Abrir menu principal

Eleições estaduais em Rondônia em 1982

As eleições estaduais em Rondônia em 1982 ocorreram em 15 de novembro como parte das eleições gerais em 23 estados e nos territórios federais do Amapá e Roraima.[1][2] Por força de um casuísmo político não houve eleição para governador[3] e assim Jorge Teixeira manteve o cargo que exercia e foram escolhidos os senadores Odacir Soares, Galvão Modesto e Claudionor Roriz, oito deputados federais e vinte e quatro estaduais. Foram observadas regras como o voto vinculado, a sublegenda e a proibição de coligações partidárias.[4][5][6][7][8][9][nota 2][nota 3][nota 4]

1978 Brasil 1986
Eleições estaduais em  Rondônia em 1982
15 de novembro de 1982
(Turno único)


Replace this image male.png
Candidato Jorge Teixeira


Partido PDS


Natural de General Câmara, RS


Vice [nota 1]
Votos Nomeado
Porcentagem -


BrasaoRondonia.jpg
Governador de Rondônia

Gaúcho nascido em General Câmara, o governador Jorge Teixeira iniciou sua vida militar em 1942 e passou pela Academia Militar das Agulhas Negras cursando ainda a Escola de Comando e Estado-Maior do Exército, a Escola de Educação Física do Exército e a Escola das Américas. Fixou-se em Manaus em 1966 e a seguir criou e comandou o Centro de Instrução de Guerra na Selva e nesse ínterim enfrentou a Guerrilha do Araguaia. Fundador do Colégio Militar de Manaus em 1971, passou à reserva dois anos depois sob a patente de coronel e foi morar no Rio de Janeiro.[10] Nomeado prefeito da capital amazonense via ARENA em 1975, administrou-a durante o governo Enoque Reis e em 1979 foi escolhido governador de Rondônia pelo presidente João Figueiredo, cargo mantido na passagem de território federal a estado quando já pertencia ao PDS.[11]

Vitoriosa a Nova República as forças políticas rondonienses apoiaram a escolha do professor Ângelo Angelim para governar o estado.[12] Paulista de Capivari, graduou-se em Letras, Filosofia e Administração de Empresas na Universidade de São Paulo em 1972. Cinco anos mais tarde mudou-se para Rondônia dividindo-se entre o trabalho na Serraria Pau-Brasil e o magistério, pois já em 1977 foi nomeado secretário municipal de Educação em Vilhena pelo prefeito Renato Coutinho dos Santos. Administrador do então distrito de Colorado do Oeste, elegeu-se deputado estadual pelo PMDB em 1982. Renunciou ao mandato para assumir o governo em 13 de maio de 1985 após escolha do presidente José Sarney.[13][14][15][nota 5]

Natural de Rio Branco, o advogado Odacir Soares é formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, cidade onde trabalhou como jornalista nas revistas Manchete e Fatos e Fotos. Fundador da seccional da Ordem dos Advogados do Brasil em Rondônia, foi secretário de Segurança nos governos José Campedelli e João Carlos Marques Henrique Neto. Presidente do Conselho Territorial de Trânsito e também da Companhia de Águas e Esgotos de Rondônia, foi assessor jurídico da prefeitura de Porto Velho.[16] Duas vezes prefeito de Porto Velho por escolha de João Carlos Marques Henrique Neto, foi chefe de gabinete do governador Teodorico Gaíva e consultor jurídico do governo territorial. Eleito suplente de deputado federal pela ARENA em 1978, exerceu o mandato por força de convocação.[16] Em 1982 foi eleito senador pelo PDS e como teve a maior votação do estado, recebeu um mandato de oito anos. Foi eleitor de Paulo Maluf na eleição presidencial indireta de 1985, embora tenha migrado para o PFL.[17][18][19]

Nascido em Corumbá o engenheiro agrônomo Galvão Modesto formou-se em 1967 pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Técnico do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária, foi transferido para Ji-Paraná em 1974. Coordenador do INCRA para o Amazonas e o Território Federal de Rondônia, executou projetos de colonização e desenvolvimento rural. Aliado a Jorge Teixeira, foi eleito senador pelo PDS em 1982 e votou em Paulo Maluf no Colégio Eleitoral em 1985, ingressando depois no PFL.[20][17][19]

