Abrir menu principal

Eleições estaduais no Amapá em 1990

As eleições estaduais no Amapá em 1990 ocorreram à 3 de outubro como parte das eleições gerais no Distrito Federal e em 26 estados. Foram escolhidos o governador Aníbal Barcelos, o vice-governador Ronaldo Borges, os senadores José Sarney, Henrique Almeida e Jonas Borges, oito deputados federais e vinte e quatro estaduais; sua primeira representação política completa desde a elevação a estado pela Constituição de 1988.[1] Como nenhum candidato a governador atingiu metade mais um dos votos válidos, o segundo turno aconteceu em 25 de novembro e o vencedor teria quatro anos de mandato com início em 1º de janeiro de 1991 sem direito a reeleição.[nota 1]

1986 Brasil 1994
Eleições estaduais no  Amapá em 1990
3 de outubro de 1990
(Primeiro turno)
25 de novembro de 1990
(Segundo turno)
Replace this image male.png Replace this image male.png
Candidato Aníbal Barcelos Gilson Rocha
Partido PFL PT
Natural de Campos dos Goytacazes, RJ Não disponível
Vice Ronaldo Borges Ribamar Capiberibe
Votos 59.289 29.178
Porcentagem 67,02% 32,98%


Brasão do Amapá.svg
Governador do Amapá

Nesta eleição houve uma polarização entre Aníbal Barcelos e Gilson Rocha, nomes que representavam duas linhas políticas: uma liderada pelo governador Gilton Garcia e outra pelo prefeito de Macapá, João Capiberibe, numa luta onde estavam em jogo os interesses do presidente Fernando Collor e do ex-presidente José Sarney, que após ser eleito senador pelo novo estado e mesmo envolvido com as eleições no Maranhão, prestou apoio ao médico Gilson Rocha, candidato do PT,[2][3] enquanto Fernando Collor deu arrimo à candidatura de Aníbal Barcelos, que venceu a disputa em segundo turno.

Natural de Campos dos Goytacazes, o governador Aníbal Barcelos concluiu o curso na Escola de Guerra Naval no Rio de Janeiro em 1939 e desde então integra a Marinha do Brasil assumindo a supervisão do ensino profissional marítimo na referida cidade. Durante o Governo Ernesto Geisel foi diretor de empresas públicas ligadas à Marinha e foi governador do Amapá durante o governo do presidente João Figueiredo quando militou na ARENA e no PDS. Voltou à política ao eleger-se deputado federal pelo PFL em 1986 integrando a Assembleia Nacional Constituinte que elaborou a Nova Constituição.[4][5]

Resultado da eleição para governadorEditar

Primeiro turnoEditar

O Tribunal Regional Eleitoral do Amapá apurou 89.457 votos nominais (84,44%), 12.474 votos em branco (11,78%) e 4.006 votos nulos (3,78%) resultando no comparecimento de 105.937 eleitores.[6]

Candidatos a governador do estado
Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Aníbal Barcelos
PFL
Ronaldo Borges
PFL
25
Frente Liberal de Reconstrução
(PFL, PRN, PL, PSC, PSD, PST)
36.954
41,31%
Gilson Rocha
PT
Ribamar Capiberibe
PSB
13
Frente Ampla de Libertação do Amapá
(PT, PSB, PSDB, PCB, PCdoB)
27.092
30,29%
Papaléo Paes
PRONA
Adriano Lago
PRONA
56
PRONA (sem coligação)
16.780
18,76%
Abelardo Vaz
PTB
Marilda Pereira
PTB
14
Amapá Esperança
(PTB, PDS, PMN, PRP, PTdoB)
3.760
4,20%
Guairacá Nunes
PDC
Edmílson Ribeiro
PDC
17
PDC (sem coligação)
2.094
2,34%
Antônio Cabral de Castro
PDT
Sílvio Pinto
PDT
12
PDT (sem coligação)
1.524
1,70%
Bernardo Rodrigues
PMDB
Rosilda Aragão
PMDB
15
PMDB (sem coligação)
1.253
1,40%
  Segundo turno

Segundo turnoEditar

O Tribunal Regional Eleitoral do Amapá contabilizou 88.467 votos nominais (93,55%), 1.122 votos em branco (1,19%) e 4.979 votos nulos (5,26%) resultando no comparecimento de 94.568 eleitores.[6]

