Abrir menu principal

Eleições estaduais em Minas Gerais em 1990

As eleições estaduais em Minas Gerais em 1990 aconteceram em 3 de outubro como parte das eleições gerais no Distrito Federal e em 26 estados. Foram eleitos o governador Hélio Garcia, o vice-governador Arlindo Porto, a senadora Júnia Marise, 53 deputados federais e 77 estaduais. Como nenhum candidato a governador atingiu metade mais um dos votos válidos, houve um segundo em 25 de novembro e segundo a Constituição, o governador tomaria posse em 15 de março de 1991 para um mandato de quatro anos sem direito a reeleição.[1][2][nota 1]

1986 Brasil 1994
Eleições estaduais em  Minas Gerais em 1990
3 de outubro de 1990
(Primeiro turno)
25 de novembro de 1990
(Segundo turno)
Hélio Carvalho Garcia como Deputado Federal 1967-1971.jpg Ministro Hélio Costa.jpg
Candidato Hélio Garcia Hélio Costa
Partido PRS PRN
Natural de Santo Antônio do Amparo, MG Barbacena, MG
Vice Arlindo Porto José Aparecido
Votos 3.164.019 3.006.219
Porcentagem 51,28% 48,72%


Brasão de Minas Gerais.svg
Governador de Minas Gerais

Agropecuarista nascido em Santo Antônio do Amparo, o advogado Hélio Garcia diplomou-se na Universidade Federal de Minas Gerais em 1957 e dividiu-se entre seu ofício jurídico e o cargo de secretário-geral da Federação da Agricultura do Estado de Minas Gerais. Eleito deputado estadual pela UDN em 1962, foi líder do governo Magalhães Pinto e a seguir foi escolhido seu secretário de Justiça. Imposto o bipartidarismo, elegeu-se deputado federal pela ARENA em 1966, mas ao fim do mandato afastou-se da vida pública até que em 1975 o governador Aureliano Chaves o escolheu presidente da Caixa Econômica em Minas Gerais, cargo que antecedeu sua eleição para deputado federal em 1978.[3] Durante a legislatura achegou-se a Tancredo Neves e ingressou no Partido Popular, agremiação a qual foi presidiu em Minas Gerais e acabaria incorporada ao PMDB no fim de 1981 num lance confirmado pelo Tribunal Superior Eleitoral meses depois.[4] Eleito vice-governador na chapa de Tancredo Neves em 1982, foi nomeado prefeito de Belo Horizonte pelo governador no ano seguinte e exonerado para comandar o Palácio da Liberdade quando Tancredo Neves renunciou a fim de disputar a presidência da República.[5][nota 2] Após deixar o governo mineiro voltou as suas atenções à agropecuária. Gradativamente afastado do PMDB, disputou um novo mandato à frente do executivo estadual sob o inexpressivo Partido das Reformas Sociais, criado somente para abrigar sua candidatura.[6][7] O resultado do segundo turno mostrou uma disputa equilibrada entre Hélio Garcia e Hélio Costa sendo que o primeiro foi derrotado no interior do estado por menos de oito mil votos, mas graças à votação obtida em Belo Horizonte foi eleito governador pela segunda vez em 1990.[8][9]

Nascido em Patos de Minas, o empresário Arlindo Porto é formado em Contabilidade e Administração de Empresas na Universidade Federal de Uberlândia. Presidente do Lions Club de sua cidade natal, elegeu-se prefeito de Patos de Minas via PMDB em 1982 e conquistou o mandato de vice-governador de Minas Gerais pelo PTB em 1990.[10]