Médico nascido em Jardim e graduado na Universidade Federal de Pernambuco em 1970, Claudionor Roriz chegou a Rondônia em 1972 trabalhou junto ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária, Fundação Nacional do Índio e ao governo rondoniense. Apontado como integrante da Vanguarda Popular Revolucionária, trabalhou em prol do MDB em Rondônia nas cercanias da BR-364. Convidado por Jorge Teixeira, trabalhou na instalação de hospitais e postos de saúde, o que garantiu sua eleição para senador via PDS em 1982.[17] Eleitor de Tancredo Neves Colégio Eleitoral em 1985, ingressou no PFL e logo depois licenciou-se do mandato a fim de assumir o cargo de secretário de Saúde no governo Ângelo Angelim.[21][19]

Resultado da eleição para governadorEditar

O último governador do Território Federal de Rondônia foi nomeado pelo presidente da República, tomou posse perante o ministro da Justiça e assumiu em 20 de abril de 1979. Com a passagem de Rondônia a estado foi mantido no cargo após votação no Senado Federal e assim permaneceu no poder até 1985.[3][22]

Candidatos a governador do estado
Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Jorge Teixeira
PDS
Não havia[nota 1]
-
-
PDS (sem coligação)
Nomeado
-
  Nomeado

Resultado da eleição para senadorEditar

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral houve 501.778 votos nominais (89,95%), 33.641 votos em branco (6,03%) e 22.428 votos nulos (4,02%) resultando em 557.847 votos apurados. Em Rondônia a numeração dos candidatos a senador foi determinada à parte do que previa a legislação e o PDS lançou dois suplentes por candidato ao invés de um, não se aplicando aqui o instrumento da sublegenda, afinal o número de candidatos por partido correspondia exatamente às vagas em disputa.[1][23][24][2][nota 6][nota 7][nota 8]

Candidatos a senador da República
Candidatos a suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
Odacir Soares
PDS
Eudes Lustosa
PDS
José Adelino da Silva
PDS
10
PDS (sem coligação)
96.657
19,26%
Galvão Modesto
PDS
Flavio Donin
PDS
Isaac Bennesby
PDS
12
PDS (sem coligação)
94.794
18,89%
Claudionor Roriz
PDS
Alcides Paio
PDS
José Augusto de Oliveira
PDS
11
PDS (sem coligação)
94.143
18,76%
Jerônimo Santana
PMDB
Carlos Correia
PMDB
-
50
PMDB (sem coligação)
67.188
13,39%
Carlos Augusto Godoy
PMDB
Ângelo Milani
PMDB
-
52
PMDB (sem coligação)
66.374
13,23%
Djair Prieto
PMDB
José Ribamar Amorim
PMDB
-
51
PMDB (sem coligação)
64.954
12,95%
Odair Cordeiro
PT
José Pedro Valadares
PT
-
30
PT (sem coligação)
5.957
1,19%
Onofre Airton Kojo
PT
Oládia Alves da Cruz
PT
-
32
PT (sem coligação)
5.887
1,17%
Josias Galvão de Lima
PT
Aírton Cavati
PT
-
31
PT (sem coligação)
5.824
1,16%
  Eleitos

Deputados federais eleitosEditar

São relacionados os candidatos eleitos com informações complementares da Câmara dos Deputados. Foram apurados 164.076 votos nominais e de legenda (88,24%), 10.820 votos em branco (5,82%) e 11.053 votos nulos (5,94%) resultando no comparecimento de 185.949 eleitores.[1][25][26][2]

Deputados federais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Múcio Athaide PMDB 24.338 13,92% Montes Claros   Minas Gerais
Chiquilito Erse PDS 20.506 11,72% Manaus   Amazonas
Olavo Pires PMDB 14.265 8,16% Catalão   Goiás
Rita Furtado PDS 11.428 6,53% Campos dos Goytacazes   Rio de Janeiro
Leônidas Rachid PDS 11.137 6,37% Rosário Oeste   Mato Grosso
Francisco Sales PDS 9.772 5,59% Grossos   Rio Grande do Norte
Assis Canuto PDS 9.382 5,36% Itumbiara   Goiás
Orestes Muniz PMDB 7.548 4,32% Conselheiro Pena   Minas Gerais

Deputados estaduais eleitosEditar

Foram eleitos 24 deputados estaduais para a Assembleia Legislativa de Rondônia. Foram apurados 159.412 votos nominais e de legenda (85,73%), 13.523 votos em branco (7,27%) e 13.014 votos nulos (7,00%) resultando no comparecimento de 185.949 eleitores.[1][26][2]

