Abrir menu principal

Eleições estaduais em Minas Gerais em 1947

As eleições estaduais em Minas Gerais em 1947 ocorreram em 19 de janeiro como parte das eleições no Distrito Federal, em 20 estados e nos territórios federais do Acre, Amapá, Rondônia e Roraima.[1][2] Nisso foram eleitos o governador Milton Campos (o vice-governador José Ribeiro Pena foi eleito posteriormente por via indireta), o senador Artur Bernardes Filho, além de três deputados federais e setenta e dois deputados estaduais.[nota 1]

1945 Brasil 1950
Eleições estaduais em  Minas Gerais em 1947
19 de janeiro de 1947
(Turno único)
Mílton Soares Campos, Ministro da Justiça..tif José Francisco Bias Fortes, Governador de Minas Gerais.tif
Candidato Milton Campos Bias Fortes
Partido UDN PSD
Natural de Ponte Nova, MG Barbacena, MG
Vice Não havia Não havia
Votos 448.073 388.207
Porcentagem 53,54% 46,46%


Brasão de Minas Gerais.svg
Governador de Minas Gerais

Nascido em Ponte Nova, Milton Campos formou-se advogado na Universidade Federal de Minas Gerais. Contemporâneo de Afonso Arinos, Carlos Drummond de Andrade e Gustavo Capanema, dedicou-se também ao jornalismo. Partidário da candidatura de Getúlio Vargas, apoiou a subsequente Revolução de 1930 e dois anos depois o governador Olegário Maciel o escolheu advogado-geral do estado. Eleito deputado estadual pelo Partido Popular em 1934, teve o seu mandato foi extinto pelo Estado Novo, regime do qual foi opositor. Professor da Universidade Federal de Minas Gerais e presidente da seccional mineira da Ordem dos Advogados do Brasil, regressou à vida pública em 1943 como signatário do Manifesto dos Mineiros. Dois anos depois a Era Vargas chegava ao fim mediante um golpe militar.[3] Eleito deputado federal via UDN em 1945, assinou a Carta Magna de 1946, firmou uma coligação partidária e teve ainda o apoio de dissidentes do PSD para eleger-se governador de Minas Gerais em 1947.[3][4][5]

Advogado natural de Viçosa e formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, Artur Bernardes Filho foi secretário-geral da Presidência da República durante o mandato de seu pai, Artur Bernardes. Nomeado fiscal do governo mineiro junto ao Banco Hipotecário e Agrícola após a Revolução de 1930, acompanhou o Partido Republicano Mineiro na oposição à Era Vargas pouco tempo depois. Preso por apoiar a Revolução Constitucionalista de 1932, foi anistiado pela Constituição de 1934 e nesse mesmo ano foi eleito deputado federal ao lado de seu pai.[6] Com o advento do Estado Novo teve o mandato extinto, foi novamente preso e chegou a ser deportado. De volta ao país ingressou no ramo industrial, foi assessor jurídico da Companhia de Seguros Equitativa do Brasil e em 1943 assinou o Manifesto dos Mineiros. Em 1945 tanto ele quanto seu genitor foram eleitos deputados federais pelo PR, prestaram juramento à Constituição de 1946 e por fim Artur Bernardes Filho foi eleito senador em 1947.[7]

Resultado da eleição para governadorEditar

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral houve 836.280 votos nominais (96,24%), 21.786 votos em branco (2,51%) e 10.875 votos nulos (1,25%) resultando no comparecimento de 868.941 eleitores.[1][nota 2]

Candidatos a governador do estado
Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Milton Campos
UDN
Não havia
-
-
Coligação Democrática
(UDN, PR, PDC, PTN, PRD)
448.073
53,54%
Bias Fortes
PSD
Não havia
-
-
PSD (sem coligação)
388.207
46,46%
  Eleito

Resultado da eleição para senadorEditar

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral houve 786.605 votos nominais.[1][nota 2][nota 3]

Candidatos a senador da República
Primeiro suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
Artur Bernardes Filho
PR
Ver abaixo
-
-
Coligação Democrática
(UDN, PR, PTN)
446.730
53,54%
Benedito Valadares
PSD
Ver abaixo
-
-
PSD (sem coligação)
339.875
46,46%
  Eleito