Jornalista nascida em Belo Horizonte, Júnia Marise iniciou a carreira no Correio de Minas em 1962 e trabalhou ainda no Diário de Minas, Rádio Itatiaia e na atual TV Bandeirantes Minas.[nota 3] Chefiou a assessoria de imprensa do governo Magalhães Pinto até 1967 quando formou-se advogada pela Universidade Federal de Uberlândia. Formada em Cinema na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, concluiu o curso de Literatura Brasileira na Academia Mineira de Letras e o curso intensivo de Ciência Política na Universidade de Brasília.[11] Parente do General Dale Coutinho e de Renato Azeredo, ingressou no MDB e foi eleita vereadora em Belo Horizonte em 1970 e 1972, deputada estadual em 1974 e deputada federal em 1978.[12] Outrora militante do PP, reelegeu-se pelo PMDB em 1982. Durante a legislatura votou a favor da Emenda Dante de Oliveira em 1984 e em Tancredo Neves no Colégio Eleitoral em 1985.[13][14] Eleita vice-governadora de Minas Gerais na chapa de Newton Cardoso em 1986, apoiou a candidatura vitoriosa de Fernando Collor à presidência da República em 1989 e elegeu-se senadora pelo PRN em 1990.[15]

Resultado da eleição para governadorEditar

Primeiro turnoEditar

Conforme o Tribunal Superior Eleitoral foram apurados 5.482.840 votos nominais (67,20%), 1.508.189 votos em branco (18,49%) e 1.167.773 votos nulos (14,31%), resultando no comparecimento de 8.158.802 eleitores.[1]

Candidatos a governador do estado
Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Hélio Garcia
PRS
Arlindo Porto
PTB
71
Movimento Unidade Mineira
(PRS, PTB, PL)
2.192.016
39,98%
Hélio Costa
PRN
José Aparecido
PRN
36
Movimento de Reconstrução de Minas
(PRN, PSC, PSD)
962.499
17,55%
Pimenta da Veiga
PSDB
Dorothea Werneck
PSDB
45
Todos por Minas
(PSDB, PDT, PMN)
858.881
15,67%
Virgílio Guimarães
PT
Roberto Assis Ferreira
PCdoB
13
Frente Minas Popular
(PT, PCdoB, PSB, PCB)
630.044
11,49%
Ronan Tito
PMDB
Luís Gambogi
PMDB
15
Participação, Renovação e Trabalho
(PMDB, PDS, PDC, PTR)
476.970
8,70%
Oscar Correia Júnior
PFL
Jésus Trindade
PFL
25
Renova Minas
(PFL, PSL, PTdoB, PAS)
327.876
5,98%
Luiz Manoel da Costa Filho
PST
Iram Barroso Ramos
PST
52
PST (sem coligação)
34.554
0,63%
  Segundo turno

Segundo turnoEditar

Conforme o Tribunal Superior Eleitoral foram apurados 6.170.455 votos nominais (79,48%), 169.176 votos em branco (2,18%) e 1.424.006 votos nulos (18,34%), resultando no comparecimento de 7.763.637 eleitores.[1]

Candidatos a governador do estado
Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Hélio Garcia
PRS
Arlindo Porto
PTB
71
Movimento Unidade Mineira
(PRS, PTB, PL)
3.164.094
51,28%
Hélio Costa
PRN
José Aparecido
PRN
36
Movimento de Reconstrução de Minas
(PRN, PSC, PSD)
3.006.361
48,72%
  Eleito(a)

Resultado da eleição para senadorEditar

Conforme o Tribunal Superior Eleitoral foram apurados 4.186.403 votos nominais (51,31%), 2.883.743 votos em branco (35,35%) e 1.088.656 votos nulos (13,34%), resultando no comparecimento de 7.763.405 eleitores.[1]