Candidatos a governador do estado
Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Aníbal Barcelos
PFL
Ronaldo Borges
PFL
25
Frente Liberal de Reconstrução
(PFL, PRN, PL, PSC, PSD, PST, PTB, PDS, PMN)
59.289
67,02%
Gilson Rocha
PT
Ribamar Capiberibe
PSB
13
Frente Ampla de Libertação do Amapá
(PT, PSB, PSDB, PCB, PCdoB, PMDB, PRP, PDC)
29.178
32,98%
  Eleito(a)

Resultado da eleição para senadorEditar

Segundo o Tribunal Regional Eleitoral do Amapá, houve 215.884 votos nominais, 98.853 votos em branco e 3.074 votos nulos, totalizando 317.811 eleitores. Este último número corresponde ao triplo dos eleitores que compareceram às urnas, pois eram três as vagas de senador.[6]

Candidatos a senador da República
Primeiro suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
José Sarney
PMDB
Paulo Guerra
PMDB
151
PMDB
(sem coligação)
53.004
24,55%
Henrique Almeida
PFL
Airton Oliveira
PFL
251
Frente Liberal de Reconstrução
(PFL, PRN, PL, PSC, PST, PSD)
27.237
12,62%
Jonas Borges
PTB
Paulo Monteiro
PTB
141
Amapá Esperança
(PTB, PDS)
26.016
12,05%
Geovani Borges
PSC
Manoel de Sousa
PSD
201
Frente Liberal de Reconstrução
(PFL, PRN, PL, PSC, PST, PSD)
21.376
9,90%
Wagner Gomes
PT
Raimundo Gomes
PCdoB
131
Frente Ampla de Libertação do Amapá
(PT, PSB, PSDB, PCB, PCdoB)
17.199
7,97%
Edson Correia
PL
Nilde Santiago
PRN
221
Frente Liberal de Reconstrução
(PFL, PRN, PL, PSC, PST, PSD)
16.369
7,58%
Raquel Capiberibe
PSB
Álvaro Rocha
PSB
401
Frente Ampla de Libertação do Amapá
(PT, PSB, PSDB, PCB, PCdoB)
15.993
7,41%
Heraldo Araújo
PSDB
José Nílson Borges
PSB
451
Frente Ampla de Libertação do Amapá
(PT, PSB, PSDB, PCB, PCdoB)
6.564
3,04%
Cláudio Nunes
PDT
Mirivaldo Santos
PDT
123
PDT (sem coligação)
5.787
2,68%
Clark Platon
PTB
Ielda Oliveira
PTB
144
Amapá Esperança
(PTB, PDS)
5.648
2,62%
Carmem Maia
PDT
Manoel Raimundo
PDT
121
PDT (sem coligação)
5.302
2,46%
Maria Vitória Chagas
PDT
Francisco Canindé
PDT
122
PDT (sem coligação)
3.675
1,70%
Antônio Pedreira
PTdoB
Raimundo Santana
PTdoB
701
PTdoB (sem coligação)
3.432
1,59%
Amaury Farias
PMDB
Geová Borges
PMDB
152
PMDB
(sem coligação)
3.181
1,47%
Nelson Souza
PRP
Juarez Gomes
PRP
441
PRP (sem coligação)
2.017
0,93%
Marlúcio Serrano
PMN
Carlos César da Silva
PMN
333
PMN (sem coligação)
1.810
0,84%
Milton Pauletto
PDS
Wanderlei Ramos
PTB
111
Amapá Esperança
(PTB, PDS)
1.274
0,59%
  Eleito(a)

Deputados federais eleitosEditar

São relacionados os candidatos eleitos com informações complementares da Câmara dos Deputados.[7][8]

Deputados federais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Murilo Pinheiro PFL 4.137 São Luís   Maranhão
Fátima Pelaes PFL 4.072 Macapá   Amapá
Aroldo Góes PDT 3.234 Almeirim   Pará
Sérgio Barcelos PFL 3.473 Rio de Janeiro   Rio de Janeiro
Eraldo Trindade PFL 3.274 Amapá   Amapá
Gilvam Borges PRN 2.901 Brasília   Distrito Federal
Lourival Freitas PT 2.691 Macapá   Amapá
Valdenor Guedes PTB 1.957 Macapá   Amapá

Deputados estaduais eleitosEditar

As vinte e quatro vagas da Assembleia Legislativa do Amapá foram assim distribuídas: seis para o PFL, quatro para o PRN, quatro para o PL, três para o PDT, duas para o PTB, duas para o PSB, uma para o PDS, uma para o PT e uma para o PSDB.[6]

Notas

  1. O Art. 14 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias criou o estado do Amapá e o Art. 28 da Carta Magna fixou a data da posse de seu governador.

Referências