondeu a 56.72% dos votos válidos, e derrotar Rafael Caldera, que por sua vez, obteve 2 298 176 votos, o equivalente a 34.54% dos votos válidos.[2]

Resultados eleitorais

editar
Candidatos Partidos Votos %
Jaime Lusinchi Ação Democrática 3 773 731 56.72
Rafael Caldera Comitê de Organização Política Eleitoral Independente 2 298 176 34.54
Teodoro Petkoff Movimento ao Socialismo 277 498 4.17
José Vicente Rangel Movimento Eleitoral do Povo 221 918 3.34
Demais candidatos Demais partidos políticos 81 994 1.23
Votos válidos 6 653 317 97.48
Votos inválidos 171 863 2.52
Total de votos 6 825 180 100.00
Eleitorado apto a votar 7 777 892 87.75

Referências

  1. Elections in the Americas : a data handbook. Dieter Nohlen. New York: [s.n.] 2005. OCLC 58051010 
  2. «Elecciones Presidenciales - Cuadro Comparativo 1958-2000 - (Voto Grande)» (PDF). cne.gob.ve. Consultado em 26 de janeiro de 2023 
  Este artigo sobre eleições ou plebiscitos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.