Candidatos a senador da República
Primeiro suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
Júnia Marise
PRN
Roberto Faria
PRN
361
Movimento de Reconstrução de Minas
(PRN, PSC, PSD)
1.258.977
30,07%
Patrus Ananias
PT
Fernando Pimentel
PT
131
Frente Minas Popular
(PT, PCdoB, PSB, PCB)
934.964
22,33%
Alysson Paulinelli
PFL
Flávio Ragagnin
PFL
251
Renova Minas
(PFL, PSL, PTdoB, PAS)
930.350
22,22%
Melo Freire
PMDB
Dolores Tomaselli
PMDB
151
Participação, Renovação e Trabalho
(PMDB, PDS, PDC, PTR)
393.023
9,39%
Hugo Gontijo
PTdoB
Josefa Dias
PTdoB
701
PTdoB (sem coligação)
297.430
7,11%
Carlos Mosconi
PSDB
Walter Jobim
PSDB
451
Todos por Minas
(PSDB, PDT)
252.399
6,03%
Geraldo Diniz Couto
PTB
Fernanda Oliveira
PTB
141
PTB (sem coligação)
64.564
1,54%
Guido Luiz Mendonça Bilharinho
PST
Ednei Silva
PST
521
PST (sem coligação)
54.696
1,31%
  Eleito(a)

Deputados federais eleitosEditar

São relacionados os candidatos eleitos com informações complementares da Câmara dos Deputados.[16] Ressalte-se que os votos em branco eram considerados válidos para fins de cálculo do quociente eleitoral nas disputas proporcionais até 1997, quando essa anomalia foi banida de nossa legislação.[17]

Deputados federais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Sérgio Naya PMDB 71.787 Laranjal   Minas Gerais
Tarcísio Delgado PMDB 68.244 Juiz de Fora   Minas Gerais
José Belato PMDB 61.419 Monsenhor Paulo   Minas Gerais
Humberto Souto PFL 58.382 Montes Claros   Minas Gerais
Paulo Delgado PT 55.312 Lima Duarte   Minas Gerais
Zaire Rezende PMDB 52.016 Uberlândia   Minas Gerais
Romel Anízio PRN 49.022 Ituiutaba   Minas Gerais
Luiz Tadeu Leite[nota 4] PMDB 47.159 Montes Claros   Minas Gerais
Lael Varela PFL 46.264 Muriaé   Minas Gerais
Wilson Cunha PTB 45.989 Porteirinha   Minas Gerais
José Geraldo Ribeiro[nota 5] PMDB 44.982 Jequeri   Minas Gerais
Irani Barbosa PL 44.305 Belo Horizonte   Minas Gerais
Aécio Neves PSDB 42.412 Belo Horizonte   Minas Gerais
Odelmo Leão PMDB 41.033 Uberaba   Minas Gerais
Getúlio Neiva PRN 40.559 Medina   Minas Gerais
Marcos Lima PMDB 39.929 Itaúna   Minas Gerais