Deputados estaduais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
José Bianco PDS 8.156 4,72% Apucarana   Paraná
Tomaz Correia[nota 9] PMDB 5.441 3,15% Granja   Ceará
Genivaldo Souza PDS 5.311 3,07%
João Dias PMDB 4.901 2,83%
Sadraque Muniz PMDB 4.706 2,72%
Francisco Nogueira PDS 4.372 2,53%
Jacob Atallah PDS 4.362 2,52%
Osvaldo Piana PDS 4.025 2,33% Porto Velho   Rondônia
Jô Sato[nota 10] PDS 3.785 2,19%
Manoel Messias PDS 3.728 2,16%
Arnaldo Martins PDS 3.720 2,15%
Ronaldo Aragão PMDB 3.638 2,10% Santa Cruz do Capibaribe   Pernambuco
Sérgio Carminato PMDB 3.381 1,96% Alto Alegre   São Paulo
José do Prado PDS 3.206 1,85% Araruna   Paraná
Silvernani Santos PDS 3.195 1,85% Trairi   Ceará
Zuca Marcolino PDS 3.144 1,82% Icó   Ceará
Marvel Falcão PDS 3.126 1,81%
Walderedo Paiva PDS 2.966 1,72%
Cloter Mota PMDB 2.909 1,68%
Heitor Costa PDS 2.777 1,61% Uberaba   Minas Gerais
Jerzy Badocha PMDB 2.701 1,56%
Amizael Silva PDS 2.677 1,55%
Amir Lando PMDB 2.590 1,50% Piratuba   Santa Catarina
Ângelo Angelim[nota 9] PMDB 2.536 1,47% Capivari   São Paulo

Eleições municipaisEditar

Houve eleições para prefeitos, vice-prefeitos e vereadores em nove dos treze municípios rondonienses, pois em Colorado do Oeste, Costa Marques Guajará-Mirim e Porto Velho foram escolhidos apenas vereadores. Os três municípios interioranos elegeram seus prefeitos em 1983 enquanto a capital do estado readquiriu tal direito apenas em 1985.[27][nota 11][nota 12]

Notas

  1. a b Mediante a inexistência do cargo de vice-governador o substituto eventual do governador era o presidente da Assembleia Legislativa de Rondônia. A partir de 1983 os primeiros titulares do cargo foram os deputados José Bianco e Amizael Silva, mesmo assim a secretária de Planejamento, Janilene Vasconcelos de Melo, comandou o governo do estado durante o mês de janeiro de 1984 quando o governador Jorge Teixeira se licenciou por motivos de saúde.
  2. Criado como Território Federal do Guaporé pelo presidente Getúlio Vargas em 1943 e renomeado Território Federal de Rondônia em honra a Cândido Rondon em 1956, este elegia apenas um deputado federal para representá-la até que este número foi duplicado em 1978 graças ao Pacote de Abril editado no ano anterior. Elevada ao patamar de estado em 1981, pôde eleger três senadores e oito deputados federais.
  3. Nos territórios federais do Amapá, Rondônia e Roraima o pleito serviu apenas para a escolha de deputados federais não havendo eleições em Fernando de Noronha.
  4. A Lei n.º 6.091 permitiu que os rondonienses radicados no Distrito Federal votassem para todos os cargos em disputa remetendo às urnas ao estado de origem.
  5. O distrito de Colorado do Oeste foi elevado à categoria de município em 16 de junho de 1981.
  6. Houve um comparecimento de 185.949 eleitores (79,67%) e uma abstenção de 47.463 eleitores (20,33%) somando 233.412 inscritos aptos a votar.
  7. Como havia três vagas em disputa na eleição para senador, o total de votos apurados corresponde ao triplo de eleitores que compareceram às urnas.
  8. Na soma das sublegendas o PDS obteve 285.594 votos (56,91%), o PMDB conseguiu 198.516 votos (39,57%) e o PT somou 17.668 votos (3,52%).
  9. a b Ângelo Angelim renunciou ao mandato parlamentar antes de ser nomeado governador pelo presidente José Sarney em maio de 1985 e em 15 de novembro do mesmo ano, Tomaz Correia foi eleito vice-prefeito de Porto Velho na chapa de Jerônimo Santana numa sucessão de fatos que permitiu as efetivações de Joaquim Azevedo e Ernandes Amorim.
  10. Faleceu em janeiro de 1986 vítima de acidente automobilístico e em razão disso foi efetivado Walter Bártolo.
  11. Os municípios interioranos foram declarados "áreas de segurança nacional" no momento em que Rondônia foi elevada de território federal a estado e assim houve eleições para prefeito apenas em 31 de agosto de 1983 e nelas o PDS triunfou com Marcos Donadon em Colorado do Oeste, Rui Rodrigues de Almeida em Costa Marques e Isaac Bennesby em Guajará-Mirim.
  12. Quanto a Porto Velho, sua condição de capital do estado sujeitava-a às regras do Ato Institucional Número Três e somente em 15 de novembro de 1985 seus eleitores puderam votar para prefeito e assim elegeram o candidato do PMDB, Jerônimo Santana.

