Eleições estaduais em Minas Gerais em 1974

As eleições estaduais em Minas Gerais em 1974 ocorreram em duas fases conforme prescrevia o Ato Institucional Número Três e assim a eleição indireta do governador Aureliano Chaves e do vice-governador Ozanam Coelho foi em 3 de outubro e a escolha do senador Itamar Franco, 37 deputados federais e 61 estaduais aconteceu em 15 de novembro sob um ritual aplicado aos 22 estados e aos territórios federais do Amapá, Rondônia e Roraima, sendo que os mineiros residentes no Distrito Federal escolheram seus representantes para o Congresso Nacional por força da Lei n.º 6.091 de 15 de agosto de 1974.[1][2][3][4][5][nota 1][nota 2]

1970 Brasil 1978
Eleições estaduais em  Minas Gerais em 1974
3 de outubro de 1974
(Eleição indireta)
15 de novembro de 1974
(Eleição direta)


Aureliano Chaves (1982).jpg
Candidato Aureliano Chaves


Partido ARENA


Natural de Três Pontas, MG


Vice Ozanam Coelho
Votos 47
Porcentagem 88,68%

Engenheiro elétrico e mecânico nascido em Três Pontas e formado pela Universidade Federal de Itajubá com curso de Organização Racional na Universidade Federal Fluminense, Aureliano Chaves lecionou na referida instituição e foi engenheiro-chefe da prefeitura de Itajubá antes de migrar para Belo Horizonte, onde deu aulas na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Eleito suplente de deputado estadual via UDN em 1958, exerceu o mandato por força de convocação e foi indicado para compor a diretoria da Eletrobras. Reeleito em 1962, pediu licença do mandato e serviu ao governo Magalhães Pinto como secretário de Educação e pouco mais de um ano após a vitória do Regime Militar de 1964 foi nomeado secretário de Viação e Obras Públicas. Eleito deputado federal pela ARENA em 1966, votou contra o pedido do Executivo para processar o deputado Márcio Moreira Alves, autor de um discurso considerado ofensivo às Forças Armadas em 1968, ano em que o Ato Institucional Número Cinco foi outorgado.[6] Reeleito deputado federal em 1970, tornou-se governador de Minas Gerais após escolha do presidente Ernesto Geisel em 1974.[7]

Advogado formado em 1936 pela Universidade Federal de Minas Gerais, Ozanam Coelho nasceu em Ubá e trabalhou na prefeitura de Belo Horizonte antes de tornar-se promotor de Justiça em Bom Sucesso. Prefeito de sua cidade natal durante o Estado Novo, herdou a liderança política de seu pai, Levindo Coelho. Depois de duas tentativas frustradas, elegeu-se deputado estadual pelo PSD em 1954 e três anos depois adquiriu o jornal Folha do Povo sendo eleito deputado federal em 1958 e 1962. Filiado à ARENA em auxílio ao Regime Militar de 1964, tornou-se secretário-geral do partido em Minas Gerais sendo reeleito para a Câmara dos Deputados em 1966 e 1970.[8] Eleito vice-governador na chapa de Aureliano Chaves em 1974, assumiu o poder em 1978 quando o titular renunciou a fim de eleger-se vice-presidente na chapa do general João Figueiredo.[9]

Nascido a bordo de um navio que fazia cabotagem entre Salvador e Rio de Janeiro,[10] Itamar Franco foi registrado na capital baiana e nos primeiros meses de vida passou a residir em Juiz de Fora. Graduado engenheiro civil e eletrotécnico pela Universidade Federal de Juiz de Fora, filiou-se ao PTB e amargou derrotas na política municipal. Adversário do Regime Militar de 1964, ingressou no MDB e conquistou a prefeitura de Juiz de Fora em 1966 e 1972. Porém, renunciou ao mandato a fim de disputar as eleições de 1974 quando conquistou um mandato de senador.[11]

Resultado da eleição para governadorEditar

Para esta eleição compareceram à Assembleia Legislativa de Minas Gerais 53 deputados estaduais sendo que os seis representantes do MDB se abstiveram e assim a chapa oficial recebeu os votos da bancada da ARENA.[12]

