Abrir menu principal

Eleições estaduais no Ceará em 1962

As eleições estaduais no Ceará em 1962 ocorreram em 7 de outubro como parte das eleições gerais em 22 estados e nos territórios federais do Amapá, Rondônia e Roraima.[nota 1] Foram eleitos o governador Virgílio Távora, o vice-governador Figueiredo Correia, além dos senadores Wilson Gonçalves e Carlos Jereissati, 21 deputados federais e 65 estaduais, na última eleição realizada antes do Regime Militar de 1964 com a ressalva que, graças a um calendário eleitoral flexível, onze estados elegeriam seus governadores em 1965, não sendo realizadas eleições no Distrito Federal e em Fernando de Noronha.[1][nota 2]

1958 Brasil 1966
Eleições estaduais no  Ceará em 1962
7 de outubro de 1962
(Turno único)
Virgílio Távora senador.jpg Adlai Stevenson III 50334a.tif
Candidato Virgílio Távora Adail Cavalcanti
Partido UDN PTB
Natural de Jaguaribe, CE Iguatu, CE
Vice Figueiredo Correia Fausto Cabral
Votos 371.466 164.295
Porcentagem 69,33% 30,67%


Brasão do Ceará.svg
Governador do Ceará

Nascido em Jaguaribe, o militar Virgílio Távora é sobrinho de Juarez Távora e entrou na Escola Militar do Realengo em 1938 chegando ao posto de coronel em 1960. Eleito deputado federal em 1950 e 1954, foi derrotado por Parsifal Barroso ao disputar o governo estadual em 1958. Embora pertencesse à UDN ocupou uma diretoria na Companhia Urbanizadora da Nova Capital e no conselho nacional do Serviço Social Rural no governo Juscelino Kubitschek. No gabinete parlamentarista de Tancredo Neves no governo João Goulart foi ministro dos Transportes, cargo que deixou para eleger-se governador do Ceará em 1962 num acordo que reuniu seu partido ao PSD, aliança inédita no estado.[2]

Como parte desse acordo o PSD elegeu Figueiredo Correia para vice-governador. Agropecuarista nascido em Várzea Alegre, ele é advogado pela Universidade Federal do Ceará. Eleito deputado estadual em 1947, 1950, 1954 e 1958, afastando-se do mandato para assumir a Secretaria de Educação no governo Parsifal Barroso.[3]

Na eleição para senador o mais votado foi o advogado Wilson Gonçalves. Paraibano de Cajazeiras, ele se formou pela Universidade Federal do Ceará em 1937 e trabalhou no Ceará, Paraíba e Pernambuco até chegar à prefeitura do Crato em 1943 a convite do interventor Menezes Pimentel. Eleito deputado estadual pelo PSD em 1947, 1950 e 1954, venceu a eleição para vice-governador em 1958 na chapa de Parsifal Barroso e agora tornou-se senador.[4]

A segunda vaga em disputa coube ao empresário Carlos Jereissati. Descendente de libaneses, ele nasceu em Fortaleza e fez carreira política no PTB vencendo as eleições para deputado federal em 1954 e 1958 e senador em 1962, embora tenha falecido no curso do mandato.[5][6]

Resultado da eleição para governadorEditar

Conforme o acervo do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará.[7]

Candidatos a governador do estado
Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Virgílio Távora
UDN
Figueiredo Correia
PSD
-
União pelo Ceará
(UDN, PSD, PTN)
371.466
69,33%
Adail Cavalcanti
PTB
Fausto Cabral
PTB
-
PTB, PDC
164.295
30,67%
  Eleito(a)

Resultado da eleição para senadorEditar

Dados fornecidos pelo Tribunal Regional Eleitoral do Ceará.[7]

