Eleições estaduais no Amazonas em 1986

As eleições estaduais no Amazonas em 1986 ocorreram em 15 de novembro, como parte das eleições gerais no Distrito Federal, em 23 estados e nos territórios federais do Amapá e Roraima.[nota 1][1][2] Foram eleitos o governador Amazonino Mendes, o vice-governador Vivaldo Frota, os senadores Fábio Lucena e Carlos Alberto de Carli, oito deputados federais e vinte e quatro estaduais. Quatro nomes disputaram o pleito, mas a vitória foi de Amazonino Mendes, candidato apoiado pelo governador Gilberto Mestrinho. Amazonino Mendes venceu também as eleições para o governo do Amazonas em 1994 e 1998 quando já não pertencia ao PMDB.

1982 Brasil 1990
Eleições estaduais no  Amazonas em 1986
15 de novembro de 1986
(Turno único)
Amazonino Mendes.jpg Senador Arthur Virgílio.jpg
Candidato Amazonino Mendes Arthur Virgílio Neto
Partido PMDB PSB
Natural de Eirunepé, AM Manaus, AM
Vice Vivaldo Frota Serafim Corrêa
Votos 270.875 209.716
Porcentagem 54,28% 42,02%


Brasão do Amazonas.svg
Governador do Amazonas

Advogado formado em 1969 pela Universidade Federal do Amazonas o novo governador fez política estudantil, é empresário da construção civil e foi diretor-auxiliar do Departamento de Estradas de Rodagem no primeiro governo Gilberto Mestrinho, que em sua segunda passagem pelo Rio Negro o nomeou prefeito de Manaus (1983-1986). Seu maior rival foi o deputado federal Arthur Virgílio Neto. Ressalte-se que os candidatos mais votados apoiaram a eleição de Gilberto Mestrinho em 1982 quando eles pertenciam ao PMDB. Foram vencidos também o professor Marcus Barros e o suplente de senador Djalma Passos.

Após quatro anos as máquinas partidárias do Amazonas sofreram transformações a começar pelo PMDB do qual alguns filiados se desligaram rumo ao PSB em protesto pela decisão de Gilberto Mestrinho em indicar Amazonino Mendes como seu candidato enquanto os membros mais representativos do PDS migraram para o PDT e uniram forças com os antigos peemedebistas de modo a derrotar o poderio governamental, mas sem sucesso.

Nesse pleito a sublegenda vigeu na eleição para senador e foram liberadas as coligações partidárias, todavia a disputa pelas vagas na Câmara Alta do Parlamento ficou marcada por um casuísmo visto que embora Fábio Lucena tivesse o mandato em curso por ter sido eleito em 1982, o referido político resolveu disputar um novo mandato e uma vez "reeleito" de modo extemporâneo[3] seu mandato anterior foi entregue ao suplente Leopoldo Peres, entretanto como Fábio Lucena veio a falecer nos primeiros meses de seu novo mandato sua cadeira ficou nas mãos de Áureo Melo.[4] Em meio a tanta controvérsia a segunda vaga de senador ficou com o deputado federal Carlos Alberto de Carli. Coube ainda ao PMDB a conquista das maiores bancadas entre os deputados federais e deputados estaduais que foram eleitos.

Resultado das eleições para governadorEditar

O Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas contabiliza 499.027 votos nominais (88,28%), 46.237 votos em branco (8,18%) e 20.019 votos nulos (3,54%) resultando no comparecimento de 565.283 eleitores.[5]

Candidatos a governador do estado
Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Amazonino Mendes
PMDB
Vivaldo Frota
PFL
15
Aliança Democrática
(PMDB, PFL, PTB, PL, PCB, PMB, PH)
270.875
54,28%
Arthur Virgílio Neto
PSB
Serafim Corrêa
PDT
40
Muda Amazonas
(PSB, PDT, PDC, PCdoB, PTR, PPB)
209.716
42,03%
Marcus Barros
PT
Mário Serrão
PT
13
PT (sem coligação)
15.942
3,19%
Djalma Passos
PDS
Domingos Ramos de Lima
PDS
11
PDS (sem coligação)
2.494
0,50%
  Eleito(a)

Resultado da eleição para senadorEditar

Como eram duas as vagas de senador em disputa o total de votos válidos corresponde ao dobro do verificado na eleição para governador[5] sendo que houve 175.484 votos em branco (15,52%) e 57.256 votos nulos (5,06%) calculados sobre o comparecimento de 1.130.566 eleitores com os 897.826 votos nominais assim distribuídos segundo o Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas:[nota 2]

Candidatos a senador da República
Primeiro suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
Fábio Lucena
PMDB
Áureo Melo
PMDB
151
Aliança Democrática
(PMDB, PFL, PTB, PL, PCB, PMB, PH)
239.048
26,62%
Carlos Alberto de Carli
PMDB
Gilberto Miranda
PMDB
152
Aliança Democrática
(PMDB, PFL, PTB, PL, PCB, PMB, PH)
220.865
24,60%
Mário Frota
PSB
Edenílson Litaiff
PDC
401
Muda Amazonas
(PSB, PDT, PDC, PCdoB, PTR, PPB)
199.084
22,17%
Raimundo Parente
PDT
Ranolfo Litaiff
PPB
121
Muda Amazonas
(PSB, PDT, PDC, PCdoB, PTR, PPB)
160.691
17,90%
Marlene Ribeiro Pardo
PT
Amadeu Jacaúna
PT
132
PT (sem coligação)
30.767
3,43%
Jacó Luís de Figueiredo
PDS
Manuel Sales
PDS
111
PDS (sem coligação)
24.787
2,76%
João Ricardo Bessa Freire
PT
Francisco Marinho
PT
131
PT (sem coligação)
22.584
2,52%
  Eleito(a)

