Abrir menu principal

Eleições estaduais no Ceará em 1974

As eleições estaduais no Ceará em 1974 ocorreram em duas fases conforme previa o Ato Institucional Número Três e assim a eleição indireta do governador Adauto Bezerra e do vice-governador Valdemar Alcântara foi em 3 de outubro e a eleição direta do senador Mauro Benevides, 16 deputados federais e 40 deputados estaduais aconteceu em 15 de novembro conforme regras aplicadas aos 22 estados e aos territórios federais do Amapá, Rondônia e Roraima, sendo que os cearenses residentes no Distrito Federal escolheram seus representantes para o Congresso Nacional por força da Lei n.º 6.091 de 15 de agosto de 1974.[1][2][3][4][5][nota 1][nota 2]

1970 Brasil 1978
Eleições estaduais no  Ceará em 1974
3 de outubro de 1974
(Eleição indireta)
15 de novembro de 1974
(Eleição direta)


José Adauto Bezerra, Governador do Ceará..tif
Candidato Adauto Bezerra


Partido ARENA


Natural de Juazeiro do Norte, CE


Vice Valdemar Alcântara
Votos 29
Porcentagem 100%


Brasão do Ceará.svg
Governador do Ceará

Nascido em Juazeiro do Norte, o militar Adauto Bezerra é formado pela Academia Militar das Agulhas Negras no Rio de Janeiro. Um dos herdeiros políticos de José Bezerra de Menezes, filiou-se sucessivamente à UDN e à ARENA elegendo-se deputado estadual em 1958, 1962, 1966 e 1970, assumindo o governo estadual duas vezes na condição de presidente da Assembleia Legislativa do Ceará. Líder de sua própria facção arenista, detinha o posto de major do Exército quando o presidente Ernesto Geisel o escolheu governador do Ceará em 1974. Fora do meio político dividia a administração do BicBanco com seus irmãos, Humberto Bezerra e Orlando Bezerra até que este foi vendido a investidores chineses.[6][7][8]

Natural de São Gonçalo do Amarante, Valdemar Alcântara formou-se em Medicina pela Universidade Federal da Bahia em 1938 e foi eleito deputado estadual via PSD em 1947 e 1954. Secretário de Saúde no governo Raul Barbosa até eleger-se suplente dos senadores Menezes Pimentel em 1958 e Paulo Sarasate em 1966, quando já pertencia à ARENA. Efetivado em 17 de outubro de 1968 após a morte de Paulo Sarasate, foi escolhido vice-governador do Ceará em 1974. Com a renúncia de Adauto Bezerra para disputar as eleições de 1978 assumiu o governo cearense.[9]

Advogado nascido em Fortaleza e graduado pela Universidade Federal do Ceará, Mauro Benevides é também professor e jornalista. No exercício desta última profissão trabalhou na Tribuna do Ceará, Correio Braziliense e Jornal de Brasília. Filiado ao PSD elegeu-se vereador na capital cearense em 1954 e deputado estadual em 1958, 1962, 1966 e 1970 chegando a presidir o legislativo estadual. Em 1969 assumiu a presidência do diretório estadual do MDB, partido onde ingressou após o Regime Militar de 1964 e pelo qual foi eleito senador em 1974.[10][11]

Resultado da eleição para governadorEditar

Em eleição realizada pela Assembleia Legislativa do Ceará votaram apenas os membros da bancada da ARENA já que o partido oposicionista preferiu se ausentar.[12]

Candidatos a governador do estado
Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Adauto Bezerra
ARENA
Valdemar Alcântara
ARENA
-
ARENA (sem coligação)
29
100%
  Eleito

Resultado da eleição para senadorEditar

Dados fornecidos pelo Tribunal Regional Eleitoral do Ceará que apurou 944.458 votos nominais (89,07%), 77.022 votos em branco (7,26%) e 38.948 votos nulos (3,67%) resultando no comparecimento de 1.060.428 eleitores.[13]

Candidatos a senador da República
Primeiro suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
Mauro Benevides
MDB
Ozires Pontes
MDB
-
MDB (sem coligação)
510.392
54,04%
Edilson Távora
ARENA
Jeová Costa Lima
ARENA
-
ARENA (sem coligação)
434.066
45,96%
  Eleito

Deputados federais eleitosEditar

Deputados estaduais eleitosEditar

A Assembleia Legislativa do Ceará recebeu trinta e dois representantes da ARENA e oito do MDB totalizando 40 deputados estaduais.[13]

Notas

  1. Nos referidos territórios o pleito serviu apenas para a escolha de deputados federais, não havendo eleições no Distrito Federal e no Território Federal de Fernando de Noronha.
  2. Originalmente a Lei n.º 6.091 não previa a eleição para deputados estaduais, algo que ocorreria anos depois.
  3. a b c Humberto Bezerra licenciou-se para ocupar a Secretaria de Assuntos Municipais no governo de seu irmão, Adauto Bezerra, e por isso foram convocados os suplentes Jonas Carlos, Vilmar Pontes e Josias Gomes para ocupar sua vaga, visto que Jonas Carlos foi efetivado com a morte de Manoel Rodrigues e Vilmar Pontes foi efetivado após a renúncia de Parsifal Barroso para assumir uma cadeira no Tribunal de Contas do Distrito Federal.

Referências

  1. «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 25 de maio de 2018 
  2. «Subsecretaria de Informações do Senado Federal: Ato Institucional Número Três». Consultado em 22 de novembro de 2013 
  3. «BRASIL. Presidência da República: Lei n.º 6.091 de 15/08/1974». Consultado em 22 de novembro de 2013 
  4. A ARENA no dia do MDB. Disponível em Veja, ed. 324 de 20/11/1974. São Paulo: Abril. Página visitada em 22 de novembro de 2013.
  5. «Acervo digital Veja». Consultado em 22 de novembro de 2013. Arquivado do original em 29 de outubro de 2013 
  6. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Adauto Bezerra». Consultado em 25 de maio de 2018 
  7. Missão de Petrônio termina e prefere políticos (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 17/06/1974. Primeiro caderno, p. 07. Página visitada em 26 de maio de 2018.
  8. Velhas famílias políticas continuam atuantes (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 04/08/1974. Primeiro caderno, p. 20. Página visitada em 25 de maio de 2018.
  9. «Senado Federal do Brasil: senador Valdemar Alcântara». Consultado em 25 de maio de 2018 
  10. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Mauro Benevides». Consultado em 25 de maio de 2018 
  11. «Senado Federal do Brasil: senador Mauro Benevides». Consultado em 25 de maio de 2018 
  12. De Norte a Sul, espetáculo igual (online). O Estado de S. Paulo, São Paulo (SP), 04/10/1974. Geral, p. 05. Página visitada em 25 de maio de 2018.
  13. a b «Banco de dados do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará». Consultado em 22 de novembro de 2013 
  14. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 25 de maio de 2018. Arquivado do original em 2 de outubro de 2013 
  15. «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 25 de maio de 2018