Abrir menu principal

Eleições estaduais no Amazonas em 1978

As eleições estaduais no Amazonas em 1978 foram realizadas em duas etapas conforme estabelecia o Pacote de Abril: em 1º de setembro ocorreu a eleição indireta onde a ARENA escolheu o governador José Lindoso, o vice-governador Paulo Nery e o senador Raimundo Parente. A fase seguinte aconteceu em 15 de novembro a exemplo dos outros estados brasileiros e nela a ARENA fez o senador João Bosco de Lima e obteve aproximadamente dois terços das vagas entre os seis deputados federais e dezoito estaduais que foram eleitos.[nota 1]Os amazonenses residentes no Distrito Federal escolheram seus representantes por força do Art. 17 da Lei nº 6.091 de 15 de agosto de 1974.[1]

1974 Brasil 1982
Eleições estaduais no  Amazonas em 1978
1º de setembro de 1978
(Eleição indireta)
15 de novembro de 1978
(Eleição direta)


Replace this image male.png
Candidato José Lindoso


Partido ARENA


Natural de Manicoré, AM


Vice Paulo Nery
Votos 96
Porcentagem 92,31%


Brasão do Amazonas.svg
Governador do Amazonas

O governador José Lindoso nasceu em Manicoré (AM) e é advogado formado em 1946 na Universidade Federal do Amazonas onde obteve o Doutorado e foi professor. Consultor da Associação Comercial do Amazonas e depois delegado do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC) e do Serviço Social do Comércio (SESC) e presidiu a Comissão Regional de Serviço de Inspeção do Ensino Comercial do Amazonas, Roraima e Acre. Filiado ao PSD foi primeiro suplente de deputado estadual em 1962. Presidente do PSD em Manicoré apoiou o Regime Militar de 1964 embora tenha sido secretário de Educação no segundo governo Plínio Coelho. Membro do Conselho Estadual de Educação e da Academia Amazonense de Letras, foi eleito deputado federal pela ARENA em 1966 e senador em 1970.[2] Seu companheiro de chapa foi o advogado, professor e juiz de direito Paulo Nery. Nascido em Manaus e formado pela Universidade Federal do Amazonas, foi deputado estadual e deputado federal exercendo os mandatos de vereador e prefeito em sua cidade natal.

Eleito em setembro o senador Raimundo Parente é natural de Manaus e formado em Direito pela Universidade Federal do Amazonas e foi advogado, promotor de justiça, delegado de polícia[3] jornalista e professor. Presidente estadual da ARENA elegeu-se deputado federal em 1966, tornou-se suplente em 1970[nota 2] e foi reeleito em 1974. Para a outra vaga foi eleito o contabilista, advogado e jornalista João Bosco de Lima, treinador do Nacional de Manaus que elegeu-se vereador em Manaus em 1962, deputado estadual em 1966 e 1970 e vice-governador do Amazonas em 1974 com passagem pelo MDB antes de optar pela ARENA e vencer a eleição para senador por estreita margem de votos sob acusações de fraude.[4] Morto nos primeiros meses de mandato, foi substituído por Eunice Michiles, primeira senadora do Brasil desde a Princesa Isabel.[5]

Em consonância com o resto do país os governistas do Amazonas ingressaram no PDS tão logo o governo João Figueiredo fez a reforma partidária enquanto o grupo oposicionista liderado por Gilberto Mestrinho passou por PTB e PP antes que Brasília proibisse as coligações partidárias visando a disputa de 1982 e assim o referido político rumou para o PMDB e conseguiu chegar ao Palácio Rio Negro.

Resultado da eleição para governadorEditar

O Colégio Eleitoral do Amazonas era dominado pela ARENA e durante a votação os deputados estaduais do MDB não votou nos candidatos inscritos.[6]

Candidatos a governador do estado
Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
José Lindoso
ARENA
Paulo Nery
ARENA
-
ARENA (sem coligação)
96
92,31%
  Eleito

Resultado da eleição para senadorEditar

Mandato biônico de oito anosEditar

A eleição para senador biônico permitiu a vitória de Raimundo Parente que exercia o terceiro mandato consecutivo de deputado federal.[7][nota 3]

Candidatos a senador da República
Candidatos a suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
Raimundo Parente
ARENA
Mendonça Furtado
ARENA
Jair Cavalcante
ARENA
-
ARENA (sem coligação)
96
92,31%
  Eleito

Mandato direto de oito anosEditar

Seria eleito o candidato mais votado a partir da soma das sublegendas, o que levou à vitória da ARENA a despeito da maior votação individual de um dos postulantes do MDB conforme a Justiça Eleitoral. Dados oficiais disponíveis apontam a existência de 229.875 votos válidos (81,69%), 22.897 votos em branco (8,14%) e 28.627 votos nulos (10,17%) totalizando o comparecimento de 281.399 eleitores.[nota 4]