Resultado da eleição para suplente de senadorEditar

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral houve 775.051 votos nominais.[1][nota 2][nota 3]

Primeiro suplente de senador
Candidatos a senador da República Número Coligação Votação Percentual
José Esteves Rodrigues
PR
Ver acima
-
-
Coligação Democrática
(UDN, PR, PTN)
437.567
56,46%
Alonso Starling
PSD
Ver acima
-
-
PSD (sem coligação)
337.484
43,54%
  Eleito

Deputados federais eleitosEditar

São relacionados os candidatos eleitos com informações complementares da Câmara dos Deputados.[8] Ressalte-se que os votos em branco eram considerados válidos para fins de cálculo do quociente eleitoral nas disputas proporcionais até 1997, quando essa anomalia foi banida de nossa legislação.[1][9]

Deputados federais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Carlos Luz[nota 4] PSD 327.617 Três Corações   Minas Gerais
Vasconcelos Costa PSD 113.639 Sete Lagoas   Minas Gerais
Faria Lobato PR 69.387 Poços de Caldas   Minas Gerais

Deputados estaduais eleitosEditar

Foram escolhidos 72 deputados estaduais para a Assembleia Legislativa de Minas Gerais.[1][9][nota 5]

Deputados estaduais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
José Augusto PSD 9.618 Caeté   Minas Gerais
Pedro Aleixo UDN 8.676 Mariana   Minas Gerais
Martins da Costa PSD 8.539
José Ribeiro Navarro PSD 7.830 Barbacena   Minas Gerais
Aloisio Costa PR 7.719
Caetano de Souza PSD 7.570
Juarez Carmo PR 7.230
Jaeder Albergaria PSD 7.120 Caratinga   Minas Gerais
Guilhermino de Oliveira PSD 7.051 Belo Horizonte   Minas Gerais
Adolfo Portela PSD 6.970
Xenofonte Mercadante PSD 6.928
Elias Carmo UDN 6.597 Amparo da Serra   Minas Gerais
João Camilo PSD 6.233
Amadeu Andrada UDN 6.174
Dilermando Cruz[nota 6] PR 6.172 Juiz de Fora   Minas Gerais
Antônio Pimenta PSD 5.839
José Chaves Ribeiro PSD 5.826 Salinas   Minas Gerais
Júlio de Carvalho PR 5.801 São Tiago   Minas Gerais
Alberto Teixeira PTN 5.718 Congonhas   Minas Gerais
Starling Soares PSD 5.610 Alvinópolis   Minas Gerais
Ozanam Coelho UDN 5.562 Ubá   Minas Gerais
Emílio Silveira PSD 5.540
Tancredo Neves PSD 5.226 São João del Rei   Minas Gerais
Mourão Guimarães PR 5.222 Bom Sucesso   Minas Gerais
Manoel Taveira UDN 5.191 Alfenas   Minas Gerais
Joubert Guerra PSD 5.158 Diamantina   Minas Gerais
Lourenço de Andrade PR 4.983
Augusto Costa PSD 4.970
Astolfo Dutra PSD 4.960
José Carvalheira PR 4.919 Cataguases   Minas Gerais
Arlindo Zanini PTB 4.844
Whady Nassif PSD 4.789
Feliciano Pena PR 4.752 Santa Maria de Itabira   Minas Gerais
Faria Tavares UDN 4.704 Córrego Danta   Minas Gerais
Ilacir Lima PTB 4.689
Antônio Guimarães PR 4.626
Uriel Alvim PSD 4.566 Belo Horizonte   Minas Gerais
Luiz Domingos PSD 4.523
Simões de Almeida PR 4.486
Pedro Braga PSD 4.413
Wilson Beraldo PSD 4.348
Oscar Botelho UDN 4.333
Leopoldo Maciel UDN 4.269 Patos de Minas   Minas Gerais
Aníbal Gontijo PSD 4.178
Moacir Rezende UDN 4.184
André de Almeida PR 4.144
Maurício Andrade PSD 4.074 Lavras   Minas Gerais
Francisco Badaró Júnior PSD 3.989 Minas Novas   Minas Gerais
Castro Pires PSD 3.948
Otacílio Negrão de Lima[nota 7] PTN 3.926 Lavras   Minas Gerais
Geraldo Athayde UDN 3.919
José Ribeiro Pena[nota 8] PSD 3.909 Itapecerica   Minas Gerais
Fabricio Soares UDN 3.889
Mateus Salomé UDN 3.889 Cláudio   Minas Gerais
Emílio Vasconcelos PSD 3.866 Sete Lagoas   Minas Gerais
Carlos Prates PSD 3.862
Miguel Batista UDN 3.840 Belo Horizonte   Minas Gerais
Oscar Dias Correia UDN 3.744 Itaúna   Minas Gerais
Antônio Canedo PR 3.649
Magalhães Viana PR 3.643
Márcio Paulino[nota 9] PR 3.640
Fidelcino Viana UDN 3.554
Quintino Vargas[nota 10] UDN 3.477
Armando Ziller[nota 11] PCB 2.845
Cândido Ulhoa PTB 2.658
César Soraggi PRP 2.639 Formiga   Minas Gerais
José de Abreu Resende PTN 2.600
Luiz Maranha PTN 2.379
Waldir Lisboa PTB 2.182
José Rennó PTB 2.167 Itajubá   Minas Gerais
Lima Guimarães PTB 2.146 Jequitibá   Minas Gerais
João Godoi PDC 1.683