Deputados federais eleitosEditar

São relacionados os candidatos eleitos com informações complementares da Câmara dos Deputados.[6] Ressalte-se que os votos em branco eram considerados válidos para fins de cálculo do quociente eleitoral nas disputas proporcionais até 1997, quando essa anomalia foi banida de nossa legislação.[7]

Deputados federais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Bernardo Cabral[nota 3] PMDB 41.027 Manaus   Amazonas
Ézio Ferreira PFL 37.466 Benjamin Constant   Amazonas
José Dutra PMDB 25.565 Barreirinha   Amazonas
Eunice Michiles PFL 24.003 São Paulo   São Paulo
José Fernandes PDT 19.633 Careiro   Amazonas
Beth Azize PSB 17.325 Manacapuru   Amazonas
Sadie Hauache PFL 16.813 Itacoatiara   Amazonas
Carrel Benevides PMDB 13.570 Manaus   Amazonas

Deputados estaduais eleitosEditar

Relação elaborada a partir dos arquivos do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas[5] segundo os quais a coligação "Aliança Democrática" conquistou 75% das vagas contra 25% da coligação "Muda Amazonas". A divisão por bancadas contemplou partidos como o PMDB (onze vagas), PFL (sete vagas), PDT (quatro vagas) e PSB (duas vagas).[8]

Deputados estaduais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Josué Filho PFL 17.257 Manaus   Amazonas
Nonato Oliveira PMDB 16.761 Manaus   Amazonas
Eduardo Braga PMDB 13.503 Belém   Pará
Lupércio Ramos PMDB 11.442 Tonantins   Amazonas
Enéas Gonçalves PFL 11.253 Parintins   Amazonas
Betty Suely Lopes PMDB 10.660
João Thomé Mestrinho PMDB 10.515 Manaus   Amazonas
Vinicius Gomes PFL 9.358 Eirunepé   Amazonas
Átila Lins PFL 9.265 Fonte Boa   Amazonas
Luzivaldo Santos PMDB 8.516
Luiz Fernando PMDB 6.500 Paraíba do Sul   Rio de Janeiro
Carlos Esteves PMDB 5.853 Maués   Amazonas
Raimundo Ferreira PSB 5.827
Humberto Michiles PFL 5.620 São Paulo   São Paulo
Simão Barros PMDB 5.342 Codajás   Amazonas
Manoel Diz PMDB 5.256
Hamilton Cidade PFL 5.152
Manoel Maneca PFL 4.678 Manaus   Amazonas
Raimundo Lopes PMDB 4.160
José Campos PDT 4.100
Jamil Seffair PDT 4.057
Sabá Reis PDT 3.707 Parintins   Amazonas
Abel Alves PSB 3.340 Tefé   Amazonas
Alfredo Campos PDT 3.339

Notas

  1. O Distrito Federal elegeu três senadores e oito deputados federais de acordo com a Emenda Constitucional 25 de 15/05/1985 enquanto os territórios federais elegeram quatro deputados federais cada de acordo com a Emenda Constitucional nº 22 de 29/06/1982, sendo que em Fernando de Noronha não houve escolha de representantes.
  2. Após a promulgação da Emenda Constitucional Número Um, a Constituição de 1967 dizia (Art. 41 § 2º) que cada senador seria eleito com o seu suplente. Em 1986 os candidatos ao Senado Federal concorriam ao lado de dois suplentes (exceto em casos de sublegenda), entretanto citamos aqui apenas o primeiro de cada chapa sem, contudo, deixar de referenciar o outro quando necessário.
  3. Durante sua passagem pelo Ministério da Justiça no Governo Collor, foi substituído por Antar Albuquerque.

Referências

  1. «BRASIL. Presidência da República: Emenda Constitucional 25 de 15/05/1985». Consultado em 5 de junho de 2016 
  2. «BRASIL. Presidência da República: Emenda Constitucional 22 de 29/06/1982». Consultado em 5 de junho de 2016 
  3. Lucena abre caminho para Mestrinho (online). Jornal do Brasil, 30/06/1986. Primeiro caderno, Página 04. Página visitada em 26 de junho de 2016.
  4. Senador Fábio Lucena se suicida em Brasília com um tiro no ouvido (online). Folha de S. Paulo, 15/06/1987. Página visitada em 18 de setembro de 2013.
  5. a b c «Banco de dados do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas». Consultado em 14 de agosto de 2015 
  6. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 7 de agosto de 2015. Arquivado do original em 2 de outubro de 2013 
  7. «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 7 de agosto de 2015 
  8. Candidatos eleitos serão diplomados hoje (online). Jornal do Commercio, Manaus (AM), 17/12/1986. Política, p. 03. Página visitada em 27 de junho de 2016.