João Paulo PT 39.580 Belo Horizonte   Minas Gerais
Maurício Campos PL 39.153 Rio Pomba   Minas Gerais
Mário Assad PFL 37.889 Manhuaçu   Minas Gerais
Leopoldo Bessone PMDB 37.346 Belo Horizonte   Minas Gerais
José Santana de Vasconcelos PMDB 36.694 Alvinópolis   Minas Gerais
Osmânio Pereira PSDB 35.724 Pedra Azul   Minas Gerais
Neif Jabur PMDB 35.563 Passos   Minas Gerais
Israel Pinheiro Filho PRS 35.393 Belo Horizonte   Minas Gerais
Paulo Heslander PTB 35.151 Barão de Cocais   Minas Gerais
José Aldo dos Santos[nota 6] PRS 35.101 São Tiago   Minas Gerais
Paulino Cícero[nota 7] PSDB 34.870 São Domingos do Prata   Minas Gerais
Fernando Diniz PMDB 33.325 Belo Horizonte   Minas Gerais
Armando Costa PMDB 32.887 Felixlândia   Minas Gerais
Aloísio Vasconcelos PMDB 32.579 Ponte Nova   Minas Gerais
Samir Tannus PDC 32.533 Prata   Minas Gerais
Sandra Starling[nota 8] PT 32.248 Belo Horizonte   Minas Gerais
Edmar Moreira PRN 32.010 São João Nepomuceno   Minas Gerais
Wagner do Nascimento PTB 31.724 Uberaba   Minas Gerais
Mário de Oliveira PRN 31.467 Itanhandu   Minas Gerais
Felipe Neri PMDB 31.105 Ponte Nova   Minas Gerais
Aracely de Paula PFL 30.812 Ibiá   Minas Gerais
Genésio Bernardino PMDB 30.280 Mutum   Minas Gerais
Ibrahim Abi-Ackel PDS 30.110 Manhumirim   Minas Gerais
Raul Belém PRN 23.406 Araguari   Minas Gerais
Bonifácio de Andrada PDS 28.396 Barbacena   Minas Gerais
João Batista Rosa[nota 4] PMDB 28.714 Estiva   Minas Gerais
Nilmário Miranda PT 27.434 Belo Horizonte   Minas Gerais
Christovam Chiaradia[nota 9] PFL 26.164 Córrego do Bom Jesus   Minas Gerais
Roberto Brant PRS 24.647 Belo Horizonte   Minas Gerais
Tilden Santiago PT 23.581 Nova Era   Minas Gerais
Avelino Costa PL 23.402 Vila Nova de Cerveira   Portugal
Vittorio Medioli PSDB 22.882 Parma   Itália
José Rezende PRS 22.772 Araponga   Minas Gerais
José Elias Murad PSDB 21.519 Ribeirão Vermelho   Minas Gerais
Saulo Coelho PSDB 20.339 Belo Horizonte   Minas Gerais
Célio de Castro[nota 4] PSB 18.962 Carmópolis de Minas   Minas Gerais
Agostinho Valente PT 12.145 Carangola   Minas Gerais