Notas

  1. No Distrito Federal não houve eleição para governador, apenas para o Senado Federal, ademais a Constituição de 1946 determinou a eleição de um terço dos senadores e de mais um no caso de existirem vagas em aberto além de suplentes de todos os senadores eleitos a partir de 1945 e também foram eleitos dezenove deputados em sete estados e três territórios federais para completar as bancadas das unidades federativas.
  2. a b c Ao todo 868.941 eleitores (66,87%) compareceram às urnas enquanto 430.490 (33,13%) se abstiveram num contingente de 1.299.431 inscritos.
  3. a b Por canhestro que pareça, na época as coligações variavam conforme os cargos em disputa.
  4. Eleito deputado federal em 1945, renunciou ao mandato antes da posse e assumiu o cargo de ministro da Justiça no governo Eurico Gaspar Dutra, o qual deixou dias depois de promulgada a Constituição de 1946 e nas eleições do ano seguinte retornou à Câmara dos Deputados.
  5. Os votos nominais de cada parlamentar correspondem aos divulgados no momento da apuração, não considerando eventuais discrepâncias mediante a posterior aceitação de recursos judiciais.
  6. Renunciou ao mandato parlamentar em prol de Márcio Paulino ao ser eleito prefeito de Juiz de Fora em 1947.
  7. Renunciou ao mandato parlamentar em prol de Manuel Castro ao ser eleito prefeito de Belo Horizonte em 1947.
  8. Sua renúncia ao mandato parlamentar a fim de assumir o mandato de vice-governador levou à efetivação de Augusto de Figueiredo, mas a alteração na ordem das suplências ocasionou a posse de Ultimo de Carvalho na vaga de José Ribeiro Pena.
  9. Mediante eleições suplementares foi substituído por Bolivar de Freitas e rebaixado à suplência, contudo foi posteriormente efetivado.
  10. Faleceu em 19 de agosto de 1949.
  11. Em 7 de maio de 1947 o Tribunal Superior Eleitoral cassou o registro do PCB e por isso o Congresso Nacional declarou extintos os mandatos da bancada comunista em 10 de janeiro de 1948.

Referências

  1. a b c d e f «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 10 de novembro de 2017 
  2. «BRASIL. Presidência da República: Constituição de 1946». Consultado em 10 de novembro de 2017 
  3. a b «CPDOC – A Era Vargas: dos anos 20 a 1945. Biografia de Milton Campos». Consultado em 11 de novembro de 2017 
  4. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Milton Campos». Consultado em 11 de novembro de 2017 
  5. «Senado Federal do Brasil: senador Milton Campos». Consultado em 11 de novembro de 2017 
  6. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Artur Bernardes Filho». Consultado em 11 de novembro de 2017 
  7. «Senado Federal do Brasil: senador Artur Bernardes Filho». Consultado em 11 de novembro de 2017 
  8. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 10 de novembro de 2017. Arquivado do original em 2 de outubro de 2013 
  9. a b «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 10 de novembro de 2017