Candidatos a senador da República
Primeiro suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
Wilson Gonçalves
PSD
Vicente Ferrer
PSD
-
União pelo Ceará
(UDN, PSD, PTN)
303.955
34,60%
Carlos Jereissati
PTB
Antônio Jucá
PTB
-
PTB, PDC
230.333
26,22%
Tancredo de Alcântara
PSD
José Gerardo Frota Parente
PSD
-
União pelo Ceará
(UDN, PSD, PTN)
223.056
25,40%
Olavo Oliveira
PTB
Manoel Lourenço dos Santos
PTB
-
PTB, PDC
121.068
13,78%
  Eleito(a)

Deputados federais eleitosEditar

São relacionados os candidatos eleitos com informações complementares da Câmara dos Deputados.[8][9]

Deputados federais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Paulo Sarasate UDN 43.892 Fortaleza   Ceará
Expedito Machado[nota 3] PSD 27.647 Crateús   Ceará
Padre Palhano[nota 3] PSD 26.207 Sobral   Ceará
Martins Rodrigues PSD 25.908 Quixadá   Ceará
Antônio Jucá[nota 4] PTB 25.302 Crateús   Ceará
Marcelo Sanford PTN 25.140 Sobral   Ceará
Dias Macedo PSD 24.885 Camocim   Ceará
Moisés Pimentel[nota 3] PTB 23.875 Crateús   Ceará
Audízio Pinheiro PSD 22.150 Fortaleza   Ceará
Paes de Andrade PSD 21.767 Mombaça   Ceará
Furtado Leite UDN 19.653 Santana do Cariri   Ceará
Ossian Araripe UDN 19.275 Crato   Ceará
Ozires Pontes PSD 18.374 Massapê   Ceará
Armando Falcão PSD 18.127 Fortaleza   Ceará
Adail Cavalcanti[nota 3][nota 5] PTB 18.089 Iguatu   Ceará
Wilson Roriz PSD 17.269 Jardim   Ceará
Edilson Távora UDN 15.954 Iguatu   Ceará
Raul Carneiro PTB 14.609 Fortaleza   Ceará
Leão Sampaio UDN 13.777 Barbalha   Ceará
Esmerino Arruda PST 13.718 Granja   Ceará
Costa Lima UDN 12.919 Aracati   Ceará

Deputados estaduais eleitosEditar

A Assembleia Legislativa do Ceará recebeu 65 representantes.[7]

Notas

  1. Os territórios federais elegeriam apenas um deputado federal cada.
  2. Alagoas, Goiás, Guanabara, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Rio Grande do Norte e Santa Catarina eram os estados em questão.
  3. a b c d No princípio do Regime Militar de 1964 o Ato Institucional Número Um cassou deputados e nisso efetivaram-se quatro suplentes: Francisco Adeodato, Euclides Wicar, Moreira da Rocha e Flávio Marcílio.
  4. Foi eleito deputado federal e suplente de senador, exercendo o primeiro mandato até o falecimento de Carlos Jereissati. Com isso Antônio Jucá tornou-se senador e sua vaga na Câmara dos Deputados foi destinada a Álvaro Lins.
  5. Graças ao mecanismo das candidaturas múltiplas, foi eleito deputado federal embora tenha perdido a eleição de governador.

Referências

  1. «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 19 de fevereiro de 2015 
  2. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Virgílio Távora». Consultado em 19 de fevereiro de 2015 
  3. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Figueiredo Correia». Consultado em 19 de fevereiro de 2015 
  4. «Senado Federal do Brasil: senador Wilson Gonçalves». Consultado em 14 de maio de 2018 
  5. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Carlos Jereissati». Consultado em 19 de fevereiro de 2015 
  6. «Senado Federal do Brasil: senador Carlos Jereissati». Consultado em 14 de maio de 2018 
  7. a b c «Banco de dados do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará». Consultado em 19 de fevereiro de 2015 
  8. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 19 de fevereiro de 2015. Arquivado do original em 2 de outubro de 2013 
  9. «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 19 de fevereiro de 2015