Candidatos a governador do estado
Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Aureliano Chaves
ARENA
Ozanam Coelho
ARENA
-
ARENA (sem coligação)
47
88,68%
  Eleito

Resultado da eleição para senadorEditar

Conforme o Tribunal Superior Eleitoral houve 2.707.391 votos nominais (78,18%), 481.985 votos em branco (13,92%) e 273.471 votos nulos (7,90%), resultando no comparecimento de 3.462.847 eleitores.[1][13][14][nota 3]

Candidatos a senador da República
Primeiro suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
Itamar Franco
MDB
Jair Negrão de Lima
MDB
-
MDB (sem coligação)
1.443.443
53,31%
José Augusto
ARENA
Manoel Taveira
ARENA
-
ARENA (sem coligação)
1.263.948
46,69%
  Eleito

Deputados federais eleitosEditar

São relacionados os candidatos eleitos com informações complementares da Câmara dos Deputados.[15][16]

Representação eleita

  ARENA: 23
  MDB: 14
Deputados federais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Jorge Ferraz MDB 91.025 Belo Horizonte   Minas Gerais
Renato Azeredo MDB 76.438 Sete Lagoas   Minas Gerais
Tancredo Neves MDB 71.949 São João del-Rei   Minas Gerais
Francelino Pereira ARENA 65.754 Angical do Piauí   Piauí
Fagundes Neto[nota 4] ARENA 61.950 São Gonçalo   Rio de Janeiro
Homero Santos ARENA 61.774 Uberlândia   Minas Gerais
Nelson Thibau MDB 61.768 Belo Horizonte   Minas Gerais
Marcos Tito[nota 5] MDB 61.386 Belo Horizonte   Minas Gerais
Sílvio Abreu Júnior MDB 60.389 Juiz de Fora   Minas Gerais
Murilo Badaró ARENA 56.491 Minas Novas   Minas Gerais
Sinval Boaventura[nota 4] ARENA 56.070 Rio Paranaíba   Minas Gerais
Paulino Cícero ARENA 55.755 São Domingos do Prata   Minas Gerais
Nogueira da Gama[nota 6] MDB 54.752 Cataguases   Minas Gerais
Jairo Magalhães ARENA 53.101 Serro   Minas Gerais
Francisco Bilac Pinto ARENA 51.391 Santa Rita do Sapucaí   Minas Gerais
José Bonifácio ARENA 50.547 Barbacena   Minas Gerais
José Nobre MDB 50.202 Caetité   Bahia
Genival Tourinho MDB 48.899 Montes Claros   Minas Gerais
Jorge Vargas ARENA 48.734 Paracatu   Minas Gerais
José Machado ARENA 47.173 Guanhães   Minas Gerais
Carlos Cotta MDB 47.015 Dom Silvério   Minas Gerais
Tarcísio Delgado MDB 46.662 Juiz de Fora   Minas Gerais
Aécio Cunha ARENA 45.944 Teófilo Otoni   Minas Gerais
Altair Chagas ARENA 45.765 Inhapim   Minas Gerais
Juarez Batista MDB 43.430 Uberaba   Minas Gerais
Melo Freire ARENA 43.270 Passos   Minas Gerais
Nogueira de Rezende ARENA 43.221 Conselheiro Lafaiete   Minas Gerais
Raul Bernardo ARENA 42.776 Belo Horizonte   Minas Gerais
Fábio Fonseca MDB 42.759 Uberlândia   Minas Gerais
Navarro Vieira ARENA 42.677 Botelhos   Minas Gerais
Geraldo Freire ARENA 42.595 Boa Esperança   Minas Gerais
Bias Fortes[nota 4] ARENA 42.411 Barbacena   Minas Gerais
Bento Gonçalves ARENA 42.282 Matozinhos   Minas Gerais
Humberto Souto ARENA 38.988 Montes Claros   Minas Gerais
João Batista Miranda ARENA 38.378 Lajinha   Minas Gerais
Manoel de Almeida ARENA 37.088 Januária   Minas Gerais
Cotta Barbosa MDB 29.953 Abre-Campo   Minas Gerais