Deputados estaduais eleitosEditar

Foram escolhidos 77 deputados estaduais para a Assembleia Legislativa de Minas Gerais.[1][17]

Deputados estaduais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
José Laviola PMDB 50.279 Muriaé   Minas Gerais
Romeu Queiroz PRS 47.388 Patrocínio   Minas Gerais
Marcelo Cecé PMDB 45.478
Sebastião Helvécio PMDB 36.300 Juiz de Fora   Minas Gerais
Geraldo Santana PMDB 35.263 Salinas   Minas Gerais
Maria Elvira PMDB 29.094 Belo Horizonte   Minas Gerais
Paulo Fernando PTC 29.081 Tumiritinga   Minas Gerais
Kemil Kumaira PMDB 29.026 Teófilo Otoni   Minas Gerais
Elmo Braz PMDB 27.090
Gualter Monteiro PL 25.642
Rêmolo Aloise PMDB 24.132 São Sebastião do Paraíso   Minas Gerais
Anderson Adauto PMDB 23.956 Sacramento   Minas Gerais
José Militão PSDB 23.917 Ibiraci   Minas Gerais
Paulo Pettersen PMDB 23.386 Carangola   Minas Gerais
Paulo Carvalho PMDB 23.149
Antônio Genaro PRN 23.029 Guaimbê   São Paulo
Jaime Martins PFL 22.902 Nova Serrana   Minas Gerais
Raimundo Albergaria[nota 10] PDS 22.664
Cleuber Carneiro PFL 22.495 Paratinga   Minas Gerais
José Ferraz PRS 22.390 Santa Maria do Salto   Minas Gerais
Antônio Júlio PMDB 22.250 Pará de Minas   Minas Gerais
Cóssimo Freitas PMDB 21.701
Bonifácio Mourão PMDB 21.575 Sabinópolis   Minas Gerais
José Bonifácio Filho PDS 20.746 Belo Horizonte   Minas Gerais
Ailton Vilela PDC 20.639 São Bento Abade   Minas Gerais
Wellington de Castro PMN 20.617 Belo Horizonte   Minas Gerais
Dilzon Melo PTB 20.504 Capitólio   Minas Gerais
José Renato Novaes PMDB 19.980 Acaiaca   Minas Gerais
Geraldo Rezende PMDB 19.654 Tupaciguara   Minas Gerais
Ambrósio Pinto PRS 19.483 Piranguçu   Minas Gerais
Tarcísio Henriques PMDB 18.504
Custódio Mattos PSDB 18.166 Bicas   Minas Gerais
Agostinho Patrus PFL 18.076 Belo Horizonte   Minas Gerais
Hely Tarquínio PRN 17.942 Uberaba   Minas Gerais
Ajalmar Silva PRN 17.583
Péricles Ferreira PSDB 17.315 Salinas   Minas Gerais
Jorge Hannas PFL 17.202 Resende Costa   Minas Gerais
Sebastião Costa PFL 17.021 Divino   Minas Gerais
Amilcar Padovani PTR 16.557 Juiz de Fora   Minas Gerais
Célio de Oliveira PRS 16.549
Ermano Batista PL 16.534 Aimorés   Minas Gerais
Roberto Luiz Soares PDS 16.439 Visconde do Rio Branco   Minas Gerais
Mauri Torres PMDB 16.280 Guararema   São Paulo
João Marques PMDB 15.963
Eduardo Brás PSDB 15.923 Formiga   Minas Gerais
Bernardo Rubinger PMDB 15.876 Patos de Minas   Minas Gerais
Márcio Miranda PRN 15.698
Wanderley Ávila PSDB 15.255 Joaquim Felício   Minas Gerais
Simão Pedro Toledo PTB 14.976 Pouso Alegre   Minas Gerais
Francisco Ramalho PSDB 14.779
José Leandro PL 14.610
Roberto Amaral PTB 14.353
Elisa Alves PRS 13.987 Araxá   Minas Gerais
Elmiro Nascimento PFL 13.639 Patos de Minas   Minas Gerais
Adelmo Leão PT 13.320 Itapagipe   Minas Gerais
Milton Sales[nota 11] PFL 13.300 Paraisópolis   Minas Gerais
Bené Guedes PTB 13.129 Itajubá   Minas Gerais
Álvaro Antônio PRS 13.095 Belo Horizonte   Minas Gerais
Arnaldo Canarinho PSDB 12.980
Reinaldo de Lima PT 12.945 Ponte Nova   Minas Gerais
Homero Duarte PRN 12.828
Ibrahim Jacob PDT 12.619 Ubá   Minas Gerais
Ronaldo Vasconcelos PL 12.257 Ponte Nova   Minas Gerais
Mauro Lobo PL 12.039
Wilson Pires PRN 11.869
Raul Messias PT 11.866 Belo Horizonte   Minas Gerais
João Batista Rodrigues PDT 11.645
Glycon Terra Pinto PMN 11.004 Belo Horizonte   Minas Gerais
José Maria Pinto PRN 10.936 Oliveira   Minas Gerais
José Braga PDT 9.659 Ubaí   Minas Gerais
Gilmar Machado PT 9.090 Cascalho Rico   Minas Gerais
Marcos Helênio PT 8.658 Belo Horizonte   Minas Gerais
Antônio Carlos Pereira PT 8.466 Salvador   Bahia
Roberto Carvalho PT 8.181 Ubá   Minas Gerais
Antônio Fuzatto PT 8.151
Ivo José PT 8.069
Maria José Haueisen PT 7.690 Teófilo Otoni   Minas Gerais

