Abrir menu principal

Eleições estaduais na Bahia em 1986

As eleições estaduais na Bahia em 1986 aconteceram em 15 de novembro como parte das eleições gerais no Distrito Federal, em 23 estados e nos territórios federais do Amapá e Roraima. Numa época onde não ocorriam os dois turnos em eleições majoritárias para cargos executivos, foram eleitos o governador Waldir Pires, o vice-governador Nilo Coelho, os senadores Jutahy Magalhães e Rui Bacelar, além de 39 deputados federais e 63 estaduais.[1][nota 1]

1982 Brasil 1990
Eleições estaduais na Bahia Bahia em 1986
15 de novembro de 1986
(Turno único)
Waldir Pires1.jpg Josaphat Marinho.jpg
Candidato Waldir Pires Josaphat Marinho
Partido PMDB PFL
Natural de Acajutiba, BA Ubaíra, BA
Vice Nilo Coelho José Penedo
Votos 2.675.108 1.218.520
Porcentagem 66,95% 30,50%


Brasão do estado da Bahia.svg
Governador da Bahia

O triunfo do PMDB ocorreu num contexto onde a Bahia rompeu o ciclo de poder exercido por Antônio Carlos Magalhães no cenário político local a ponto de não apenas exercer o governo como indicar quais seriam os titulares, receita vigente desde 1970 e que só foi contrariada em 1974, quando o presidente Ernesto Geisel escolheu Roberto Santos como titular do Palácio de Ondina. Há quatro anos o PMDB foi derrotado na eleição para governador por João Durval Carneiro, que foi lançado como candidato após a morte de Clériston Andrade, ocorrida num acidente aéreo em Caatiba, o que levou o carlismo à vitória. Entretanto, tão logo notou o desgaste do Regime Militar de 1964, ACM aderiu à Nova República e entrou no PFL, mesmo tendo que conviver com adversários como Carlos Sant'Anna, Roberto Santos e Waldir Pires no ministério do Governo Sarney.

Estimulado pela vitória de Mário Kertesz à prefeitura de Salvador em 1985, o PMDB aproximou-se de antigos carlistas para integrar a chapa liderada por Waldir Pires e recebeu políticos que apoiaram João Durval Carneiro em 1982: Nilo Coelho foi escolhido vice-governador e para concorrer na eleição de senador foram escolhidos Rui Bacelar e Jutahy Magalhães. Em sentido inverso, os pefelistas apresentaram como candidato um expoente do antigo MDB, o jurista Josaphat Marinho.

Apoiado por dois terços dos eleitores, o advogado Waldir Pires tornou-se governador após uma carreira política iniciada em 1945, quando entrou na Faculdade de Direito da Universidade Federal da Bahia, onde se formou.[2] Professor da Universidade Católica de Salvador e da Universidade de Brasília, foi Secretário de Governo de Régis Pacheco, a quem seguiu no ingresso ao PSD, e delegado federal de Educação por escolha do ministro Antônio Balbino. Eleito deputado estadual em 1954 e deputado federal em 1958, foi derrotado por Lomanto Júnior ao disputar o governo em 1962 e a seguir foi nomeado consultor-geral da República pelo presidente João Goulart.[2] Cassado pelo Ato Institucional Número Um do Regime Militar, Pires partiu para o exílio no Uruguai e na França, onde lecionou em universidades até voltar ao Brasil em 1970. Em 1979 filiou-se ao MDB e depois ao PMDB, sendo derrotado por Luís Viana Filho na disputa para senador em 1982. Seu último cargo público foi o de Ministro da Previdência Social.[2] Seu mandato como governador teve fim em 14 de maio de 1989, quando renunciou para concorrer a vice-presidente na chapa de Ulysses Guimarães e foi sucedido por Nilo Coelho, político egresso do PDS.

Índice

Resultado da eleição para governadorEditar

Conforme o Tribunal Regional Eleitoral[1] foram apurados 3.995.363 votos nominais (87,74%), 362.677 votos em branco (7,97%) e 195.503 votos nulos (4,29%), resultando no comparecimento de 4.553.543 eleitores.

Candidatos a governador do estado
Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Waldir Pires
PMDB
Nilo Coelho
PMDB
15
A Bahia Vai Mudar
(PMDB, PDT, PSC, PCB, PCdoB)
2.675.108
66,95%
Josaphat Marinho
PFL
José Penedo
PFL
25
Aliança Democrática Progressista
(PFL, PDS, PTB, PDC)
1.218.520
30,50%
Delma Gama
PMB
Renato Góes
PMB
26
PMB (sem coligação)
55.895
1,40%
Agostinho Rocha
PH
Hugo Rocha
PH
19
PH (sem coligação)
45.933
1,15%
  Eleito(a)

Resultado da eleição para senadorEditar

Dados fornecidos pelo Tribunal Regional Eleitoral[1] apontam que, por serem duas vagas em disputa,[3] os votos válidos atingiram 6.611.730 eleitores (72,60%), com 2.150.999 votos em branco (23,62%) e 344.357 votos nulos (3,78%), somando 9.107.086 sufrágios.