Deputados estaduais eleitosEditar

Foram escolhidos 61 deputados estaduais para a Assembleia Legislativa de Minas Gerais.[1][16]

Representação eleita

  ARENA: 37
  MDB: 24
Fonteː[1]
Deputados estaduais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Júnia Marise MDB 55.131 Belo Horizonte   Minas Gerais
Milton Sales ARENA 42.281
Eurípedes Craide MDB 40.523 Conquista   Minas Gerais
Carlos Eloy ARENA 35.859 Pompéu   Minas Gerais
João Pinto Ribeiro MDB 35.686 Belo Vale   Minas Gerais
Ronaldo Canedo ARENA 34.694 Muriaé   Minas Gerais
Vicente Guabiroba ARENA 34.482 Itamarandiba   Minas Gerais
Christovam Chiaradia ARENA 33.464 Córrego do Bom Jesus   Minas Gerais
Gerardo Renault ARENA 33.327 Belo Horizonte   Minas Gerais
Dalton Canabrava MDB 32.720 Curvelo   Minas Gerais
José Laviola ARENA 32.369 Muriaé   Minas Gerais
Sérgio Ferrara MDB 31.792 Belo Horizonte   Minas Gerais
José Bonifácio Filho ARENA 31.610 Belo Horizonte   Minas Gerais
Antônio Dias ARENA 31.334 Montes Claros   Minas Gerais
Artur Fagundes ARENA 30.347 Montes Claros   Minas Gerais
Domingos Lanna ARENA 29.765 Rio Casca   Minas Gerais
Narcélio Mendes ARENA 29.194
Euclides Cintra ARENA 27.961
Rafael Caio ARENA 26.979 Guanhães   Minas Gerais
Cyro Maciel ARENA 26.828 Piranga   Minas Gerais
Dênio Moreira ARENA 26.705
Nilson Gontijo MDB 26.435 Bom Despacho   Rio de Janeiro
José Santana de Vasconcelos ARENA 26.186 Alvinópolis   Minas Gerais
Mário Assad ARENA 25.627 Manhuaçu   Minas Gerais
Morvan Acaiaba ARENA 24.366 Varginha   Minas Gerais
João Ferraz ARENA 24.332
Gomes Moreira MDB 24.298
Fernando Junqueira ARENA 24.262
Sebastião Nascimento[nota 7] ARENA 24.192 Patrocínio   Minas Gerais
José Honório ARENA 23.923
Lourival Brasil ARENA 23.470 Estrela do Sul   Minas Gerais
Haroldo Lopes da Costa MDB 22.477 Belo Horizonte   Minas Gerais
Fábio Notini[nota 8] MDB 29.472
Sylo Costa ARENA 22.109
João Pedro Gustin ARENA 21.745 Araraquara   São Paulo
João Navarro ARENA 21.317
João Bello ARENA 21.198 Porciúncula   Rio de Janeiro
Telêmaco Pompei ARENA 20.939 Patrocínio do Muriaé   Minas Gerais
Wilson Tanure[nota 9] MDB 20.590
Cícero Dumont ARENA 20.581
Jésus Trindade ARENA 20.527 Barra Longa   Minas Gerais
Olavo Costa MDB 20.518
Luiz Baccarini MDB 20.495 São João del Rei   Minas Gerais
Fábio Vasconcelos ARENA 20.397 Barra Longa   Minas Gerais
Mendes Barros MDB 20.194 Nova Era   Minas Gerais
Elmo Braz MDB 19.797
Humberto de Almeida ARENA 19.319 Cássia   Minas Gerais
Lúcio de Souza Cruz ARENA 19.236 Curvelo   Minas Gerais
João Marques ARENA 19.167
Ferraz Caldas MDB 18.790 Pedralva   Minas Gerais
Raimundo Albergaria[nota 10] ARENA 18.590
Emílio Gallo ARENA 18.426 Jaguaraçu   Minas Gerais
Jorge Carone[nota 11] MDB 18.270 Visconde do Rio Branco   Minas Gerais
Milton Lima MDB 17.764 Araguari   Minas Gerais
Pedro Narciso MDB 17.608
Neif Jabur MDB 17.485 Passos   Minas Gerais
Emílio Haddad MDB 17.410 Oliveira   Minas Gerais
Said Arges MDB 17.405 Congonhas   Minas Gerais
Kemil Kumaira MDB 16.388 Teófilo Otoni   Minas Gerais
Genésio Bernardino MDB 16.031 Mutum   Minas Gerais
Amilcar Padovani MDB 15.945 Juiz de Fora   Minas Gerais