Referências

  1. a b c d «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 19 de dezembro de 2017 
  2. a b c d «Banco de dados do Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia». Consultado em 23 de dezembro de 2017 
  3. a b «BRASIL. Presidência da República: Lei Complementar n.º 41 de 22/12/1981». Consultado em 19 de dezembro de 2017 
  4. «BRASIL. Presidência da República: Decreto-Lei n.º 5.812 de 13/09/1943». Consultado em 19 de dezembro de 2017 
  5. «BRASIL. Presidência da República: Lei n.º 2.731 de 17/02/1956». Consultado em 19 de dezembro de 2017 
  6. «BRASIL. Presidência da República: Pacote de Abril». Consultado em 19 de dezembro de 2017 
  7. «BRASIL. Presidência da República: Decreto-lei n.º 1.541 de 14/04/1977». Consultado em 9 de junho de 2018 
  8. «BRASIL. Presidência da República: Lei n.º. 6.978 de 19/01/1982». Consultado em 9 de junho de 2018 
  9. «BRASIL. Presidência da República: Lei n.º 6.091 de 15/08/1974». Consultado em 9 de junho de 2018 
  10. Manaus terá gaúcho como administrador (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 25/03/1975. Política e Governo, p. 04. Página visitada em 19 de dezembro de 2017.
  11. Governador de Rondônia conhece seu povo (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 13/03/1979. Nacional, p. 08. Página visitada em 19 de dezembro de 2017.
  12. Angelim é indicado para governar RO até o próximo ano (online). Folha de S. Paulo, São Paulo (SP), 28/04/1985. Política, p. 05. Página visitada em 20 de dezembro de 2017.
  13. Deputado estadual do PMDB vai substituir Teixeira em Rondônia (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 27/04/1985. Política, p. 02. Página visitada em 20 de dezembro de 2017.
  14. RO tem novo governador (online). O Estado de S. Paulo, São Paulo (SP), 15/05/1985. Geral, p. 06. Página visitada em 20 de dezembro de 2017.
  15. «BRASIL. Presidência da República: Lei n.º 6.921 de 16/06/1981». Consultado em 20 de dezembro de 2017 
  16. a b «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Odacir Soares». Consultado em 20 de dezembro de 2017 
  17. a b c Governador se surpreende com votação do PDS (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 22/11/1982. Política/Eleições, p. 07. Página visitada em 20 de dezembro de 2017.
  18. «Senado Federal do Brasil: senador Odacir Soares». Consultado em 20 de dezembro de 2017 
  19. a b c Sai de São Paulo o voto para a vitória da Aliança (online). Folha de S. Paulo, São Paulo (SP), 16/01/1985. Política, p. 06. Página visitada em 20 de dezembro de 2017.
  20. «Senado Federal do Brasil: senador Galvão Modesto». Consultado em 20 de dezembro de 2017 
  21. «Senado Federal do Brasil: senador Claudionor Roriz». Consultado em 20 de dezembro de 2017 
  22. Licença de Jorge Teixeira leva Janilene, paraibana, ao governo de Rondônia (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 08/01/1984. Política, p. 04. Página visitada em 20 de dezembro de 2017.
  23. «BRASIL. Presidência da República: Lei n.º 7.021 de 06/09/1982». Consultado em 19 de dezembro de 2017 
  24. TSE julga infrações à Lei Falcão (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 25/10/1982. Política, p. 02. Página visitada em 20 de dezembro de 2017.
  25. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 19 de dezembro de 2017. Arquivado do original em 2 de outubro de 2013 
  26. a b «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 19 de dezembro de 2017 
  27. PDS elege três prefeitos em Rondônia (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 02/09/1983. Primeiro caderno, p. 02. Página visitada em 20 de dezembro de 2017.
  Este artigo sobre política ou um cientista político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.