Candidatos a senador da República
Candidatos a suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
Fábio Lucena
MDB
[nota 5]
-
-
MDB (em sublegenda)
79.181
34,45%
João Bosco de Lima
ARENA
[nota 3]
-
-
ARENA (em sublegenda)
71.110
30,93%
Eunice Michiles
ARENA
[nota 3]
-
-
ARENA (em sublegenda)
32.819
14,28%
Maria Júlia Rodrigues
MDB
[nota 5]
-
-
MDB (em sublegenda)
24.015
10,45%
Félix Valois
MDB
[nota 5]
-
-
MDB (em sublegenda)
11.631
5,06%
Djalma Passos
ARENA
[nota 3]
-
-
ARENA (em sublegenda)
11.119
4,84%
  Eleito

Deputados federais eleitosEditar

São relacionados os candidatos eleitos com informações complementares da Câmara dos Deputados.[8][9]

Deputados federais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Mário Frota MDB 26.602 Granja   Ceará
José Fernandes[nota 6] ARENA 26.244 Careiro   Amazonas
Vivaldo Frota ARENA 19.842 Boca do Acre   Amazonas
Josué de Souza ARENA 14.447 Itajaí   Santa Catarina
Mário Haddad[nota 6] ARENA 14.256 Manaus   Amazonas
Joel Ferreira MDB 13.541 Manaus   Amazonas

Deputados estaduais eleitosEditar

Em relação às dezoito cadeiras da Assembleia Legislativa do Amazonas, a ARENA superou o MDB por onze a sete.[6]

Deputados estaduais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Josué Filho ARENA 12.760 Manaus   Amazonas
Átila Lins ARENA 9.920 Fonte Boa   Amazonas
Beth Azize MDB 9.575 Manacapuru   Amazonas
Jamil Seffair ARENA 7.727
José Belo Ferreira ARENA 7.605
Francisco Queiroz MDB 7.387
Homero Leão ARENA 6.950
Socorro Dutra ARENA 6.925
Carlos Paiva ARENA 6.630
José Costa de Aquino MDB 6.529
Samuel Peixoto MDB 6.411
Gláucio Bentes ARENA 6.229
Cleuter Mendonça ARENA 5.955
Humberto Michiles ARENA 5.280 São Paulo   São Paulo
Damião Alves de Melo[nota 7] MDB 5.023
Messias Sampaio MDB 4.999 Manaus   Amazonas
Vinícius Conrado ARENA 4.341
Manuel Diz MDB 4.293

Notas

  1. No Distrito Federal havia seções especiais para captar o voto de quem estava fora do seu estado de origem e nos territórios federais do Amapá, Rondônia e Roraima serviu apenas para a escolha de deputados federais.
  2. Foi efetivado com a cassação de Rafael Faraco após as eleições.
  3. a b c d Em 1978 o senador biônico seria eleito sob a legislação concebida pelo Pacote de Abril enquanto no pleito direto seria eleito o candidato a senador mais votado de cada sublegenda cabendo aos demais a condição de suplentes.
  4. Os 229.875 votos nominais da eleição para senador foram assim distribuídos: 115.048 (50,05%) para a ARENA e 114.827 (49,95%) para o MDB.
  5. a b c Quando um partido apresentava três candidatos em sublegenda os mesmos figurariam como suplentes do vencedor, conforme mencionado acima.
  6. a b O governador José Lindoso nomeou José Fernandes à prefeitura de Manaus e Mário Haddad para a secretaria de Justiça permitindo as convocações de Rafael Faraco e Ubaldino Meireles.
  7. Conhecido como "Damião Ribeiro".

Referências

  1. «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 6.091 de 15/08/1974». Consultado em 3 de agosto de 2013 
  2. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado José Lindoso». Consultado em 3 de agosto de 2013 
  3. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Raimundo Parente». Consultado em 3 de agosto de 2013 
  4. Por 676 votos (online). Veja, 27/12/1978. Página visitada em 3 de agosto de 2013.
  5. «Direito de voto feminino completa 76 anos no Brasil; saiba mais sobre essa conquista (folha.com)». Consultado em 30 de junho de 2016 
  6. a b «Banco de dados do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas». Consultado em 3 de agosto de 2013 
  7. Menos de dez mil votos elegeram 22 senadores (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 01/09/1978. Primeiro caderno, p. 04. Página visitada em 4 de junho de 2018.
  8. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 8 de agosto de 2015. Arquivado do original em 2 de outubro de 2013 
  9. «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 8 de agosto de 2015