Notas

  1. Nos territórios federais o pleito serviu apenas para a escolha de deputados federais não havendo eleições no Distrito Federal e no Território Federal de Fernando de Noronha.
  2. Originalmente a Lei n.º 6.091 não previa a eleição para deputados estaduais, algo que ocorreria anos depois.
  3. Segundo a Constituição de 1946 (Art. 60 § 4º) cada senador seria eleito com o seu suplente e sob a mesma chapa de acordo com o Código Eleitoral de 1965.
  4. a b c Durante a legislatura o governador Aureliano Chaves nomeou Fagundes Neto para a Secretaria de Indústria e Comércio e Bias Fortes para a Secretaria de Educação, fatos que permitiram as convocações de Ibrahim Abi-Ackel e Luiz Fernando Azevedo, respectivamente, sendo que o primeiro foi efetivado com a renúncia de Sinval Boaventura em 20 de outubro de 1978 para assumir uma diretoria no Banco do Estado de Minas Gerais a convite do governador Ozanam Coelho.
  5. Teve o mandato cassado com base no Ato Institucional Número Cinco em 14 de junho de 1977 não sendo convocado o suplente nos termos do Art. 4º § único do referido ato.
  6. Faleceu em Brasília em 9 de julho de 1976 vítima de pneumonia sendo efetivado Luiz Couto.
  7. Falecido em pleno exercício do mandato parlamentar, foi substituído por Delfim Ribeiro a partir de 12 de maio de 1978.
  8. Renunciou ao mandato após eleger-se prefeito de Divinópolis em 1976 e assim foi efetivado Luiz Junqueira.
  9. Falecido em pleno exercício do mandato parlamentar, foi substituído por Rufino Neto a partir de 5 de abril de 1978.
  10. Não confundir com o também político Raimundo Albergaria.
  11. Não confundir com o também político Jorge Carone.

Referências

  1. a b c d «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 28 de novembro de 2017 
  2. «Subsecretaria de Informações do Senado Federal: Ato Institucional Número Três». Consultado em 24 de novembro de 2013 
  3. «BRASIL. Presidência da República: Lei n.º 6.091 de 15/08/1974». Consultado em 24 de novembro de 2013 
  4. A ARENA no dia do MDB. Disponível em Veja, ed. 324 de 20/11/1974. São Paulo: Abril. Página visitada em 24 de novembro de 2013.
  5. «Acervo digital Veja». Consultado em 24 de novembro de 2013. Arquivado do original em 29 de outubro de 2013 
  6. «Morre o ex-vice-presidente Aureliano Chaves (Revista Época)». Consultado em 28 de novembro de 2017 
  7. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Aureliano Chaves». Consultado em 28 de novembro de 2017 
  8. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Ozanam Coelho». Consultado em 29 de novembro de 2017 
  9. Aureliano deixa hoje o governo (online). Folha de S. Paulo, 05/07/1978. Nacional, pág. 06. Página visitada em 29 de novembro de 2017.
  10. «Conheça a trajetória do ex-presidente Itamar Franco (Portal G1)». Consultado em 29 de novembro de 2017 
  11. «Senado Federal do Brasil: senador Itamar Franco». Consultado em 29 de novembro de 2017 
  12. De Norte a Sul, espetáculo igual (online). O Estado de S. Paulo, São Paulo (SP), 04/10/1974. Geral, p. 05. Página visitada em 28 de maio de 2018.
  13. «BRASIL. Presidência da República: Constituição de 1946». Consultado em 28 de novembro de 2017 
  14. «BRASIL. Presidência da República: Lei n.º 4.737 de 15/07/1965». Consultado em 28 de novembro de 2017 
  15. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 28 de novembro de 2017. Arquivado do original em 2 de outubro de 2013 
  16. a b «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 28 de novembro de 2017