Candidatos a senador da República
Primeiro suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
Rui Bacelar
PMDB
PMDB
15
A Bahia vai mudar
(PMDB, PDT, PSC, PCB, PCdoB)
2.037.848
30,82%
Jutahy Magalhães
PMDB
PMDB
15
A Bahia vai mudar
(PMDB, PDT, PSC, PCB, PCdoB)
1.885.057
28,51%
Lomanto Júnior
PDS
PDS
11
Aliança Democrática Progressista
(PFL, PDS, PTB, PDC)
1.131.626
17,11%
Félix Mendonça
PTB
PTB
14
Aliança Democrática Progressista
(PFL, PDS, PTB, PDC)
1.020.760
15,44%
Geracina Aguiar
PT
PT
13
PT (sem coligação)
212.079
3,21%
Roque Aras
PT
PT
13
PT (sem coligação)
134.416
2,03%
Getúlio Rocha Santana
PMB
PMB
26
PMB (sem coligação)
96.954
1,47%
Hélio França Rodrigues
PSB
PSB
40
PSB (sem coligação)
92.990
1,41%
  Eleito

Deputados federais eleitosEditar

São relacionados os candidatos eleitos com informações complementares da Câmara dos Deputados.[4] Ressalte-se que os votos em branco eram considerados válidos para fins de cálculo do quociente eleitoral nas disputas proporcionais até 1997, quando essa anomalia foi banida de nossa legislação.[5]

Deputados federais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Luís Eduardo Magalhães PFL 93.907 Salvador   Bahia
Jonival Lucas PFL 91.965 Sapeaçu   Bahia
Luís Viana Neto[nota 2] PMDB 62.672 Salvador   Bahia
Fernando Gomes[nota 3] PMDB 61.838 Itabuna   Bahia
França Teixeira[nota 4] PMDB 61.152 Salvador   Bahia
Jorge Hage PMDB 59.734 Itabuna   Bahia
Joaci Góes PMDB 59.600 Ipirá   Bahia
Carlos Sant'Anna[nota 5] PMDB 58.649 Salvador   Bahia
Raul Ferraz PMDB 57.916 Vitória da Conquista   Bahia
Jutahy Magalhães Júnior PMDB 57.394 Salvador   Bahia
Benito Gama PFL 55.641 Ituaçu   Bahia
Francisco Pinto PMDB 55.086 Feira de Santana   Bahia
Jorge Viana PMDB 50.425 Ilhéus   Bahia
Nestor Duarte PMDB 49.223 Salvador   Bahia
Prisco Viana PMDB 48.965 Caetité   Bahia
Genebaldo Correia PMDB 48.362 Santo Amaro   Bahia
Sérgio Brito PFL 46.959 Vitória da Conquista   Bahia
João Carlos Bacelar PMDB 46.654 Entre Rios   Bahia
Domingos Leonelli PMDB 45.847 Salvador   Bahia
Virgildásio de Sena PMDB 45.140 Santo Amaro   Bahia
Uldurico Pinto PMDB 42.402 Medeiros Neto   Bahia
Mário Lima PMDB 41.847 Glória   Bahia
Celso Dourado PMDB 40.822 Irecê   Bahia
Haroldo Lima PCdoB 40.494 Caetité   Bahia
Jairo Azi PFL 38.611 Lamarão   Bahia
Jairo Carneiro PFL 38.301 Feira de Santana   Bahia
Marcelo Cordeiro PMDB 37.682 Salvador   Bahia
Milton Barbosa PMDB 36.698 Itaberaba   Bahia
Fernando Santana PCB 37.674 Irará   Bahia
Lídice da Mata PCdoB 36.466 Cachoeira   Bahia
Abigail Feitosa PMDB 34.838 Tauá   Ceará
Eraldo Tinoco PFL 32.170 Ipiaú   Bahia
Francisco Benjamin PFL 30.423 Aracaju   Sergipe
Manoel Castro PFL 29.835 Salvador   Bahia
Ângelo Magalhães PFL 28.312 Salvador   Bahia
José Lourenço PFL 28.610 Porto   Portugal
João Alves PFL 28.532 Maceió   Alagoas
Leur Lomanto PFL 28.041 Jequié   Bahia
Waldeck Ornelas PFL 27.652 Ipiaú   Bahia

Deputados estaduais eleitosEditar

Estavam em jogo 63 vagas na Assembleia Legislativa da Bahia.

Eleições municipaisEditar

Com a cassação da prefeita de Tanquinho, Josenilda Paim Pereira, foi realizada uma nova eleição e em seu lugar foi eleito o pecuarista Jovino Tavares, do PFL.[6]

Notas

  1. Amapá e Roraima elegeram apenas quatro deputados federais cada enquanto Fernando de Noronha não tinha direito a representação.
  2. Renunciou em favor de Jorge Medauar em 1990 para assumir o mandato de seu pai, Luís Viana Filho, no Senado Federal.
  3. Renunciou em favor de Miraldo Gomes em 1988 após eleger-se prefeito de Itabuna.
  4. Renunciou em favor de Murilo Leite em 1989 para assumir uma cadeira no Tribunal de Contas da Bahia.
  5. Foi Ministro da Educação no último ano do Governo José Sarney.

Referências

  1. a b c «Banco de dados do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia». Consultado em 27 de junho de 2014 
  2. a b c «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Waldir Pires». Consultado em 27 de junho de 2014 
  3. «Página oficial do Senado Federal». Consultado em 3 de fevereiro de 2014 
  4. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 3 de fevereiro de 2014. Arquivado do original em 2 de outubro de 2013 
  5. «Presidência da República: Lei nº 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 27 de junho de 2014 
  6. PFL-BA ganha a única eleição municipal (online). Jornal do Brasil, 22/11/1986. Página visitada em 29 de junho de 2014.