Abrir menu principal

Eleições estaduais em Alagoas em 2010

As eleições estaduais em Alagoas em 2010 aconteceram em 3 de outubro, como parte das eleições gerais no Brasil. Nesta ocasião, foram realizadas eleições em todos os 26 estados brasileiros e no Distrito Federal. Os cidadãos aptos a votar elegerão o Presidente da República, o Governador e dois Senadores por estado, além de deputados estaduais e federais. Como nenhum dos candidatos a cargos no Executivo (Presidente ou Governador) obtiveram mais da metade do votos válidos, um segundo turno foi realizado no dia 31 de outubro. Na eleição presidencial o segundo turno foi entre Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) com a vitória de Dilma; já em Alagoas o segundo turno foi entre Ronaldo Lessa (PDT) e Teotonio Vilela Filho (PSDB) com a vitória de Teotonio. Segundo a Constituição Federal, o Presidente e os Governadores são eleitos diretamente para um mandato de quatro anos, com um limite de dois mandatos. O Presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não pode ser reeleito, uma vez que se elegeu duas vezes, em 2002 e 2006. Já o Governador Teotonio Vilela Filho (PSDB), eleito apenas em 2006, pôde se candidatar à reeleição.

2006 Brasil 2014
Eleições estaduais em  Alagoas em 2010
31 de outubro de 2010
(Segundo Turno)
Teotônio Vilela Filho em 2015 (3).jpg Ronaldo lessa.jpg
Candidato Teotônio Vilela Filho Ronaldo Lessa
Partido PSDB PDT
Vice José Thomaz Nonô Joaquim Brito
Votos 712.789[1] 638.762[1]
Porcentagem 52,74% 47,26%


Brasão do Estado de Alagoas.svg

Governador de Alagoas

Os principais candidatos ao governo de Alagoas foram o ex-Governador e ex-Presidente Fernando Collor de Mello (PTB), o atual Governador Teotonio Vilela Filho (PSDB) e o ex-Governador Ronaldo Lessa (PDT).

Índice

CampanhaEditar

As eleições de 2010 foram marcadas pela polarização entre grupos favoráveis e contra a candidatura do ex-presidente Fernando Collor de Mello. Os partidários deste organizaram o "Collor Já", movimento capitaneado pela Juventude do PTB e pelo prefeito da cidade de Traipu, Marcos Santos.[2] Seus opositores lançaram o movimento "Fora Collor", uma tentativa de trazer novamente à tona o movimento dos caras-pintadas que pediram o impeachment de Collor em 1992. É liderado por integrantes do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) e dez sindicatos e entidades da sociedade civil organizada.[2]

No dia 11 de agosto, ambos os movimentos se encontraram na praça Sinimbú, no centro de Maceió, durante manifestações.[2] A Polícia Militar foi acionada para evitar um confronto entre os dois lados, que trocavam acusações.[2] A PM deteve duas pessoas por desordem, mas elas foram liberadas em seguida.[2] Durante o episódio, o "Fora Collor" denunciou que cada pessoa do "Collor Já" teria recebido 50 reais para segurar faixas a favor do candidato.[2] Os dois indivíduos detidas pela PM admitiram ter recebido 20 reais para ajudar a segurar faixas.[2]

Collor declarou apoio à candidata petista à Presidência, Dilma Rousseff, dizendo ser também apoiado por ela e pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O jingle do candidato, que possui o trecho "é Lula apoiando Dilma, é Dilma apoiando Collor" causou grande constrangimento na direção estadual do PT, que indicou o vice na chapa do ex-governador Ronaldo Lessa (PDT).[3] A campanha de Lessa interpelou judicialmente a campanha de Collor para que esta retirasse os nomes de seus aliados do jingle.[3] Em seguida, uma decisão do TRE-AL proibiu Collor de citar os nomes de Lula e de Dilma em suas propagandas eleitorais.[3] Apesar de omitir ambos os nomes na nova versão do jingle, a campanha de Collor deixou implícita a mensagem de que Dilma e Lula o apóiam em Alagoas. "Não adianta, o povo sabe quem tá apoiando quem. O povo tá decidido e vai apoiar também", diz o novo trecho.[4]

No dia 24 de setembro, a primeira pesquisa do Ibope no estado indicou que Lessa estava 1% à frente de Collor e 5% à frente do governador Teotonio Vilela Filho (PSDB).[5] Todos os três candidatos estavam empatados em primeiro lugar, uma vez que a margem de erro do levantamento era de 3% para mais ou para menos.[5] O instituto Gape, pertencente às Organizações Arnon de Mello (complexo de comunicação da família Collor), também divulgou no mesmo dia uma pesquisa de intenção de voto para governador.[5] Segundo essa sondagem, Collor liderava a corrida pelo governo com vantagem de 15% sobre Lessa, enquanto Teotônio conquistou a preferência de apenas 16% do eleitorado.[5] A pesquisa foi contratada por outra empresa da família Collor, o jornal Gazeta de Alagoas.[5] Após a divulgação das pesquisas, o coordenador do MCCE, Adriano Argolo, entrou com representação na Justiça Eleitoral contra o Gape.[6]

