Abrir menu principal

Eleições estaduais na Guanabara em 1960

As eleições estaduais na Guanabara em 1960 aconteceram em 3 de outubro em decorrência da mudança da capital para Brasília em 21 de abril daquele ano e nelas foram eleitos o governador Carlos Lacerda e 30 deputados estaduais que teriam poderes constituintes.[1][nota 1][nota 2]

‹ 1958 Brasil 1962
Eleições estaduais na Guanabara Guanabara em 1960
3 de outubro de 1960
(Turno único)
Replace this image male.png Replace this image male.png
Candidato Carlos Lacerda Sérgio Magalhães
Partido UDN PTB
Natural de Rio de Janeiro, RJ Recife, PE
Vice Não havia Não havia
Votos 357.153 333.901
Porcentagem 37,00% 34,59%



Governador(a) do Estado

Titular
Sette Câmara
Sem partido

Advogado formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, Carlos Lacerda é jornalista desde 1929 e no decorrer dos anos fundou o jornal Tribuna da Imprensa e a editora Nova Fronteira. Em sua biografia constam passagens pelo PCB e pela Aliança Nacional Libertadora até abjurar o marxismo. Ao longo de pelo menos vinte anos foi um crítico e opositor feroz de Getúlio Vargas filiando-se à UDN no final do Estado Novo em 1945. Eleito vereador pelo Rio de Janeiro (então Distrito Federal) em 1947 e deputado federal na mesma unidade federativa em 1954 e 1958, trabalhou no Correio da Manhã antes de fundar seu próprio jornal.[2] Ferido no Atentado da Rua Toneleiros foi alvo de insatisfação popular após o suicídio de Getúlio Vargas à 24 de agosto de 1954. Nos anos seguintes fez oposição a Juscelino Kubitschek, Jânio Quadros e João Goulart sendo uma das lideranças civis que depuseram este último no golpe de estado que instaurou o Regime Militar de 1964, do qual Lacerda mais tarde se afastaria ao ver negada a sua candidatura a presidente da República com o cancelamento da eleição de 1965 e a consequente permanência das Forças Armadas no governo. Como adendo à vitória de Carlos Lacerda, a mesma foi facilitada pela candidatura de Tenório Cavalcanti, que subtraiu de Sérgio Magalhães os votos necessários para o triunfo deste.[3][4]

Foram eleitos trinta deputados estaduais para um mandato de dois anos cabendo aos mesmos funções constituintes e em 5 de dezembro de 1960 o governador Carlos Lacerda foi empossado perante o Tribunal Regional Eleitoral conforme previa a Lei nº 3.752 de 14 de abril de 1960[5] e recebeu o cargo das mãos do advogado e diplomata José Sette Câmara Filho, então governador interino.[nota 3]

Índice

Resultado da eleição para governadorEditar

Os percentuais refletem o número de votos válidos obtidos por cada candidato. Houve 965.191 votos nominais (96,53%), 13.559 votos em branco (1,36%) e 21.063 votos nulos (2,11%) resultando no comparecimento de 999.813 eleitores.[1]

Candidatos a governador do estado
Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Carlos Lacerda
UDN
Não havia
-
-
UDN, PR, PL, PDC, PTN
357.153
37,00%
Sérgio Magalhães
PTB
Não havia
-
-
PTB, PSB
333.901
34,59%
Tenório Cavalcanti
PST
Não havia
-
-
PST, PSP
222.942
23,10%
Ângelo Mendes de Moraes
PSD
Não havia
-
-
PSD (sem coligação)
51.195
5,31%
  Eleito

Deputados estaduais eleitosEditar

São relacionados a seguir os candidatos eleitos conforme o acervo do Tribunal Superior Eleitoral.[1][6] Ressalte-se que os parlamentares foram empossados à 6 de dezembro de 1960.[7]

Deputados estaduais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Amaral Neto UDN 35.182 Rio de Janeiro   Rio de Janeiro
Aliomar Baleeiro UDN 17.180 Salvador   Bahia
Themístocles Cavalcanti UDN 15.981 Rio de Janeiro   Rio de Janeiro
Gonzaga da Gama PSD 15.330 Rio de Janeiro   Rio de Janeiro
Afonso Arinos Filho UDN 14.661 Belo Horizonte   Minas Gerais
Sandra Cavalcanti UDN 14.513 Belém   Pará
Jorge Valadão UDN 14.513
Raul Brunini UDN 11.623 Rio Claro   São Paulo
Lutero Vargas PTB 11.392 São Borja   Rio Grande do Sul
Lígia Bastos UDN 11.101 Rio de Janeiro   Rio de Janeiro
Amando da Fonseca PTB 10.995
Saldanha Coelho PTB 10.260
Hércules Corrêa dos Reis PTB 9.994
Frota Aguiar UDN 9.866 Camocim   Ceará
Roland Corbisier PTB 9.543 São Paulo   São Paulo
José de Souza Marques PTB 8.620
Artur da Távola PTN 8.546 Rio de Janeiro   Rio de Janeiro
Naldir Laranjeira Batista PR 8.438
Lopo Coelho PSD 8.214 Uruguaiana   Rio Grande do Sul
Danilo da Cunha Nunes PTN 8.213
Hugo Ramos Filho PSD 8.045 Florianópolis   Santa Catarina
Adalgisa Nery PSB 7.905 Rio de Janeiro   Rio de Janeiro
Sami Jorge Haddad Abdulmacih PSD 7.706
Miécimo da Silva PRT 7.578
Waldemar Viana de Carvalho PRT 7.084
Átila Nunes Pereira PSP 6.342
Gladstone Melo PDC 5.886
Francisco Silbert Sobrinho PR 5.230
Levi de Miranda Neves PSP 4.948
Gerson Bergher PSB 4.762 Rio de Janeiro   Rio de Janeiro

Notas

  1. O vice-governador, os dois senadores e os vinte e um deputados federais só seriam eleitos em 1962.
  2. Além da Guanabara houve eleição para governador em Alagoas, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Rio Grande do Norte e Santa Catarina.
  3. Ressalte-se que Carlos Lacerda renunciou poucos dias antes de terminar o mandato e foi substituído pelo vice-governador Rafael de Almeida Magalhães e pelo desembargador Martinho Garcez Neto, presidente do Tribunal de Justiça.

Referências

  1. a b c «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 14 de junho de 2019 
  2. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Carlos Lacerda». Consultado em 14 de junho de 2019 
  3. «Biografia de Carlos Lacerda no CPDOC da Fundação Getúlio Vargas». Consultado em 11 de maio de 2018 
  4. «FGV/CPDOC – O Governo de Juscelino Kubitschek: biografia de Sérgio Magalhães». Consultado em 14 de junho de 2019 
  5. «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 3.752 de 14/04/1960». Consultado em 11 de maio de 2013 
  6. Sôbre (sic) 26 homens e 4 mulheres repousa o voto de confiança de todos os eleitores (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 16/10/1960. Primeiro caderno, p. 08. Página visitada em 14 de junho de 2019.
  7. Lopo Coelho é o presidente da Assembléia (sic) (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 07/12/1960. Primeiro caderno, p. 07. Página visitada em 14 de junho de 2019.