Abrir menu principal

Eleições estaduais no Ceará em 1978

As eleições estaduais no Ceará em 1978 ocorreram em duas etapas conforme o Pacote de Abril: em 1º de setembro aconteceu a via indireta e nessa ocasião a ARENA elegeu o governador Virgílio Távora, o vice-governador Manoel de Castro e o senador César Cals. A fase seguinte aconteceu em 15 de novembro a exemplo dos outros estados brasileiros[nota 1] e nisso foi eleito o senador José Lins e quanto aos vinte deputados federais e quarenta e quatro estaduais que foram eleitos a ARENA conquistou a maioria das cadeiras.

1974 Brasil 1982
Eleições estaduais no  Ceará em 1978
1º de setembro de 1978
(Eleição indireta)
15 de novembro de 1978
(Eleição direta)


Virgílio Távora senador.jpg
Candidato Virgílio Távora


Partido ARENA


Natural de Jaguaribe, CE


Vice Manoel de Castro
Votos 308
Porcentagem 98,40%


Brasão do Ceará.svg
Governador do Ceará

Nascido em Jaguaribe o governador Virgílio Távora é sobrinho de Juarez Távora e por sua influência ingressou em 1938 na Escola Militar do Realengo com passagens pela Escola de Comando e Estado-Maior do Exército e Escola Superior de Guerra alcançando a patente de coronel em 1960. Filiado à UDN foi eleito deputado federal em 1950 e 1954 e ocupou vagas na direção da Companhia Urbanizadora da Nova Capital e no conselho nacional do Serviço Social Rural durante o governo Juscelino Kubitschek. No gabinete parlamentarista de Tancredo Neves durante o governo João Goulart ocupou o Ministério dos Transportes, cargo que deixou para eleger-se governador do Ceará em 1962.[1] Com a adoção do bipartidarismo filiou-se à ARENA na qual conquistou os mandatos de deputado federal em 1966 e senador em 1970. Sua primeira vitória na disputa pelo Palácio Iracema foi resultado de uma coligação entre UDN e PSD chamada "União pelo Ceará" e nisso o diretório estadual da ARENA foi montado sob a força dos coronéis políticos Virgílio Távora, Adauto Bezerra e César Cals que alternaram-se no poder como governadores durante o Regime Militar de 1964.

Para senador venceu o engenheiro José Lins. Formado na Universidade Federal de Ouro Preto e professor da Universidade Federal do Ceará trabalhou em Minas Gerais e no Maranhão antes de voltar ao Ceará onde integrou o secretariado do primeiro governo Virgílio Távora e nos de Franklin Chaves e Plácido Castelo antes de assumir a direção do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas e da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste, esta última durante o Governo Ernesto Geisel. A outra vaga no Senado Federal ficou com César Cals, entretanto o mesmo ocupou o Ministério de Minas e Energia no governo João Figueiredo e assim a cadeira foi dada a Almir Pinto sendo que estava em curso o mandato de Mauro Benevides (MDB).

Por conta da reorganização partidária do governo João Figueiredo os governistas do Ceará ingressaram no PDS enquanto a oposição dividiu-se entre o PMDB e o PT com vistas ao pleito de 1982 quando Virgílio Távora renunciou para candidatar-se a senador entregando o poder a Manoel de Castro no limiar de uma campanha onde a vitória foi da situação.

Os cearenses residentes no Distrito Federal escolheram seus representantes por força do Art. 17 da Lei nº 6.091 de 15 de agosto de 1974.[2]

Resultado da eleição para governadorEditar

O Colégio Eleitoral do Ceará era composto por 313 membros sendo dominado pela ARENA.[3] Por considerar-se impedido em virtude de ser candidato a vice-governador, Manoel de Castro absteve-se de votar havendo quatro ausências entre os delegados situacionistas.

Candidatos a governador do estado
Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Virgílio Távora
ARENA
Manoel de Castro
ARENA
-
ARENA (sem coligação)
308
98,40%
  Eleito

Resultado da eleição para senadorEditar

Mandato biônico de oito anosEditar

A eleição para senador biônico levou à vitória de César Cals.[4][nota 2]

Candidatos a senador da República
Candidatos a suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
César Cals
ARENA
Almir Pinto[nota 3]
ARENA
Francisco Armando Aguiar
ARENA
-
ARENA (sem coligação)
309
98,72%
  Eleito

Mandato direto de oito anosEditar

Conforme o Tribunal Regional Eleitoral do Ceará houve 129.066 votos em branco (7,92%) e 45.495 votos nulos (3,00%) calculados sobre o comparecimento de 1.524.412 eleitores com os 1.349.851 votos nominais assim distribuídos:[3]

Candidatos a senador da República
Candidatos a suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
José Lins
ARENA
-
ARENA
-
ARENA (sem coligação)
758.817
56,21%
Chagas Vasconcelos
MDB
Barros Pinho
MDB
-
MDB (sem coligação)
591.034
43,79%
  Eleito

Deputados federais eleitosEditar

Deputados estaduais eleitosEditar

A Assembleia Legislativa do Ceará recebeu vinte e dois representantes da ARENA e onze do MDB.[3]

Notas

  1. No Distrito Federal havia seções especiais para captar o voto de quem estava fora do seu estado de origem e nos territórios federais do Amapá, Rondônia e Roraima serviu apenas para a escolha de deputados federais.
  2. Em 1978 o senador biônico seria eleito sob a legislação concebida pelo Pacote de Abril e a outra vaga foi preenchida por eleição direta.
  3. O senador César Cals serviu ao presidente João Figueiredo como ministro das Minas e Energia, transmitindo assim o exercício do mandato a seu suplente, Almir Pinto.
  4. Faleceu na capital cearense à 16 de junho de 1981 e em seu lugar foi efetivado Alfredo Marques.

Referências

  1. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Virgílio Távora». Consultado em 25 de julho de 2013 
  2. «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 6.091 de 15/08/1974». Consultado em 25 de julho de 2013 
  3. a b c «Banco de dados do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará». Consultado em 25 de julho de 2013 
  4. Menos de dez mil votos elegeram 22 senadores (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 01/09/1978. Primeiro caderno, p. 04. Página visitada em 4 de junho de 2018.
  5. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 12 de fevereiro de 2015. Arquivado do original em 2 de outubro de 2013 
  6. «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 12 de fevereiro de 2015