De acordo com o jornal O Globo, a divulgação da pesquisa Ibope fez a campanha de Collor alterar sua estratégia.[7] O ex-presidente está focando agora as regiões dominadas pelo tráfico de drogas e com altos índices de criminalidade, ao passo em que descarta sabatinas com setores mais esclarecidos da sociedade, como os universitários.[7]

CandidatosEditar

A disputa em Alagoas apresentou seis chapas, sendo três delas coligações entre mais de dois partidos:[8]

Coligação O Povo no GovernoEditar

A chapa do PTB é composta por seis partidos: PRB, PTB, PSL, PHS, PMN e PTC.

Cargo Partido Número Nome
Governador PTB 14 Fernando Collor
Vice-Governador PRB - Galba Novais
Senador PTB 144 Alvaro Vasconcellos
Primeiro suplente PTB - Antonio Paiva
Segundo suplente PHS - Chicão do PHS
Senador PTB 145 Flavio Emilio
Primeiro suplente PTB - Guilherme Perreira de Lima
Segundo suplente PTC - Carlos Roberto de Lima Soares

Coligação Renova AlagoasEditar

A chapa do PRTB é composta por três partidos: PTN, PRTB e PV.

Cargo Partido Número Nome
Governador PRTB 28 Jeferson Piones
Vice-Governador PRTB - Eusves Plex
Senador PRTB 288 Afonso Lacerda
Primeiro suplente PRTB - Marcos da Silva
Segundo suplente PRTB - Lucio de Jesus
Senador PRTB 287 Paulo Nunes Calaça
Primeiro suplente PRTB - Raquel Lima
Segundo suplente PRTB - Alcyonne Pinto

Coligação Frente de EsquerdaEditar

A Chapa do PSOL é formada por dois partidos PSOL e PSTU

Cargo Partido Número Nome
Governador PSOL 50 Mario Agra
Vice-Governador PSOL - Mauricio Dias
Senador PSOL 500 Heloisa Helena
Primeiro suplente PSTU - Padre Eraldo
Segundo suplente PSOL - Afonso Marinho

Coligação Frente Popular Por AlagoasEditar

A chapa do PDT é formada por oito partidos: PDT, PT, PMDB, PR, PSDC, PRP, PCdoB e PTdoB.

Cargo Partido Número Nome
Governador PDT 12 Ronaldo Lessa
Vice-Governador PT - Joaquim Brito
Senador PCdoB 654 Eduardo Bonfim
Primeiro suplente PCdoB - Vladimir Barros
Segundo suplente PCdoB - Marivone Ribeiro
Senador PMDB 151 Renan Calheiros
Primeiro suplente PMDB - Fabio Farias
Segundo suplente PMDB - Macedo Ferreira

Coligação Frente Pelo Bem de AlagoasEditar

A chapa do PSDB é formada por seis partidos: PP, PSC, PPS, DEM, PSB e PSDB.

Cargo Partido Número Nome
Governador PSDB 45 Teotonio Vilela Filho
Vice-Governador DEM - José Thomaz Nonô
Senador PP 111 Benedito de Lira
Primeiro suplente PP - Daniele Barros
Segundo suplente PP - Maria Cavalcanti
Senador PPS 234 José Oliveira Costa
Primeiro suplente PPS - Cleyson Ferreira
Segundo suplente PPS - Eliane Agra

Chapa do PCBEditar

Cargo Partido Número Nome
Governador PCB 21 Tony Cloves Perreira
Vice-Governador PCB - Luciene Maria
Senador PCB 211 Diógenes Paes
Primeiro suplente PCB - Sergio Soares de Campos
Segundo suplente PCB - Olga Alves

ResultadosEditar

Governador (Primeiro turno)
Candidato Número Votos Em porcentagem
Teotônio Vilela (PSDB) 45 534.962 39,58%
Ronaldo Lessa (PDT) 12 394.155 29,16%
Fernando Collor (PTB) 14 389.337 28,81%
Mário Agra (PSOL) 50 18.520 1,37%
Tony Cloves (PCB) 21 8.758 0,65%
Jeferson Piones (PRTB) 28 5.752 0,43%
  Segundo Turno
Governador (Segundo turno)
Candidato Número Votos Em porcentagem
Teotônio Vilela (PSDB) 45 712.789 52,74%
Ronaldo Lessa (PDT) 12 638.762 47,26%
  Eleito(a)


Eleições estaduais em Alagoas em 2010
Partido Candidato Votos Votos (%)
  PSDB Teotônio Vilela Filho 712 789
 