Notas

  1. A posse dos governadores eleitos em 1990 foi determinada pelo Art. 4º, § 3º do Ato das Disposições Constituições Transitórias, exceto no Amapá, Distrito Federal e Roraima, que empossaram seus mandatários em 1º de janeiro de 1991 conforme o Art. 28 da Carta Magna.
  2. Por desígnios do Ato Institucional Número Três e legislação afim, somente em 1985 os municípios de Araxá, Belo Horizonte, Caldas, Cambuquira, Carangola, Caxambu, Jacutinga, Lambari, Monte Sião, Passa Quatro, Patrocínio, Poços de Caldas, São Lourenço e Tiradentes voltaram a eleger seus prefeitos e vice-prefeitos.
  3. O Diário de Minas referido acima é o jornal criado na capital mineira em 1899 e quanto à emissora de TV, era a antiga TV Vila Rica.
  4. a b c Luiz Tadeu Leite foi eleito prefeito em Montes Claros em 1992 enquanto João Batista Rosa venceu em Pouso Alegre e Célio de Castro foi eleito vice-prefeito de Belo Horizonte. Para substituí-los foram efetivados: Pedro Tassis, Sérgio Ferrara e Sérgio Miranda.
  5. Teve o mandato cassado em 15 de junho de 1994 em decorrência da CPI dos Anões do Orçamento sendo efetivado Aníbal Teixeira.
  6. Faleceu em 15 de maio de 1994 sendo efetivado José Ulisses.
  7. Licenciou-se para assumir cargo de ministro de Minas e Energia no Governo Itamar Franco sendo convocado Álvaro Pereira.
  8. Licenciou-se para assumir a Secretaria Municipal de Educação de Belo Horizonte na administração Patrus Ananias sendo convocado Edinho Ferramenta.
  9. Faleceu em Brasília em 11 de setembro de 1991 vítima de ataque cardíaco sendo efetivado Camilo Machado.
  10. Não confundir com o também político Raimundo Albergaria.
  11. Filho do político Milton Sales.

Referências

  1. a b c d e «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 4 de dezembro de 2017 
  2. «BRASIL. Presidência da República: Constituição de 1988». Consultado em 4 de dezembro de 2017 
  3. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Hélio Garcia». Consultado em 4 de dezembro de 2017 
  4. PP e PMDB decidem unir-se (online). Folha de S. Paulo, 21/12/1981. Página visitada em 4 de dezembro de 2017.
  5. Tancredo deixa governo e diz que a corrupção virou rotina (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 15/08/1984. Capa. Página visitada em 4 de dezembro de 2017.
  6. Hélio Garcia, o boêmio voltou novamente (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 26/09/1990. Política e Economia, página 03. Página visitada em 4 de dezembro de 2017.
  7. Garcia perde sigla e ronda PMDB (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 26/04/1992. Política e Governo, página 02. Página visitada em 4 de dezembro de 2017.
  8. Votos petistas em MG migram para Hélio Costa (online). Folha de S. Paulo, 30/11/1990. Política, página A-10. Página visitada em 4 de dezembro de 2017.
  9. Votos em BH dão vitória a Garcia (online). Folha de S. Paulo, 30/11/1990. Política, página A-10. Página visitada em 5 de dezembro de 2017.
  10. «Senado Federal do Brasil: senador Arlindo Porto». Consultado em 5 de dezembro de 2017 
  11. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputada Júnia Marise». Consultado em 5 de dezembro de 2017 
  12. MDB mineiro ganha com mulher (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 20/11/1978. Primeiro caderno, p. 04. Página visitada em 5 de dezembro de 2017.
  13. A nação frustrada! Apesar da maioria de 298 votos, faltaram 22 para aprovar diretas (online). Folha de S.Paulo, São Paulo (SP), 26/04/1984. Capa. Página visitada em 5 de dezembro de 2017.
  14. Sai de São Paulo o voto para a vitória da Aliança (online). Folha de S.Paulo, São Paulo (SP), 16/01/1985. Primeiro caderno, p. 06. Página visitada em 5 de dezembro de 2017.
  15. «Senado Federal do Brasil: senadora Júnia Marise». Consultado em 5 de dezembro de 2017 
  16. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 4 de dezembro de 2017. Arquivado do original em 2 de outubro de 2013 
  17. a b «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 4 de dezembro de 2017