52,74%
  PDT Ronaldo Lessa 638 762
 
47,26%
Totais 1 351 551  
Senador
Candidato Número Votos Em porcentagem
Benedito de Lira (PP) 111 904.345 35,94%
Renan Calheiros (PMDB) 151 840.809 33,42%
Heloisa Helena (PSOL) 500 417.636 16,60%
Eduardo Bonfim (PCdoB) 654 138.710 5,51%
Zé Costa (PPS) 234 112.921 4,49%
Alvaro Vasconscelos (PTB) 144 62.909 2,50%
Paulo Nunes (PRTB) 287 14.229 0,57%
Flavio Emilio (PTB) 145 13.320 0,53%
Afonso Lacerda (PRTB) 288 11.249 0,45%
Diógenes Paes (PCB) 211 0 0,00%
  Eleito(a)
Deputados Federais eleitos

Em Alagoas foram nove deputados federais eleitos.

Candidato Número Votos Em porcentagem
Renan Filho (PMDB) 1515 140.180 9,90%
Celia Rocha (PTB) 1444 124.504 8,80%
Rui Palmeira (PSDB) 4500 118.363 8,36%
João Lyra (PTB) 1478 111.104 7,85%
Givaldo Carimbão (PSB) 4040 92.268 6,52%
Rosinha da ADEFAL (PT do B) 7000 90.021 6,36%
Arthur Lira (PP) 1111 84.676 5,98%
Joaquim Beltrão (PMDB) 1599 77.832 5,50%
Maurício Quintella Lessa (PR) 2266 54.937 3,88%

Obs.: A tabela acima mostra somente os candidatos eleitos.

Deputados Estaduais eleitos

Em Alagoas foram vinte e sete deputados estaduais eleitos.

Candidato Número Votos Porcentagem
Joãozinho Pereira (PSDB) 45000 64.080 4,57%
Isnaldo Bulhões (PDT) 12000 44.213 3,15%
Antonio Albuquerque (PT do B) 70000 43.304 3,09%
Jeferson Morais (DEM) 25800 38.043 2,71%
Inácio Loiola (PSDB) 45678 38.025 2,71%
Sergio Toledo (PDT) 12777 37.513 2,67%
Marcelo Victor (PTB) 14789 37.379 2,66%
Thaise Guedes (PSC) 20000 36.804 2,62%
Ricardo Nezinho (PT do B) 70111 35.107 2,50%
Gilvan Barros (PSDB) 45222 34.137 2,43%
Flávia Cavalcante (PMDB) 15555 32.618 2,33%
Maurício Tavares (PTB) 14444 32.091 2,29%
Olavo (PMDB) 15456 29.368 2,09%
Nelito (PSDB) 45789 28.081 2,00%
Fernando Toledo (PSDB) 45123 27.059 1,93%
Edval Gaia (PSDB) 45555 26.889 1,92%
Jota Cavalcate (PDT) 12333 26.276 1,87%
Luiz Dantas (PMDB) 15000 25.365 1,81%
Judson Cabral (PT) 13500 25.229 1,80%
Dudu Holanda (PMN) 33000 25.171 1,79%
Marcos Barbosa (PPS) 23000 24.915 1,78%
Temoteo Correia (DEM) 25000 24.756 1,76%
Almir Lira (PRTB) 28888 22.027 1,57%
Ronaldo Do INSS (PT) 13000 19.862 1,42%
Marquinho Madeira (PT) 13123 18.897 1,35%
João Henrique Caldas (PTN) 19999 17.977 1,28%
Severino Pessoa (PPS) 23111 16.206 1,16%

Obs.: A tabela acima mostra somente os candidatos eleitos. [9]

Referências

  1. a b Eleições Terra:Resultados da eleição de Alagoas. Acessado em dezembro de 2010.
  2. a b c d e f g Rios, Odilon. "AL: "Fora Collor" e "Collor Já" causam tensão em ruas de Maceió" Arquivado em 2013-01-01 no Archive.is. Terra. 11 de agosto de 2010.
  3. a b c Cavalcanti, Martina. "Collor é proibido de citar Lula e Dilma em jingle". eBand. 29 de julho de 2010.
  4. UOL. "Lula dribla briga de Collor e Lessa e pede votos para Renan em Alagoas". O Documento. 24 de agosto de 2010.
  5. a b c d e Rodrigues, Ricardo. "Lessa lidera pesquisa Ibope para governo de Alagoas". O Estado de S. Paulo. 24 de agosto de 2010.
  6. Rios, Odilon. "Lessa e Collor estão tecnicamente empatados na disputa pelo governo de Alagoas, aponta Ibope". O Globo. 24 de agosto de 2010.
  7. a b Rios, Odilon. "Empate faz Collor mudar discurso em Alagoas". O Globo. 27 de agosto de 2010.
  8. Divulgação de Candidaturas 2010 Arquivado em 3 de setembro de 2014, no Wayback Machine.. Tribunal Superior Eleitoral.
  9. | Eleições 2010: Resultado